O influencer

Heródoto Barbeiro (*)

Ninguém sabe até onde vai o seu domínio sobre a cabeça das pessoas. O fato é que o influencer arrebanha uma multidão de seguidores fiéis.

São capazes de mudar hábitos e costumes e alavancar a venda de produtos. Sua característica principal é dar uma versão pessoal nas suas aparições, quando empenha sua palavra e prestígio que o produto que anuncia é de boa qualidade. Descreve tudo o vende e diz que experimenta e se não gostasse diria abertamente.

Os seguidores confiam em seu depoimento e alavancam as vendas. Se ele diz que é bom e consome o produto, está tudo resolvido. Sua liderança de espalha para outras áreas e incentiva gostos musicais, estilo de roupas, sapatos, e uma infinidade de comportamentos.

Arrisca-se a fazer comentário sobre o que acha justo ou injusto na sociedade e não perde a oportunidade de arriscar alguns conselhos que vão da auto ajuda às crenças religiosas. Seu alcance se deve a tecnologia de comunicação.

A liderança aumenta na medida que os gadgets barateiam de preço e mesmo as camadas mais pobres podem adquiri-los. Nem que seja através de um longo e caro crediário, que ele mesmo anuncia e dá o aval. Graças a eles é possível atingir milhões de pessoas, potenciais seguidores do influencer.

Não só nas maiores cidades do Brasil e suas regiões metropolitanas, mas também nas pequenas cidades do interior e as fazendas afastadas de tudo. O influencer tem uma linguagem popular, alegre e se esmera em selecionar apenas temas e noticiais otimistas e de forma superficial. É um misto de show, notícias, humor, prestação de serviços e outros assuntos que possam agradar os seguidores.

Graças a audiência que conquista se torna uma celebridade e com isso está sempre nas colunas mais badaladas. Tudo o que faz, ou simula fazer, se torna “notícia”. Seus amigos vão no reboque de sua popularidade.

As agências de publicidade refazem sua estratégia de buscar as melhores opções para os seus clientes. Descobrem que o retorno dos investimentos publicitários é maior quando pagam o cachê de um influencer. O comercial com ele não tem tempo rígido como nos anúncios tradicionais que duram, geralmente, 30 segundos.

E ninguém pode garantir que público alvo é atingido. Já com o influencer a duração do anúncio sempre é maior, ou seja, paga-se um cache de 30 segundos e ele fala um minuto ou mais. Não é possível fazer um testemunhal em um tempo muito curto. Além disso ele mesmo tem sua agência de publicidade, quando vende 30 segundos para a empresa em que trabalha, fala uns dois minutos e recebe o valor de 30 segundos por fora.

A remuneração principal vem dos testemunhais que tão bem sabe fazer. A tecnologia das ondas médias, curtas e tropicais, da década de 70, levam a voz, o charme, a liderança do comunicador que lidera a audiência do rádio no início da manhã.

Ele é o influencer mais conhecido do Brasil e seus jargões são repetidos à exaustão pelos seus fãs.

(*) – É âncora do Jornal da Record News em multiplataforma ([email protected]).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap