89 views 5 mins

Economia 30/07 a 01/08/2016

em Economia
sexta-feira, 29 de julho de 2016

‘Brexit’ esfria venda da SABMiller para AB Inbev

Partidários da saída do Reino Unido da UE comemoram o resultado do plebiscito.

Os acionistas do grupo britânico SABMiller decidiram suspender a megafusão com a companhia belgo-brasileira AB Inbev devido à forte desvalorização da libra esterlina frente ao dólar nas últimas semanas

Avaliada em US$ 104 bilhões, a operação juntará as duas maiores cervejarias do planeta, responsáveis por quase um terço da produção mundial.
No entanto, desde o fim de junho, a cotação da moeda britânica vem caindo por conta do referendo que determinou a saída do Reino Unido da União Europeia. Com isso, a SABMiller pede uma oferta mais vantajosa da AB Inbev. Se não houver contrapartidas financeiras para compensar a queda da libra, os acionistas ameaçam até cancelar de vez a operação.
O CEO da SABMiller, Alan Clark, já enviou um memorando determinando que não ocorra nenhum contato com o grupo belgo-brasileiro sobre a fusão. A AB Inbev vê na compra uma chance de reforçar sua presença em mercados emergentes, com fortes perspectivas de crescimento em Ásia, América do Sul e África.
A companhia é dona de algumas das principais marcas de cerveja do mundo, como Stella Artois e Budweiser, além de importantes players locais e regionais, como Quilmes, na Argentina; Corona, no México; Norteña noUruguai; e Brahma, Skol, Bohemia e Antarctica, no Brasil (ANSA).

Caiu a intenção de financiamento das famílias

Após registrar aumento em junho, o Índice de Intenção de Financiamento voltou a recuar em julho e atingiu 14,7 pontos, queda de 8,5% na comparação mensal. Em relação ao mesmo mês de 2015, quando o indicador registrou 18,3 pontos, o recuo foi de 19,5%, o que evidencia o comportamento conservador na demanda por crédito e mostra que apenas 6,8% dos consumidores entrevistados estão dispostos a tomar empréstimos neste momento de crise. Os dados são da Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento, elaborada mensalmente pela FecomercioSP.
O Índice de Segurança de Crédito, que mede a capacidade do consumidor de pagar dívidas, apresentou queda de 6,4% em julho na comparação com junho e atingiu 79,7 pontos. Já no comparativo anual mostrou recuo menor de 3,4%. Entre os endividados, o índice teve retração mensal de 7,8%, enquanto, entre os não endividados, registrou queda de 2,9%. De acordo com a FecomercioSP, ainda existe o risco de aumento da inadimplência caso o desemprego suba ainda mais neste ano.
A situação não é mais grave porque o brasileiro é relativamente avesso à tomada de empréstimos, seja por pessoa física ou jurídica, quando comparado a outras nacionalidades. Em partes isso é cultural, mas em grande medida decorre de outros problemas, como taxas de juros exorbitantes, inflação alta e com histórico muito complicado no passado e patamar de renda média ainda reduzida no lado da pessoa física. Para pessoas jurídicas pesa a incerteza das garantias legais de quem empresta, o que eleva ainda mais a já altíssima taxa de juros.

Mulheres lideram índice de cheques honrados no Sudeste

A Pesquisa Nacional sobre Liquidação de Cheques da TeleCheque, serviço oferecido pela MultiCrédito, revelou que, em junho, as mulheres honraram mais seus pagamentos que os homens: o índice de cheques honrados por elas na Região Sudeste chegou a 96,65% no mês, montante 0,3% superior ao registrado pelos homens no mesmo período (96,31%).
O valor médio das compras entre as mulheres teve queda de 2,8% – passou de R$ 1.006,00, em maio, para R$ 977,00, em junho. Os homens registraram leve acréscimo, e passaram de R$ 1.009,00 em maio, para R$ 1.010,00, em junho. Entre as regiões com maior número de cheques honrados, o Sudeste está em terceiro lugar, com 96,56%. Em primeiro lugar, está a Região Sul, que detém o maior índice de bons pagadores, 97,08%. As outras regiões que compõem o ranking são: Centro-Oeste, com 96,63%; Nordeste, com 96,53%; e Norte, com 95,01%.