Mulher empreendedora: o que precisa ouvir antes de abrir seu negócio

Apesar da trajetória ser longa e dos desafios serem diversos, o público feminino já representa quase 50% dos empreendedores no Brasil, segundo a Global Entrepreneurship Monitor (GEM).

Além disso, segundo uma pesquisa realizada em parceria entre o Movimento Aladas e o Sebrae SP, de março de 2020 a setembro de 2021, 91% das mulheres foram responsáveis pela fundação de empresas. Destas, 78% usaram recursos próprios, pela dificuldade de captação externa que, infelizmente, ainda é uma realidade.

Para Daniela Graicar, fundadora do Movimento Aladas, cada incentivo importa e conselhos podem valer ouro para quem deseja se aventurar pelo empreendedorismo feminino. “Tirar o sonho de empreender do papel exige que mulheres tenham muito jogo de cintura e estratégias claras para equilibrar o tempo, captar recursos, gerir a equipe de forma inspiradora e evitar dores de cabeça desnecessárias”, comenta.

Ela destaca ainda que receber bons conselhos deixam a trajetória mais leve e segura, com apoio e confiança para enfrentar os desafios que estão por vir. Essa ajuda pode vir de pessoas próximas ou, até mesmo, de programas de mentoria. Ter um mentor na jornada profissional é um recurso que pode tornar a evolução mais rápida e prazerosa.

Na MentorEla, plataforma de mentoria do Aladas, é possível escolher mentores experts nos temas que tiram o sono da empreendedora, como fluxo de caixa, preparação de pitch para investidores e gestão de times. Desatar os nós das nossas cabeças pode ser mais fácil do que as pessoas imaginam.

Começar, de fato, pode trazer dúvidas, medos e muita incerteza. Por isso, receber bons conselhos pode ser a dose de coragem que está faltando por aí! Daniela Graicar lista os 6 principais que toda empreendedora precisa ouvir:

  1. Trace metas e ajuste o plano regularmente – O fato do negócio ser seu não pode te tirar da responsabilidade de prazos e metas. Sugiro estipular três grandes metas por trimestre e cuidar quinzenalmente dos indicadores. Ajustá-las também faz parte do processo!
  2. Aceite que você não será uma unanimidade – Clientes vão criticar seu produto ou serviço, pessoas do seu time vão questionar seu modelo de gestão e “abandonar o barco”, você receberá comentários ruins nas redes sociais. Isso faz parte do jogo e quanto mais gente conhecer você e sua empresa, mais chances de receber críticas. E tudo bem! Aprenda a filtrar as críticas relevantes sem ser tão passional.
  3. Saiba pedir ajuda – A gente às vezes acha que perguntar aos outros é sinal de fraqueza. Acredite no poder da mentoria ou das redes de apoio com outras empreendedoras. As dúvidas são muitas e isso é normal, afinal, empreender é complexo. Há muitos mentores que adoram colaborar com a evolução de empreendedoras e deixar de aproveitar esse repertório e networking é desperdiçar tempo e potência.
  4. Formalize os combinados – Invista tempo registrando tudo o que você combinar de entregar e o que contratar dos outros. Redija contratos, tenha um(a) advogado(a) bom/a. Não conte com o bom senso ou com a memória dos outros ou sua.
  5. Cuide de você – Lembre que empreender é uma maratona e não um tiro de 50 metros. Estabelecer uma rotina que considera sua saúde e bem-estar emocional é relevante para o sucesso do seu negócio. Coloque esse tempo na sua agenda, ou logo você não terá mais energia ou qualidade no que se propuser a fazer. Cuidar de você não é um luxo e sim necessário ao processo de empreender.
  6. Desistir? Jamais! – Quando você pensar em desistir (isso vai acontecer bastante), pare e lembre o que te levou a começar essa empreitada. Isso normalmente faz o esforço recuperar o sentido e recarrega as baterias. – Fonte e outras informações: (https://aladas.com.br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap