Cinco tendências do mercado audiovisual para 2021

Em uma época de grande transformação digital, o setor audiovisual se tornou um das principais ferramentas para a comunicação eficaz de pessoas e organizações, já que está diretamente ligado ao modo em como a sociedade cria e consome conteúdo. Em 2020, durante o isolamento social em decorrência da pandemia, os vídeos se tornaram tanto escapatória de entretenimento, quanto uma forma de interlocução e conexão entre empresas e seus colaboradores e método de educação.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Kantar IBOPE Media, 98% dos usuários de internet consomem algum tipo de conteúdo via streaming de áudio ou vídeo e 73% afirmam que o consumo de streaming de vídeo (pago ou gratuito) aumentou após o início da atual crise. Por isso, uma série de tendências surgiram neste período, que tendem a se fortalecerem ainda mais em 2021. A produtora de conteúdo e tecnologia, Prime Arte, cita cinco delas:

  1. Inteligência Artificial – A implementação da Inteligência Artificial (IA) na vida cotidiana dos consumidores tornou-se natural e não seria diferente se todos os setores implementassem esse recurso na maneira em que interagem com seus clientes, parceiros e colaboradores. Deep Learning, Machine Learning, Neural TTS e Deep Fake são algumas das ferramentas de Inteligência Artificial mais utilizadas pelas produtoras audiovisuais atualmente.

Com elas, é possível armazenar números absurdos de dados, construir roteiros personalizados para cada tipo de demanda, produzir vídeos utilizando serviços cognitivos de vozes neurais, capazes de criar vozes realistas em diversas entonações e em várias línguas a partir de qualquer texto.

Quanto mais tecnologias vão surgindo, mais as empresas precisam se moldar a elas. O vídeo 360º, por exemplo, que usa uma câmara omnidireccional ou várias câmaras para filmar em todas as direções, imerge o usuário de forma que ele pode controlar o que está vendo, passando a sensação de interação com o vídeo, deixando o conteúdo muito mais interessante.

  1. Direção remota – Desde março de 2020, as produtoras audiovisuais tiveram que encontrar novas formas de continuar a fornecer seus produtos, já que a quarentena imposta pela pandemia no novo coronavírus paralisou todas as filmagens e qualquer tipo de produção. Uma das melhores soluções encontradas para aquelas que precisavam se locomover para outras cidades e estados foi a captação de vídeos com equipes remotas.

Ao contratar plataformas e equipes locais, além de alinhar todas as expectativas entre cliente e produção, é preciso estudar uma série de fatores, como clima e horário, a fim de evitar qualquer contratempo. A direção remota se tornou uma realidade que deve continuar crescendo, já que empresas e produtoras descobriram, dependendo da complexidade de um projeto, a praticidade, não só artística como em questões de custos, da contratação de equipes terceirizadas.

  1. Vídeos para marketing – Eles já existiam, mas tiveram que se reinventar num ano em que todo mundo produzia vídeos a cada minuto. Mais do que um projeto tradicional bem produzido, a produção de conteúdo personalizada, falando diretamente com o consumidor, foi a chave para se destacar da concorrência.

Lives e webinars criativos, exibição e apresentação dos produtos em vídeo foram alguns dos métodos encontrados por muitos negócios, além de mesclar audiovisual e tecnologia nas na criação de peças de marketing, customizando-as com os dados de cada cliente a fim de criar uma experiência única. Uma das técnicas mais interessantes é o Motion Graphics, mais dinâmico e didático que outras formas de vídeo, ele trabalha com recursos de animação e design para construir uma narrativa mais eficiente e atrativa.

  1. Audiovisual como forma de comunicação – A tendência de empresas ou instituições de ensino utilizarem produções audiovisuais como meio informativo e educacional já vem de anos, mas nunca foi tão forte quanto nos últimos meses. Para além de instrumento institucional para comunicação interna em corporações ou vídeo-aulas para EAD, o formato é uma das maneiras mais assertivas para engajar clientes, colaboradores ou alunos produzindo conteúdos que vão além do padrão tradicional.

Isso pode ser visto em temas voltados sobre saúde e bem-estar durante o período de isolamento social, dicas para render no trabalho e nos estudos em casa, mensagens de empatia e apoio à todos que estão passando por esse periodo delicado, entre outros. Triplicaram de tamanho e vão continuar em alta também os vídeos tutoriais, que ensinam o público todo o tipo atividade, seja cozinhar, costurar, consertar algum objeto ou se exercitar.

  1. Acessibilidade audiovisual – Prática cada vez mais essencial, plataformas audiovisuais com audiodescrição, legendas e Libras ganham destaque por, além de seguirem a fundo as normas de acessibilidade no audiovisual, trabalham pautas de inclusão e igualdade, ajudando pessoas com deficiência no convívio social e a facilitar o seu atendimento.

Segundo o IBGE, cerca de 28 milhões de brasileiros possuem graus de surdez e 6,5 milhões possuem deficiência visual. Os temas sociais estão em evidência e os usuários estão de olho em quem expressa preocupação e busca engajamento sobre a questão. Portanto, organizações que se dedicam à causa e praticam a comunicação acessível em projetos audiovisuais se tornam exemplo de comprometimento e respeito, e encontram nessa parcela da população novos consumidores. Fonte: (https://primeartevisual.com.br/).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap