Pioneirismo brasileiro em sustentabilidade no Metaverso

Os Tokens Não-Fungíveis (NFTs) modificaram o mundo digital implementando novos formatos econômicos, formas de relacionamento e atribuindo características diversas ao conceito de valorização ou desvalorização. Transformações essas, que impactam inclusive no mundo real.

A todo momento se lê sobre aquisições de NFTs, surgimento de novos criptoativos ou plataformas de blockchain para registrar certificados digitais únicos. Além de todos os questionamentos que permeiam o ambiente descentralizado que é o metaverso. Porém, pouco se fala sobre a questão sustentável que existe por trás desse massivo movimento digital e de como isso é projetado no meio ambiente.

Atenta a essa responsabilidade e pioneira do tema no Brasil, a Lumx Studios, tem como ponto de partida de produção de NFTs a utilização de carbono neutro, focando não somente no crescimento econômico de seus projetos, mas também em promover o desenvolvimento sustentável no país.

Isso, tendo como case principal de sucesso a coleção 55Unity, que foi elaborada com carbono neutralizado e teve todas as suas peças esgotadas em 48 horas, tema que inclusive, é a narrativa da história, onde em um futuro apocalíptico o mundo ficou inabitável e é preciso torná-lo habitável novamente através da conscientização à sustentabilidade.

A utilização do carbono neutro tem relação direta com os NFTs e o aquecimento global visto que funciona da seguinte forma: para a mineração das criptomoedas envolvidas nas transações com NFT é necessário manter computadores potentes em funcionamento que consomem muita energia e, quanto mais computadores em uma incessante conexão, mais rápido é efetuada a transação com os tokens, porém a emissão de carbono no ambiente potencializa exponencialmente o efeito estufa.

Caio Barbosa, CEO da Lumx Studios, explica como são os protocolos adotados para mitigar as consequências, “Entendemos que o estado atual de aplicações em blockchain ainda não é o ideal no que tange ao consumo energético e emissão de carbono. Já há soluções que amenizam isso, como a Solana, rede blockchain com transações baratas, rápidas, e arquitetura eco-friendly.

Porém, a imensa maioria do volume de transações em NFT está na blockchain da Ethereum. Buscamos fazer nossa parte ao neutralizar 13 vezes mais carbono do que emitimos”. Caio ainda afirma que assim como a coleção 55Unity que foi produzida a partir de carbono neutro, todas as futuras coleção da empresa, também serão. – Fonte e outras informações:m (https://www.lumxstudios.com/).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap