O que o empresário deve considerar ao abrir uma empresa

Pedro Signorelli (*)

Alinhamento da gestão, foco e engajamento dos colaboradores são fatores cruciais para a administração de uma empresa, de qualquer porte, e também para quem se aventura num negócio próprio por necessidade. Em tempos de desemprego, muitos ingressam no mundo dos negócios não por opção ou vocação, mas por enxergarem nessa possibilidade o único caminho.

Relatório do Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2019, resultado da parceria entre o Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade e o Sebrae, mostra que 88,4% dos empreendedores iniciais afirmaram que abriram uma empresa para ganhar a vida porque os empregos são escassos, ou seja, esse não era um projeto de vida e a consequência disso pode ser ainda pior, sem emprego e sem empresa.

Gerir um negócio próprio não é a mesma coisa que ser empregado, tipo CLT, aliás, é bem diferente. Neste último caso, o colaborador é normalmente demandado a fazer coisas e tem sua renda garantida ao final do mês, enquanto que quem abre seu próprio negócio tem que “ir caçar o leão”, não pode esperar de braços cruzados alguém vir comprar seu produto ou contratar seus serviços.

Uma ferramenta que ajuda e muito na gestão do negócio, são os OKR – Objectives and Key Results -, que nasceram na Intel na década de 1970, uma empresa grande, já estabelecida, mas também foi ferramenta fundamental para tornar o Google a empresa que é hoje. Os OKRs foram apresentados para o Google no final dos anos 1990 quando ele tinha cerca de 30 ou 40 pessoas, ou seja, quando poderia ser considerada uma pequena empresa.

E o que você deve considerar quando ingressa na aventura do mundo empresarial? Primeiro, seguindo o que determina o OKR, vem o objetivo. Avalie suas prioridades, trace cada objetivo e planeje detalhadamente as ações necessárias para alcançá-los. Não perca o foco. Mantenha em sua mente o propósito que deseja alcançar.

Ajustes são sempre necessários e as OKRs, não só permitem que eles sejam feitos, como entende que eles devam ocorrer periodicamente, é pressuposto da ferramenta. Por fim, e não menos importante, mantenha o engajamento dos colaboradores, ainda que seja à distância, como ocorre na atualidade, é preciso que todos estejam alinhados com a estratégia da empresa e saibam exatamente o que precisam fazer para contribuir com os resultados do negócio.

A gestão por OKR é cada vez mais uma opção acertada no gerenciamento dos negócios nos tempos atuais, seja pela natural rapidez com que as coisas mudam; pelas novas tecnologias, que abrem novas possibilidades constantemente e em todos os segmentos e, não tem como não citar, pela pandemia, que impõe ajustes constantes nos planos de negócios.

(*) – É especialista “insider” na implementação de OKR em empresas de diversos tamanhos e segmentos, além de ministra palestras e workshops de implementação de OKR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap