A potência das redes 5G e seu impacto na infraestrutura crítica

Gustavo Pérez (*)

As redes 5G serão muito mais densas do que as redes 3G e 4G existentes. Isso é essencial para que aconteça a entrega de suas duas promessas: maior largura de banda e menor latência. As atuais redes 5G oferecem um aumento exponencial de velocidade e a transmissão de uma maior quantidade de dados.

Isso possibilita o uso de aplicações mais avançadas e críticas. Essa nova era representa um grande desafio para as operadoras devido à complexidade de gerir milhões de sites e de dispositivos para entregar 5G. A pandemia trouxe uma mudança enorme nos hábitos dos consumidores.

O setor de telecomunicações se adaptou a esta nova realidade e à digitalização acelerada com a implementação de um espectro maior, possibilitando redes mais robustas e uma melhor qualidade. Quais são os pontos críticos que os provedores de serviços e as operadoras de telecomunicações precisam pensar em adaptar para a nova rede? Aqui estão as considerações principais:

  • O consumo de energia e o impacto ambiental – As redes 5G requerem mais sites, o que terá um impacto no consumo de energia e gerará mais dióxido de carbono se as medidas adequadas não forem tomadas. Portanto, as operadoras de telecom precisam aproveitar as funcionalidades de eficiência energética dos dispositivos com corrente contínua e alternada.

Vale a pena, também, explorar os equipamentos de refrigeração com funções de economia de energia lançados para dar suporte aos equipamentos para as redes 4G. Outro ponto a ser considerado é a transição das baterias de chumbo para baterias de lítio, as quais podem ter um impacto positivo no custo do site e no consumo de energia, já que o uso de baterias de íon-lítio pode permitir a redução na capacidade do ar condicionado ou a sua retirada.

Apesar das redes 5G serem até 90% mais eficientes por unidade de tráfego do que suas antecessoras (4G), elas ainda precisam de muito mais energia devido ao aumento da densidade da rede, à grande dependência que têm dos sistemas de TI, ao maior uso das redes e ao crescimento acelerado do tráfego.

De acordo com uma pesquisa da SLT Partners em conjunto com a Vertiv, intitulada Por que o Gerenciamento de Energia é Crítico para o Sucesso do 5G, espera-se que, até 2026, as redes de telecom consumirão entre 150% e 170% mais energia do que consomem atualmente. Considero que isso seja uma grande oportunidade para endereçar a questão da eficiência energética na etapa de design da rede, antes de implementar o 5G.

  • A rede 5G e o Edge da rede – O crescimento exponencial no tráfego de dados pelo qual estamos hoje passando – e que continuará pelos próximos anos – traz desafios adicionais para as operadoras de telecom. A Internet das Coisas (IoT) e o crescente número de dispositivos conectados têm um impacto direto sobre a temperatura nos racks devido ao aumento no processamento de dados.

Como as aplicações no edge da rede se tornaram cada vez mais essenciais para as operações empresariais críticas, os sites se tornaram mais robustos e sofisticados, com requisitos de disponibilidade no nível de data centers empresariais e com recursos de monitoramento e gerenciamento remotos.

As operadoras de telecom precisam levar esse ponto em consideração para garantir soluções de refrigeração que possam dar suporte a esses tipos de requisitos críticos de forma confiável e segura. Os data centers tradicionais provavelmente não farão o suficiente para atender aos requisitos de velocidade para aplicações relacionados à conectividade restrita, realidade virtual e computação de alto desempenho rodando nas redes 5G.

Portanto, micro data centers ou data centers que proporcionem soluções para as aplicações de baixa latência são necessários nas redes de edge. Aqui, outros tipos de soluções compactas e de alta densidade serão requeridas para manter a confiabilidade que essas aplicações precisam.

  • O papel do Governo no sucesso do 5G – Os governos federais, estaduais e municipais têm um papel chave no sucesso da implementação do 5G. Eles são cruciais quando preparando concorrências de lançamento ou autorizações para novas tecnologias, bem como na concepção de novas leis ou modificações na legislação atual para a instalação das antenas de 5G.

Normas regulatórias para serviços de telecomunicações nos países da América Latina são ultrapassadas para o 5G. Elas precisam ser atualizadas para garantir os níveis de serviços e para garantir que as operadoras não sacrifiquem a qualidade dos serviços na sua corrida para competir.

  • A importância do 5G – Estamos vivendo tempos com muitas mudanças, incluindo desafios relacionados à potência do 5G. Conforme as implementações das redes 5G continuam pelo mundo, ainda há muito a fazer para entregar maior largura de banda e velocidades maiores. São ações essenciais para suportar a criação do mundo 5G, com aplicações como vídeos de alta definição, jogos de ultrabaixa latência e telemedicina avançada.

Entre os pontos que têm de ser equacionados estão a disponibilidade, a eficiência e a preservação dos recursos das operadoras de telecomunicações.

(*) – É Diretor de Vendas para contas nomeadas para a Vertiv América Latina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap