Serraglio diz que Temer sofreu pressões de ‘trôpegos estrategistas’

Em carta de despedida endereçada ao presidente Temer, o ex-ministro da Justiça, deputado licenciado Osmar Serraglio (PMDB-PR), faz um balanço de seus poucos meses de gestão na pasta e diz que Temer sofreu pressões de “trôpegos estrategistas”.

O peemedebista faz agradecimentos e diz que atuou para apaziguar os conflitos no campo, criando mutirões para demarcação de terras indígenas.
O deputado agradece também ao ministro Eliseu Padilha (Casa Civil), “que sempre me apoiou, compreendendo as dificuldades em que eu navegava”, ao PMDB do líder Baleia Rossi (SP), às Frentes Parlamentares da Agropecuária e do Cooperativismo, “aos quais, fico sinceramente sentido, por pouco ter sido possível concretizar em tão breve tempo”. “Tínhamos muitas esperanças”, acrescenta.
Serraglio não foi à posse de seu sucessor, Torquato Jardim, mas disse esperar que as “boas sementes” que plantou no Ministério “se converterão em árvores frondosas, sob o comando do nosso novo ministro Torquato Jardim”. Na “carta-balanço”, o peemedebista destaca que teve uma passagem “muito breve” mas “feliz” no Ministério da Justiça. O deputado licenciado diz que praticou a descentralização e que valorizou a base de apoio do governo “num momento crucial de apoio às reformas do presidente Temer”.
Conta que trabalhava das 8h da manhã até o início da madrugada, enumera as audiências realizadas e os encontros políticos e destaca que recebeu “inúmeros caciques indígenas”. “Enquanto se dizia que não recebia índios, eles eram presença constante em meu gabinete”, aponta (AE).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap