Maioria dos consumidores valoriza mais as imagens do e-commerce

A imagem passou a valer mais no e-commerce no último ano, segundo uma pesquisa da produtora Fotopontocom, realizada com 44 consumidores online entre abril e maio. 83% dos respondentes começaram a olhar as fotos e os vídeos dos produtos que compram na internet com mais atenção após o início da pandemia. Quando questionadas sobre a importância das imagens para a sua decisão de compra, 68% das pessoas classificaram como extremamente importante e 32% como importante.

Um sinal de alerta para as empresas que atuam no ambiente digital e ainda não priorizaram este ponto crítico da cadeia do comércio eletrônico. Quase todos os entrevistados disseram que já desistiram de fechar um pedido online porque as imagens do produto eram de má-qualidade (97,5%). “Um material mal produzido impacta na confiança do consumidor com a marca.

A home page do site deve funcionar como a vitrine de uma loja física e a página do produto, por sua vez, é onde o comprador vai mergulhar na experiência sensorial, conferindo os detalhes e o acabamento daquele item. Quando essa jornada é bem construída, leva à conversão”, explica Carolina Soares, Co-Fundadora da Fotopontocom.

Alcançar essa fórmula é o grande desafio. Um problema ainda maior para os varejistas que precisaram se digitalizar rapidamente para manter a operação de pé durante o fechamento das lojas físicas. Para quem está buscando respostas para montar a sua estratégia, a pesquisa gerou alguns insights relevantes. Em primeiro lugar, a maioria dos respondentes afirmou que a loja virtual deveria disponibilizar quatro ou mais fotos para ajudar o comprador.

Em relação à composição da imagem, os entrevistados revelaram que preferem ver o item em fundo branco nas lojas virtuais (53.8%) e em um cenário, quando estão nas redes sociais (47.3%). Ao destacar-se o segmento de Moda, Calçados e Acessórios, a maioria escolheu como favorita a imagem da peça usada por um modelo, tanto no e-commerce (68.4%), quanto nos perfis da marca (60.5%).

Outros formatos também são bem-vindos, de acordo com os dados do levantamento. Quase todos os compradores disseram que vídeos sobre o produto ajudam na sua decisão por fechar o pedido (89.4%). O mesmo vale para os infográficos, ainda pouco explorados pelos lojistas (75.6%). E quem achava que o texto poderia ser negligenciado nesse conjunto estava enganado: 70.2% das pessoas declararam ler atentamente toda a descrição do produto antes de comprar.

“Esse tipo de material pode parecer um complemento à fotografia, mas, na verdade, cumpre de forma bem eficiente o papel de mostrar as qualidades, vantagens e diferenciais do produto diante dos competidores”, pontua Soares.
Em relação aos segmentos, os consumidores destacaram que as imagens tornam-se ainda mais importantes ao comprarem itens de Moda, Calçados e Acessórios (97.3%), Móveis e Decoração (81%), Cama, Mesa e Banho (67.5%), Saúde e Beleza (59.4%) e Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos (48.6%).

Após a venda, o material visual continua a impactar a percepção e o custo atrelado à operação do e-commerce. Quase 60% dos entrevistados confessaram que já devolveram uma mercadoria que não correspondia às fotos da loja virtual (59.4%). “Cada elemento da cadeia está interligado. No caso da imagem, o reflexo vai desde a percepção da marca, passando pela venda e pela logística e influenciando, inclusive, a fidelização do cliente final”, completa a executiva.

Fonte e mais informações: (www.fotopontocom.com.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap