“Ética e Integridade”

Foi com imenso prazer que aceitei dar vida à coluna Ética e Integridade, que terá destaque aqui, no Jornal Empresas & Negócios, todas as terças-feiras, com o propósito de engajar leitores, empreendedores, empresários e colaboradores nesta reflexão sobre esse tema essencial para empresas e sociedade, seja na esfera pública ou privada, e principalmente, naquela que compete a todos nós, a da cidadania.

Quero que esse espaço também seja seu, e que se sinta à vontade para compartilhar suas considerações sobre o que é ser ético e íntegro no mundo de hoje, de forma que possamos todos contribuir, cada qual em nosso pequeno espaço, para tornar o todo melhor, a cada dia.

Mas de que ética e integridade estamos falando, afinal?

Da integridade e da ética em todas as suas possibilidades: a da moral, do comportamento, do respeito, das atitudes, da conduta, da conformidade com leis, códigos, políticas, procedimentos, controles e do policiamento para salvaguardar a dignidade social, a honra nos negócios, o respeito ao meio ambiente, e acima de tudo, às pessoas.

Particularmente no âmbito empresarial, a ética está ligada à legitimidade da empresa, do seu direito de operar respeitando os princípios e valores que regem a sociedade, afinal, nós, cidadãos, esperamos mais das organizações do que a oferta de empregos, produtos e serviços. Esperamos um comportamento moral e íntegro, aliado à sua responsabilidade social, um propósito verdadeiro de valor, através do qual a competividade não se torne exacerbada, tornando-se um fim em si mesma, ferindo direitos de trabalhadores, concorrentes, consumidores, entre outros.

Tomemos como exemplo os casos recentes de vazamentos de dados de milhares de indivíduos e empresas ocorridos no Brasil e no mundo. Mesmo após a entrada em vigor de leis que regulamentam a proteção de dados privados, como a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) aqui no país, e a GDPR (General Data Protection Rule) na Europa e nos Estados Unidos, ainda não foi esclarecido, pelos órgãos públicos, que medidas serão tomadas para corrigir problemas e responsabilizar empresas pelos vazamentos, de forma clara e transparente para o público.

No que diz respeito a dados privados especificamente, além do respeito à lei, deve haver, sobretudo, uma preocupação ética por parte das instituições quanto à legitimidade de propósito quanto ao uso desses dados, e a responsabilidade, em último caso, por qualquer dano moral e econômico causado aos seus titulares. No entanto, o que temos visto de fato, é o prejuízo somente para o titular cujo dado foi vazado.

Nesse contexto, um bom programa de integridade deve não apenas promover a conformidade com as leis, evitando riscos e fraudes, mas também garantir o comportamento ético da empresa ou órgao público em relação aos interesses da sociedade.

Outro exemplo que reforça esse argumento foi o aumento pela Câmara dos Deputados, ao final do mês passado, de mais de 170% do teto de reembolso das despesas médicas para os titulares da Casa, passando de R$ 50 mil para cerca de R$ 135 mil em procedimentos médicos não cobertos pelo plano de saúde que os 513 deputados e seus dependentes já possuem.

No auge da maior crise na área da saúde vivida pelo país, em que milhares de brasileiros sequer têm plano de saúde e morrem nas filas à espera de um leito por causa da Covid, embora essa decisão da Camâra possa ter base legal, ela definitivamente não foi nem ética, nem íntegra, podendo até mesmo ser considerada imoral, pela falta de solidariedade com a maioria da população brasileira, depondo extremamente contra a credibilidade da classe política e de suas lideranças.

Saiba quem é a nossa Colunista: Denise Debiasi é Country Manager e Líder de Investigações Globais e Inteligência Estratégica da BRG Brasil, braço local da consultoria americana Berkeley Research Group (BRG), presente nos 6 continentes e mundialmente reconhecido pelo expertise e reputação de seus profissionais nas áreas de investigações globais e inteligência estratégica, governança e finanças corporativa, conformidade com leis nacionais e internacionais de combate à corrupção, antissuborno e antilavagem de dinheiro, arbitragem e suporte à litígios, entre outros serviços de importância primeira em mercados emergentes. Email: [email protected] | Site Corporativo: www.thinkbrg.com.br |Siga: www.linkedin.com/company/brg-brasil/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap