Geral 14 a 16/01/2017

PF deflagra operação para investigar suposto esquema de fraude na Caixa

A investigação da Operação Cui Bono - expressão latina que em português significa “a quem beneficia?” – é um desdobramento da Operação Catilinárias.
  • Save

A Polícia Federal (PF) deflagrou na sexta-feira (13) a Operação Cui Bono para investigar suposto esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa no período entre 2011 e 2013

Sete mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo, no DF, na Bahia e no Paraná. O suposto esquema contava com a participação do então vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa, do vice-presidente de Gestão de Ativos do banco, além de empresários e dirigentes de empresas dos ramos de frigoríficos, de concessionárias de administração de rodovias, de empreendimentos imobiliários e de um operador do mercado financeiro.
Entre março de 2011 e dezembro de 2013, a vice-presidência de Pessoa Jurídica da instituição era ocupada pelo político Geddel Vieira Lima (PMDB). Ministro da Integração Nacional entre 2007 e 2010, no segundo governo Lula, Geddel voltou ao governo em maio de 2016 como ministro-chefe da Secretaria de Governo na gestão do presidente Michel Temer. O político deixou o cargo em novembro, por suspeita de ter atuado para beneficiar uma construtora na Bahia.
A investigação da Operação Cui Bono – expressão latina que em português significa “a quem beneficia?” – é um desdobramento da Operação Catilinárias, deflagrada em dezembro de 2015, no âmbito da Operação Lava Jato, quando policiais federais encontraram um telefone celular na residência do então presidente da Câmara, o ex-deputado federal Eduardo Cunha, que revelou intensa troca de mensagens eletrônicas entre Cunha e Geddel. A operação tinha a finalidade de evitar que provas importantes fossem destruídas por investigados da Lava Jato.
De acordo com a Polícia Federal, as mensagens encontradas no celular apreendido na casa de Cunha indicam que os investigados recebiam vantagem para liberar créditos da Caixa para grandes empresas, o que pode indicar a prática dos crimes de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Como alguns dos suspeitos gozavam de foro privilegiado, a investigação foi inicialmente conduzida pelo STF. Depois de os principais suspeitos se afastarem dos cargos e funções públicas, a Corte encaminhou o inquérito à Justiça Federal no Distrito Federal (ABr).

Famosos se despedem de Obama

Barack Obama em seu último discurso como presidente dos Estados Unidos.
  • Save

O último discurso do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, causou muita emoção na população, inclusive nas celebridades espalhadas pelo mundo. Após as palavras ditas por Obama na noite da última terça-feira (10), em Chicago, várias personalidades do cinema, música e arte se manifestaram nas redes sociais lamentando sua saída e agradecendo por tudo que fez pelo país. Em sua conta no Instagram, a cantora Katy Perry elogiou Obama e afirmou que ele foi um “exemplo para todos”. Já a atriz Kate Hudson disse que foi “uma linda despedida” e pediu para seus fãs assistirem o discurso na íntegra por ser “inspirador”.
A cantora Ciara também compartilhou uma imagem nas redes sociais onde aparece ao lado de Obama e apenas agradeceu. “Obrigada Sr. Presidente”. Miley Cirus não foi exceção e também reagiu à despedida de Obama. “Obrigada. Nós te amamos muito. Já sinto a sua falta”. Em sua conta no Instagram, a Rainha do pop, Madonna, disse adeus ao presidente norte-americano. “Sr. Presidente, nunca haverá outro como tu! Barack Obama é um rei”, escreveu ela. O cantor espanhol Alejandro Sanz também publicou uma foto em que aparece abraçado com Obama e agradeceu o presidente pelo seu mandato.
Outros artistas como a apresentadora e modelo britânica Alexa Chung, a atriz Amanda Seyfried, as cantoras Ariana Grande e Cher, a apresentadora Ellen DeGeneres, a modelo Gigi Hadid, a triz Sharon Stone, entre outros também prestaram homenagem ao Obama em suas redes sociais. O atual líder do país deixará o cargo, oficialmente, no dia 20 de janeiro, quando passa o posto para o magnata republicano Donald Trump, em cerimônia em Washington (ANSA).

Brasil lidera ranking de propinas

O Brasil lidera, pela primeira vez, um ranking nos Estados Unidos de países citados por empresas suspeitas de pagarem propinas no exterior. A lista foi feita por um blog especializado na legislação anticorrupção norte-americana (www.fcpablog.com), que utilizou dados do Departamento de Justiça dos EUA, órgão que investiga essas companhias junto com a Securities and Exchange Commission (SEC), agência de regula o mercado de capitais no país.
Nessa relação, as multinacionais que estão sob investigação citaram o Brasil 19 vezes. Em seguida, aparece a China, com 17 menções, à frente de Iraque (oito), Cazaquistão (seis) e Índia (cinco). Essa é a terceira edição do ranking, e nas primeiras duas versões, em 2015 e 2016, a China ocupou a liderança. Atualmente, a Petrobras e outras 80 empresas são investigadas nos Estados Unidos por suspeita de pagamento de propinas (ANSA).

Cochilo pós-almoço é remédio para o cérebro

Uma hora de sono à tarde é o ideal para a saúde, nem mais nem menos.
  • Save

Uma hora de soneca depois do almoço pode ser um verdadeiro remédio para o cérebro, principalmente para os idosos, revelou um estudo realizado pela Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, nos EUA. A famosa “sesta”, o breve descanso da tarde de origem espanhola, traz vários benefícios à saúde, incluindo mais clareza nos pensamentos, melhor desenvolvimento nas funções cognitivas do cérebro e aumento da capacidade da memória.
A pesquisa, publicada na revista “Journal of the American Geriatrics Society”, avaliou 2974 chineses com mais de 65 anos. Cerca de 60% deles tiravam um cochilo médio de 60 minutos. Para o estudo, os participantes respondiam a perguntas como: “que dia é hoje?” e “em qual estação do ano estamos?”. Além disso, tiveram de resolver equações simples de matemática, memorizar palavras e copiar desenhos geométricos.
Aqueles que cochilavam depois do almoço apresentaram resultados melhores em relação aos que não dormiam nada. No entanto, o melhor desempenho foi registrado entre os participantes que cochilavam 60 minutos, o que indica que uma hora de sono à tarde é o ideal para a saúde, nem mais nem menos. Os testes também revelaram que os idosos que não têm o hábito de cochilar mostraram uma capacidade mental seis vezes menor, o que equivale a um declínio de quase cinco anos de envelhecimento (ANSA).

Subiu para 225 número de foragidos em Manaus

Manaus – Após recontagem no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que 225 presos conseguiram escapar das prisões nas rebeliões ocorridas na virada do ano, que resultaram na morte de 56 detentos. Inicialmente o governo havia afirmado que 184 presidiários tinham escapado.
Dos 225 presos que fugiram na ocasião, 148 continuam nas ruas e 77 foram recapturados e voltaram para as prisões. O governo também divulgou a lista com os nomes dos detentos que continuam foragidos. A guerra de facções deixou o sistema penitenciário em alerta, e os governadores de Amazonas, Roraima, Rondônia, Acre, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul pediram ajuda do governo federal com o envio da Força Nacional. Amazonas foi o primeiro Estado a receber. Segundo o Conselho Nacional de Justiça, são necessários R$ 10 bilhões para acabar com déficit prisional no País (AE).

Emergência em 152 cidades de Minas

Belo Horizonte – O governo de Minas Gerais decretou situação de emergência em 152 municípios com incidência de casos de febre amarela. A decisão abrange as regionais de saúde que têm como sede as cidades de Coronel Fabriciano (Vale do Aço), Governador Valadares (Leste), Manhumirim (Zona da Mata) e Teófilo Otoni (Vale do Mucuri).
O decreto vale por 180 dias e tem como objetivo “adoção de medidas administrativas necessárias à contenção do surto, em especial à aquisição de insumos materiais e à contratação de serviços estritamente necessários ao atendimento da situação emergencial”. Segundo o último boletim da Secretaria de Estado de Saúde, há a suspeita de que 30 pessoas tenham morrido em 2017 em Minas Gerais por causa da doença (AE).

 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap