Home office tem desafios, mas é vantajoso para empresas

De acordo com a pesquisa Mobility 2020, até março de 2019, somente 25% das empresas consideravam o trabalho remoto como uma alternativa integrada à sua estrutura e cultura. Antes da crise, apenas 26% enxergavam o modelo como uma prática estratégica e real. Entretanto, em 2021, boa parte das corporações ainda vai manter o home office como regra, tendo em vista seus benefícios para o negócio e os colaboradores.

Para 24% dos entrevistados, seria uma iniciativa aceitável para alguns cargos e posições (profissionais de vendas, por exemplo). Enquanto isso, 23% apontaram o formato apenas como uma saída para situações específicas; 14% admitiram se tratar de um assunto presente nas reuniões de RH, mas apenas como projeto e 12% afirmaram: nunca foi considerado. No quesito desafios, o grande dilema é coordenar e separar atividades domésticas e profissionais no mesmo espaço – foi a resposta de 44%.

Por outro lado, 42% colocaram a conexão caseira de Internet como um problema. Para 40%, ruídos e interrupções domiciliares são outro obstáculo. Outros 38% admitiram dificuldades para controlar seus horários de começar e encerrar o expediente; 7% reclamaram das vídeo-conferências em outros idiomas, enquanto 2% têm dúvidas sobre a vestimenta nessas reuniões virtuais.

Na visão de Carlos Henrique Mencaci, presidente da Total IP – Soluções e Robôs para Contact Centers, os obstáculos existem, mas podem ser superados. “O home office apresenta vantagens para o negócio. Muitos funcionários até mesmo são capazes de serem mais produtivos quando realizam as entregas de casa. Dessa maneira, diante do contexto atual, é possível se adaptar de maneira bem sucedida”, pontua.

Assim, a nova forma de labor e o distanciamento social também estimularam o desenvolvimento de atitudes em relação à adaptação e ao aprofundamento de habilidades específicas de organização e gestão. São fatores surpreendentemente positivos gerados por essa situação inusitada. Ferramentas modernas, como os discadores automáticos e agentes virtuais, ajudam no gerenciamento das operações a distância.

Afinal, é preciso garantir a assertividade no suporte ao cliente. “O consumidor valoriza cada vez mais a experiência oferecida pelas organizações na hora de adquirir um serviço ou produto. Portanto, procurar formas de evitar falhas na comunicação é essencial para se destacar no mercado”, finaliza o especialista. – Fonte e mais informações: (www.totalip.com.br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap