ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Novas tecnologias digitais auxiliam produção no campo

Usar um sensor para prever se vai chover em uma propriedade e, assim, identificar o melhor momento de aplicar um defensivo agrícola. Ter um equipamento em um trator que monitora se ele para ou quebra de modo a permitir uma manutenção rápida. Inserir pequenos aparelhos no solo para ter indicadores para o plantio, como por exemplo, o nível de umidade. Essas são algumas das aplicações da chamada Internet das Coisas (IdC) que começam a ser implantadas em projetos no campo.

Homem 1 temproario

Plantação de Café na Embrapa Cerrado. Foto: Valter Campanato/ABr

Jonas Valente/Agência Brasil

Usar um sensor para prever se vai chover em uma propriedade e, assim, identificar o melhor momento de aplicar um defensivo agrícola. Ter um equipamento em um trator que monitora se ele para ou quebra de modo a permitir uma manutenção rápida. Inserir pequenos aparelhos no solo para ter indicadores para o plantio, como por exemplo, o nível de umidade. Essas são algumas das aplicações da chamada Internet das Coisas (IdC) que começam a ser implantadas em projetos no campo.

A IdC (ou IoT, sigla em inglês para “Internet of Things) é um nome dado a um conjunto de tecnologias que permite um monitoramento mais eficiente, em diversas áreas e em tempo real por meio de dinâmicas de comunicação máquina a máquina com diversas finalidades, como elevar a capacidade de monitoramento e controle sobre uma determinada atividade, como nos exemplos citados acima.

Homem 1 temproario

Essas tecnologias trazem novas possibilidades na gestão da produção rural. Foto: Rondoniense/reprodução

Essas tecnologias trazem novas possibilidades na gestão da produção rural. Satélites com serviços mais acessíveis viabilizam o monitoramento de lavouras. Colheitadeiras modernas permitem saber a produtividade por talhão (unidade por área). Soluções de irrigação inteligente avaliam o nível de água no solo para evitar desperdício e diminuir gastos. Segundo a chefe-geral da unidade de informática agropecuária da Embrapa, Silvia Massruhá, embora várias dessas tecnologias estejam começando a ser adotadas no Brasil, o país ainda está em um estágio inicial no emprego de IdC no campo e tem como desafio integrar os projetos e soluções sendo utilizadas.

“O desafio nosso é o fato de que você já tem vários tipos de dispositivos. Mas não tem ainda estes conectados ou porque não tem conectividade no campo ou porque os dados são heterogêneos ou porque não tem forma de integrar em aplicação”, explica a chefe da Embrapa. Segundo a pesquisa TIC Domicílios 2018, do Comitê Gestor da Internet, enquanto o percentual de brasileiros conectados nos centros urbanos chega a 80%, nas áreas rurais ele fica em 59%.

Um dos projetos piloto em desenvolvimento pela Embrapa tem como foco o monitoramento de pragas e doenças. Por meio do monitoramento e previsão do clima com o uso de estações meteorológicas o objetivo é evitar a incidência de ferrugem asiática na soja. “O sistema vai receber a data mais certa para aplicar o defensivo dependendo do clima, cruzando com dados da doença. Vamos medir se isso realmente ajudou a reduzir custo e aumentou produtividade”, explica Silvia Massruhá.

Outro projeto, também coordenado pela empresa pública, envolve a otimização de formas denominadas no setor de “integração lavoura, pecuária e floresta”. Um produtor de soja, por exemplo, que planta durante três meses fica com a área ociosa no restante do ano. Ele poderia, com auxílio das tecnologias, encontrar outros usos para o solo, como o plantio de pastagem para a criação de gado. Ao lado do pasto poderia ser plantado eucalipto, o que possibilita sombra para os animais.

Os sistemas de Internet das Coisas no projeto piloto vão medir diversos aspectos dessa integração. É o caso dos níveis de adubação do solo. Os bois terão chips implantados e por meio desse equipamento e outros (como balanças) será realizado um cruzamento de dados com outros aspectos, como alimentação, para identificar o seu desenvolvimento e a melhor hora do abate. O teste será realizado com produtores em cinco estados: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo e Piauí.

Homem 1 temproario

IoT (Internet of Things) é um nome dado a um conjunto de tecnologias que permite um monitoramento mais eficiente. Foto: sebraers/reprodução

No Rio Grande do Sul e em Minas Gerais, um terceiro projeto piloto busca otimizar a produção de leite, com procedimentos como o monitoramento da alimentação dos bois e a automatizando da ordenha. Ao fim, o leite será comparado com outros sem a adoção dessas tecnologias para avaliar se essas soluções geraram melhoria da quantidade e da qualidade do produto.

O centro de desenvolvimento de tecnologia CPQD conduz um projeto com uma empresa agropecuária instalando sensores em tratores e outros equipamentos com o propósito de monitorar o desempenho das máquinas. O sistema vai acompanhar a distância rodada, o consumo de combustível e eventuais problemas de modo a identificar demandas de manutenção. “Imagina se você está no meio do campo e a máquina quebra. O produtor tem que parar a colheita, remover a máquina e mandar outra. Se for possível pegar todos os dados dela e prever que ela tem possibilidade muito grande de quebrar, a pessoa poderá encaminhar pra manutenção antes que ocorra alguma coisa”, explica o diretor de inovação do CPQD, Paulo Curado.

A agropecuária é apontada por pesquisadores, empresários e autoridades como um dos setores onde as tecnologias de Internet das Coisas vêm obtendo evolução mais rápida. “Tem muito potencial no Brasil na parte de agricultura. É uma das áreas prioritárias e que vem forte nos próximos anos”, destaca o presidente da Associação Brasileira de Internet das Coisas (Abinc), Flávio Maeda. A área foi escolhida como uma das prioritárias no Plano Nacional de Internet das Coisas, lançado em junho. O documento aponta diretrizes genéricas, sem entrar nos detalhes de que medidas serão adotadas por órgãos estatais para estimular essas tecnologias no campo.

A elaboração de propostas e projetos ficará a cargo de um grupo criado para esta finalidade, denominado Câmara Agro 4.0. Encabeçado pelos ministérios da Agricultura (MAPA) e da Ciência e Tecnologia (MCTIC), contará também com a participação de outros órgãos, de pesquisadores e de associações e empresas do setor no país. Os integrantes vão avaliar ações em diversas frentes. A mais importante será a ampliação da conectividade nas áreas rurais, dada a extensão territorial e o contingente de pessoas ainda fora da Internet nesses locais. Enquanto o índice de lares com acesso à web é de 65% nas regiões urbanas, nas rurais ele cai para 34%.

A Câmara também deverá se debruçar sobre programas para fomento à aquisição e difusão de tecnologias inovadoras. Dentre essas, um dos intuitos é estimular a criação e o crescimento das empresas de base tecnológica, também conhecidas como startups. O objetivo com a disseminação dessas soluções técnicas é ampliar a produtividade no campo. “Precisamos incentivar novas empresas, startups, para aumentar cadeia produtiva dentro da área do agronegócio”, defendeu o titular do MCTIC, Marcos Pontes, no evento de lançamento da Câmara.

Mais artigos...

  1. Obesidade no país aumentou entre 2006 e 2018, diz pesquisa
  2. Extinção das Reservas Legais causaria prejuízo trilionário ao Brasil
  3. No fim do Império, Brasil tentou substituir escravo negro por “semiescravo” chinês
  4. IBGE: São Desidério (BA) é o maior município agrícola do país em 2018
  5. Dá para viver bem de agricultura familiar na Amazônia
  6. Perda do emprego e redução da renda são principais causas da inadimplência no país
  7. Girassol é símbolo de campanha para alertar sobre depressão
  8. Quatro países europeus perdem status de eliminação do sarampo
  9. Mortes por câncer de pulmão entre mulheres deve estabilizar em 2030
  10. Abrir mão do smartphone prejudicaria a rotina de 77% dos jovens conectados
  11. Congresso estuda novo Fundeb com o triplo de verbas federais
  12. Quer criar uma startup? Veja dicas e alertas de especialistas na área
  13. Dos balcões aos tabuleiros, a comida de rua chega à capital da Província de SP
  14. Por que o chefe troglodita está em extinção
  15. Evento sobre histórias em quadrinhos traz novas pesquisas na área
  16. Capoeira busca reconhecimento social junto a jovens de escolas públicas
  17. Senado volta a discutir fracionamento de medicamentos
  18. Menos de 7% dos territórios quilombolas reconhecidos têm títulos de propriedade
  19. Campanha 'Agosto Dourado' incentiva a amamentação
  20. Oito em cada dez brasileiros estão dispostos a adotar mais práticas de consumo colaborativo
  21. Licença-paternidade estendida favorece vínculo com filho
  22. Há 40 anos, Lei de Anistia preparou caminho para fim da ditadura
  23. Homem que fica em casa para cuidar dos filhos é "menos homem"
  24. Governo defende salvaguarda tecnológica da base de Alcântara
  25. Plano Nacional de Educação pode ajudar a atingir metas da Agenda 2030
  26. Mais de 60% dos brasileiros usam meios digitais para pagamentos
  27. Cosa Nostra, Camorra, 'ndrangheta: as diferenças entre as máfias da Itália
  28. Sete em cada dez brasileiros tiveram de fazer cortes no orçamento no primeiro semestre
  29. População de tigres na Índia cresce mais de 30% em quatro anos
  30. De olho nas contas públicas
  31. Portadores de deficiências graves têm mais dificuldade para trabalhar
  32. Juros do cheque especial subiram para 322,2% ao ano em junho
  33. Na fronteira da barbárie
  34. Descarte de eletroeletrônicos deve entrar em consulta pública
  35. Ações para proteção de recursos hídricos beneficiam comunidades rurais
  36. Elefante africano ajuda a aumentar estoque de carbono na floresta
  37. Alimentos afrodisíacos na história da gastronomia
  38. Estudo aponta aumento de câncer em população de 20 a 49 anos
  39. Novos negócios tentam inovação e solução de problemas da sociedade
  40. Endocrinologistas fazem campanha contra anabolizantes
  41. Casamentos via internet podem expor brasileiras a abusos
  42. Alerta de perigo ambiental
  43. Estudo analisa impactos de quedas na qualidade de vida de idosos
  44. Estudo mostra que adolescentes de faixas carentes estão mais obesos
  45. Tratado de Versalhes marcou 'nova fase do capitalismo'
  46. Teatro Kabuki reúne transgressão e perenidade na cultura japonesa
  47. Febre das patinetes desafia cidades brasileiras
  48. Plano do MEC de transferir escolas públicas para Polícia Militar divide opiniões
  49. Senado já rejeitou médico e general para o Supremo Tribunal Federal
  50. Varejo eleva, em 10 anos, representatividade no comércio
  51. Monitorar as mutações do vírus da gripe envolve esforço internacional
  52. Monitorar as mutações do vírus da gripe envolve esforço internacional (2)
  53. Monitorar as mutações do vírus da gripe envolve esforço internacional (3)
  54. Checar os dados é premissa para proteger os cidadãos
  55. Instituto do Patrimônio quer forró como patrimônio imaterial
  56. Livro retrata o teatro de resistência de Sami Feder
  57. No Brasil, apenas 85 municípios cumprem requisitos de saneamento básico
  58. Mulheres aumentam escolaridade em relação aos homens, mostra pesquisa
  59. Transpondo a Cortina de Ferro: relatos de viagens de brasileiros à URSS
  60. Falta de gestão prejudica oferta de creches
  61. Militarização de colégio público divide opiniões
  62. Extrato de jabuticaba pode prevenir doenças
  63. 1ª Previdência permitia aposentadoria aos 50 anos
  64. Projetos buscam maior rigor para o trânsito
  65. Estudo aponta fragilidade da Previdência nos estados
  66. Senadores querem política para doenças raras
  67. Livro traz críticas ao negacionismo do Genocídio Armênio
  68. Pesquisa inédita sobre refugiados no país revela boa formação escolar
  69. Senado debate aumento de rigor contra cigarro
  70. Maioria dos consumidores não sabe o quanto paga de imposto embutido nas compras
  71. Casal conta como rotina de vida mudou com adoção de irmãos
  72. A extrema direita pode chegar ao poder na União Europeia?
  73. 83 milhões de brasileiros possuem ao menos uma compra parcelada
  74. Clientes de baixa renda são os que mais reestruturam dívidas do cartão
  75. Sofrimento psíquico afeta mulheres motoristas de ônibus
  76. Magistério é o curso mais procurado pelo segmento pobre da população
  77. Conselho Federal de Medicina vê irregularidades em hospitais públicos
  78. 'Pet-terapia': Como animais e tecnologia combatem doença
  79. Há 131 anos, senadores aprovavam o fim da escravidão no Brasil
  80. Primeira senadora foi recebida com flor e poesia
  81. Governo prevê novas concessões com investimentos de R$ 1,6 trilhão
  82. Prisão domiciliar foi negado para 89,1% das mães e gestantes em SP
  83. Extinção de espécies aumenta em escala sem precedentes, alerta relatório
  84. Brasil, país do improviso e da imprevidência
  85. Pesquisa aponta que 77% dos brasileiros têm o hábito de se automedicar
  86. Um ano após desabamento, déficit habitacional ainda é realidade
  87. Sobe o número de pessoas que cuidam de parentes em 2018
  88. Crise e novo comportamento reduzem interesse dos jovens em dirigir
  89. Tese analisa a conexão entre literatos negros abolicionistas
  90. Reforma da Previdência vai gerar economia de R$ 1,236 trilhão em 10 anos, diz governo
  91. Como melhorar o ensino médio do Brasil e combater a evasão escolar?
  92. Autoexame da mama não substitui exame clínico, diz Ministério da Saúde
  93. Setor de saúde quer mais prazo para implantar Lei de Proteção de Dados
  94. Livro explora os antagonismos do maior militar do século 20
  95. Microchip tem “mil e uma utilidades” na saúde e produção de energia
  96. Recessão, má gestão e comércio eletrônico afetam a venda de livros
  97. Respeito ao limite de cargas pode aumentar em até seis meses vida útil de rodovia
  98. Dança e Direitos Humanos
  99. Cadastro Positivo: o que muda para o consumidor?
  100. Em 100 dias, Bolsonaro volta atenções para política externa
Mais Lidas

Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/storage/0/5e/4e/jornalempresasenegoc/public_html/modules/mod_sp_facebook/mod_sp_facebook.php on line 84

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171