Vacina de Oxford com resultado ‘robusto’ em idosos

A vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela Universidade de Oxford, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, teria apresentado uma “resposta robusta” entre pessoas com mais de 55 anos, revelou o jornal britânico “Financial Times” ontem (26). Os resultados entre os idosos apresentou uma eficácia similar àqueles que têm entre 18 e 55 anos e os dados oficiais serão divulgados em breve em “revistas científicas”.

A boa notícia é que os mais velhos também conseguem ativar os anticorpos protetores e as células T, assim como os mais jovens. Os idosos estão entre o grupo de mais alto risco para contrair o novo coronavírus e são a faixa etária que mais apresenta óbitos em todo o mundo. Por conta disso, a maior parte das vacinas em teste estão separando os voluntários em grupos de pessoas entre 18 e 55 anos e em outro apenas por pessoas acima dessa idade.

Isso porque, com o passar dos anos, o corpo humano vai perdendo a capacidade de autodefesa e os cientistas querem entender a eficácia da imunização. Apesar da notícia ser positiva, ainda deve ser vista com cautela, já que não se sabe ainda a eficiência contra a Covid-19 porque a fase três de Vtestes – a última etapa – ainda está em andamento em diversos países (ANSA).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap