119 views 4 mins

Com o retorno do presencial, profissionais optam por vagas remotas nos Estados Unidos

em Destaques
quinta-feira, 26 de outubro de 2023

Trabalhar para a gringa tem sido opção de brasileiros que preferem home office; fintech ajuda a receber pagamentos de empresas americanas

A longevidade do trabalho remoto no mercado brasileiro tem sido questionada por profissionais e organizações nos últimos meses. Colaboradores têm tido preferência pelo trabalho híbrido (75%), segundo pesquisa realizada pela empresa de recrutamento PageGroup. Porém, muitas companhias têm demandado que os profissionais estejam fisicamente presentes no escritório diariamente, conforme afirmaram 53% dos entrevistados no levantamento realizado no início do ano pela PwC. Nesse cenário de incertezas e embate entre as modalidades, aqueles que preferem o home office de forma total encontraram, em empresas gringas, a opção de trabalhar de forma remota.

O número de brasileiros contratados por empresas estrangeiras praticamente dobrou de junho do ano passado para este ano, de acordo com a Deel, empresa de recrutamento internacional. O mesmo levantamento mostra que os Estados Unidos é o país que mais contrata brasileiros (67%).

“No Brasil, algumas empresas estão pouco a pouco voltando para o presencial, mas nós acreditamos firmemente que o trabalho home office não vai acabar tão cedo. Esta modalidade proporciona diversas flexibilidades perante uma rotina tão agitada e que demanda produtividade. Com a possibilidade da opção remota e de ganhar o salário em moeda estrangeira, profissionais brasileiros têm encontrado em empresas americanas uma oportunidade fenomenal”, comenta Teymour H. Farman-Farmaian, CEO e co-founder da Higlobe, fintech de solução de pagamentos para freelancers e contratados brasileiros que trabalham remotamente para empresas nos EUA.

Segundo o executivo, a força de trabalho brasileira é uma das mais procuradas por empresas dos Estados Unidos, pois entrega uma excelência em expertise e inovação. A procura de empresas americanas por profissionais brasileiros tem aumentado, mas o desejo dos profissionais brasileiros de trabalharem para o exterior também.

“É uma via de mão dupla que tem feito essas oportunidades se potencializarem e surgirem. Foi exatamente por esses fatores, que fazem dos EUA um ótimo país para contratar e dos profissionais brasileiros uma força de trabalho espetacular, que trouxemos a Higlobe até o Brasil”, comenta Teymour.

Uma das principais vantagens de trabalhar remotamente para empresas dos EUA é a de receber seus pagamentos em dólar de forma simples, segura e rápida por meio de soluções que não cobram taxas de transferências. A Higlobe oferece essa realidade ao profissional, permitindo que ele escolha o melhor momento para fazer suas retiradas para a conta local, seja via Pix ou TED, e oferecendo o menor custo do mercado para transferências dos EUA.

Além de receber em uma moeda estrangeira, os benefícios que os profissionais encontram ao trabalhar para companhias americanas são se aproximar da cultura de outro país, estreitar laços com pessoas estrangeiras, aprimorar seu inglês e agregar experiências globais ao seu portfólio e currículo. O próprio fato de a prestação de serviços ser remota traz menos gastos na locomoção até o trabalho e possibilita ganhar tempo para se dedicar a outros afazeres.

A área de TI é a que mais tem se beneficiado em relação à exportação de talentos brasileiros. “Isso porque o setor requer profissionais com capacidades inventivas, analíticas, habilidades interpessoais e técnicas aprimoradas, além de pessoas que consigam se adaptar a novas rotinas e circunstâncias fora da sua zona de conforto. Essas e tantas outras qualidades o mercado brasileiro tem de sobra”, complementa o CEO da Higlobe.