Dez dicas de economia para adotar no cotidiano

Este ano tem sido marcado por fortes conflitos e desafios econômicos, o que também atinge o bolso dos brasileiros. Com os preços nas alturas, a população enfrenta novos obstáculos com os gastos diários. Contudo, existem algumas pequenas ações que podemos adotar no cotidiano para facilitar o controle do próprio dinheiro e ajudar a economizar no dia a dia.

O doutor em economia e coordenador do curso de Administração do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), Ricardo Balistiero, listou algumas dicas para auxiliar neste momento. Confira:

1) – Busque poupar antes de gastar – Para conseguir ter um orçamento equilibrado e um melhor controle da economia dentro de casa, o professor aponta que é importante que as famílias criem uma cultura de poupar antes de gastar, para ter consciência do que está entrando e saindo diariamente.

2) – Faça uma planilha de controle de gastos – É importante anotar as entradas e as despesas, para ter uma melhor noção dos gastos. “Ser o mais disciplinado possível nesse âmbito ajuda a fazer sobrar dinheiro no final do mês”, comenta Balistiero.

3) – Identifique as despesas fundamentais – Com a planilha feita, fica mais fácil visualizar com o que seu dinheiro tem sido gasto, o que permite refletir sobre quais despesas são realmente fundamentais. Existem coisas das quais não podemos abrir mão, mas também temos diversos supérfluos que podem ser cortados, algo que estamos gastando e que talvez não seja importante no momento.

4) – Programe a ida ao supermercado – O professor também aponta a dica de programar as compras do supermercado, de modo que seja possível ir apenas uma vez ao mês, e dessa forma evitar comprar o que não é necessário.

5) – Faça uma lista prévia – Ao ir às compras, faça uma lista com os itens que realmente precisa comprar. Dessa forma, é possível ficar mais focado para ir diretamente ao produto, e não comprar em excesso ou adquirir uma mercadoria que já tenha em casa.

6) – Atenção às compras – Uma dica extra para prestar atenção na ida ao supermercado: evite levar crianças, pois elas podem querer produtos que não sejam realmente necessários. Além disso, outro ponto a evitar é ir às compras na hora das refeições, pois tendemos a adquirir itens que queremos apenas naquela hora, e não o que realmente precisamos.

7) – Não caia nas ilusões e no consumismo das redes sociais – Nas redes sociais, costumamos ver tudo muito bonito, todos muito bem-sucedidos, mas a gente sabe que a vida não é bem assim.

Por esse motivo, é importante tomar cuidado com os apelos das redes para incentivar o consumo em excesso. Às vezes, podemos apenas sair comprando coisas por impulso, o que pode ser um erro enorme para quem quer ter um bom controle sobre suas finanças.

8) – Evite pagar juros – Recorrer a meios como o crediário e entrar no rotativo do cartão de crédito pode ser o caminho mais curto para ter a vida financeira virada de ponta-cabeça. Quando for comprar alguma coisa, veja se é possível negociar um desconto à vista e, se for parcelar, tenha controle sobre o orçamento, para não pagar juros em nenhuma hipótese.

É comum que, com grandes investimentos, como a compra de uma casa ou de um carro, já seja necessário pagar os juros, por isso é importante evitar mais despesas financeiras com coisas menores.

9) – Busque realizar aplicações financeiras – O Brasil é um país que oferece boas taxas de juros para aplicações. Então, para as pessoas que forem mais controladas com seus gastos, existe uma boa rentabilidade, com baixo risco, para realizá-las. Uma vez que você conseguiu poupar algum dinheiro, é possível colocá-lo para trabalhar para você. Essa é uma alternativa boa e mais rentável para as finanças pessoais, ainda mais nesse momento propício e com boas taxas para aplicações.

10) – Não perca a perspectiva do longo prazo – Com as despesas rotineiras, é comum pensar sempre a curto prazo, porém o especialista alerta que isso pode ser um grande erro. Segundo o professor, sempre é necessário trabalhar com a perspectiva de longo prazo.

Um bom exemplo para pensar é que o Brasil passou por uma reforma da Previdência há três anos, e isso significa que a previdência pública, como a gente conhece, ficou mais distante para todas aquelas pessoas que estejam abaixo dos 45 anos.

Portanto, há a necessidade de trabalhar sempre com uma visão para a frente, pensando que supostamente teremos de ficar mais tempo no mercado de trabalho e, talvez, não haja emprego para todos. Por isso, é importante criar a cultura da poupança.

Com isso em vista, para ter uma vida financeira saudável, é importante pensar em guardar uma reserva suficiente para enfrentar o que tiver pela frente. – Fonte e outras informações: (https://www.maua.br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap