Você já ouviu o termo Imobilidade Espontânea?

Jovens da geração Y (nascidos nos anos de 1980 e 1990) e geração Z (o grupo depois deles) são os que mais viralizaram o movimento – Imobilidade Espontânea – na carreira e na vida.

Em Abril de 2021, uma postagem do autor que se intitula como viajante bondoso, na plataforma Baidu Tieba, ganhou o planeta. No post havia o seguinte conteúdo: “Há dois anos que não trabalho e não vejo nada de errado nisso”. O post viralizou e tornou o movimento da – Imobilidade Espontânea – reconhecido pelo presidente chinês Xi Junping.

Com a pandemia, e a grande mudança climática que acomete o planeta, jovens e adultos do mundo inteiro começaram a se questionar se os sonhos como ter um patrimônio (casa, carro, e estabilidade) realmente eram possíveis trabalhando em empresas robustas e com jornadas de trabalho longas.

“Quando muitos indivíduos perceberam que dedicaram muitos anos das suas vidas e não conquistaram os seus objetivos patrimoniais, decidiram seguir para trabalhos com carga horária menor e que desse retorno intangíveis, como viagens, em forma de bonificação. Outros tiraram um período para estudar, e outros para traçar metas profissionais alinhadas aos seus propósitos, e só após ter essas metas claras que iriam de fato trabalhar, essa é a essência da Imobilidade Espontânea.

Ou seja, é uma imobilidade para traçar mobilidades que façam sentido na carreira e na vida”, explica Rodolfo Carvalho, CEO da Incentivar, empresa que promove marketing de incentivo e que trabalha principalmente com jovens da geração Y (Nascidos nos anos 1980 e 1990).

Carvalho entendeu o movimento da Imobilidade Espontânea muito antes de abril de 2021. Criou a empresa de software de incentivo, Incentivar, em 2019, que atua justamente na retenção desses talentos nas empresas pequenas, médias e de grande porte fazendo com que essa Imobilidade Espontânea seja minimizada. O software promove premiações aos colaboradores e faz com que os indivíduos sintam um propósito e de fato sejam bonificados pela sua performance.

Esse software cria o ranqueamento, a melhor forma de premiar, e etc. Ele consegue fazer um estudo do que é importante para os colaboradores de cada empresa. Além de ter criado o software, Carvalho o adaptou para atender qualquer empresa, de qualquer porte. E para isso investiu em treinamento da equipe!

“A equipe da Incentivar tem muitos jovens, pude aplicar as técnicas de marketing de incentivo ao meu próprio time. Eles trazem os ideais da Imobilidade Espontânea que é viver a vida bem, com pouco, e com qualidade para dentro dos projetos da Incentivar”, explica Carvalho.

Engana-se quem acha que o movimento – Imobilidade Espontânea – ficou limitado à Europa ou à China. No Brasil, já há pessoas que aderiram ao movimento mudando para empregos que façam mais sentido a própria vida e/ou saindo dos atuais trabalhos para buscar colocações em empresas que forneçam mais qualidade de vida, no exterior e dentro do país.

A Imobilidade Espontânea já é percebida por empresas brasileiras: entre 153 entidades brasileiras, 90% observam que atrair novos talentos é um dos principais desafios do mercado, segundo uma pesquisa da Team Upp (consultoria especializada em engajamento e bem-estar gamificados), com base no estudo Benchmark da Employee Experience 2020.

O que a Incentivar faz é trazer as práticas da Imobilidade Espontânea que é trabalhar com propósito e acreditar ‘no que faz com a própria vida’ para dentro das empresas. De acordo com a pesquisa de 2020 do Instituto Locomotiva, 45% dos profissionais que recebem algum prêmio se sentem mais satisfeitos com o trabalho. E 87% revelam as premiações como um fator importante de valorização profissional.

Segundo a Microsoft, maior empresa desenvolvedora de software do mundo, quase metade do planeta querem pedir demissão. Para a sua empresa não ser atingida de surpresa pela – Imobilidade Espontânea – Carvalho, especialista em carreira e CEO da Incentivar, separou algumas dicas para aplicar em 2022:

1- Adequar a carga horária com os colaboradores;

2 – Dar um prêmio ao funcionário do bimestre, como uma viagem;

3 – Garantir plano de carreira;

4- Fazer e receber feedback (Escute seu colaborador);

5- Separar um orçamento para bonificar os melhores colaboradores (Não precisa ser um trabalho feito pelo gestor de RH, o ideal é investir em um software que promova igualdade e imparcialidade na bonificação). – Fonte e outras informações, acesse: (https://incentivar.io/)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap