158 views 6 mins

Business Intelligence no Varejo

em Mais
quarta-feira, 29 de novembro de 2023

Felipe Labeca (*)

O varejo brasileiro já desfruta do Business Intelligence (BI) e das vantagens que ele reverte para os negócios, mas quem ainda não mergulhou nestas ferramentas, deve aproveitar os esforços concentrados no final do ano para ampliar ainda mais sua aplicação. Este é o momento não só de consolidar práticas existentes, mas também de expandir horizontes e atingir novos patamares por meio de um aproveitamento mais amplo e inteligente desse recurso.

No cenário atual do varejo, o uso do BI se tornou tão fundamental quanto as estratégias de vendas tradicionais. Desde a análise de dados de vendas até a compreensão do comportamento do consumidor, o BI se estabeleceu como a espinha dorsal das decisões comerciais. No entanto, a verdadeira evolução não reside apenas na aplicação cotidiana dessas análises, mas sim na expansão estratégica para áreas acessórias. Ao correlacionar os dados de vendas com informações logísticas, tendências sazonais, feedbacks dos clientes, o varejo adquire uma visão holística do seu funcionamento. Essa ampliação de uso do BI não só potencializa a eficiência operacional, mas também aprimora a precisão das previsões, impulsionando a capacidade de resposta e adaptabilidade da empresa como um todo. Ao integrar dados de diversas áreas correlacionadas, a empresa não apenas melhora sua eficiência, mas também otimiza sua capacidade de antecipar demandas e oferecer experiências personalizadas aos consumidores, alcançando um patamar de competitividade mais elevado no mercado.

Vamos dar um exemplo: a análise dos dados de vendas de uma loja e dos feedbacks dos clientes pode ajudar a identificar tendências e padrões no comportamento do consumidor. Com essas informações, as empresas de varejo podem identificar comportamentos e tendências dos clientes, mapear a jornada de compra e dar previsibilidade para sua carteira, criar um programa de treinamento ajustando e customizando sua estratégia de vendas. Assim, podem ser muito mais assertivas no processo de vendas e na qualidade de atendimento do cliente.

Para quem busca ampliar, ou mesmo implantar um projeto de BI, uma boa notícia é que o investimento se tornou mais acessível nos últimos anos devido ao surgimento de soluções baseadas em nuvem e a uma maior competição no mercado. Empresas de todos os portes podem adotar soluções que atendam às suas necessidades e orçamento.

Considerar o BI como uma estratégia de otimização dos custos existentes é fundamental. Ao processar e organizar informações relevantes, o BI capacita os tomadores de decisão em cada ramo varejista a conduzir a empresa em direção aos resultados desejados. Essa capacidade se torna o diferencial entre alcançar o sucesso ou não.

Explorando ainda mais as vantagens, destaco três aspectos importantes. Primeiro, o BI pode ajudar o varejo na eficiência operacional, com informações sobre a cadeia de suprimentos, estoque e vendas. Com esses dados, as empresas podem identificar problemas e ineficiências e assim aplicar ajustes para maximizar a performance e reduzir os custos e evitar o famoso stockout.

Também é uma ferramenta incrível de análise de concorrentes diretos e mercado, processando informações sobre preços, ofertas e outras estratégias de marketing que estão gerando resultado. Tendo isso em mãos, o varejista pode ajustar suas estratégias de posicionamento e preço para permanecer competitivo.

E, terceiro, auxilia na compreensão do cliente em seu perfil e jornada. O BI pode fornecer insights sobre o comportamento do cliente, antecipando sua próxima fase na jornada de compra, com isso o BI acaba ajudando a personalizar ofertas e melhorar a fidelização.

É indiscutível que o BI desempenha um papel essencial no varejo, fornecendo insights valiosos em áreas cruciais, como precificação, estratégia de abastecimento, planejamento de treinamento, otimização do trade, entre outras. Ele engloba uma série de processos, ferramentas e técnicas utilizadas para coletar, organizar, analisar e visualizar dados históricos, atuais e projeções, oferecendo insumos sólidos para a tomada de decisões embasadas em dados, capacitando as empresas a ajustar estratégias e ações de vendas de forma precisa e eficaz, o que se traduz em resultados mensuráveis e um desempenho aprimorado no mercado varejista.

O BI atua como um pilar fundamental na validação e suporte às decisões. Em um cenário em que a informação é essencial, é impensável para qualquer empresa, independentemente de seu porte ou setor, tomar decisões não embasadas em dados. Agir dessa forma é deixar o sucesso empresarial ao acaso.

(*) Sócio-diretor do Grupo Take 5, graduado em Administração de Empresas pelo Mackenzie e com um MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios pela FGV.