O mercado de trabalho não será mais o mesmo

Diones Wolfart (*)

Uma das palavras evidenciadas com a pandemia da Covid-19 é a transformação.

Todas as relações humanas estão passando por mudanças. As pessoais estão intensas, seja pelo autoconhecimento que o isolamento social tem provocado, seja pela interação com o próximo, com o maior convívio com a família e mais empatia e responsabilidade com o outro.
As relações trabalhistas, obviamente, também são impactadas. O mercado de trabalho está e será diferenciado pós-pandemia.

Está claro que esta crise de saúde e econômica global está afetando as organizações seja no modo de execução de seus trabalhos ou até mesmo no encerramento das operações de algumas empresas. Por enquanto, vivemos um período de muitas incertezas, o que exige do trabalhador e empresas atitudes diferenciadas. Minha orientação enquanto profissional de RH para os trabalhadores é: se você estiver ativo no mercado de trabalho, análise com cautela qualquer tomada de decisão relacionada à mudança de emprego ou de carreira.

É importante considerar as condições atuais de seu trabalho e o contexto em que está inserido na empresa, valorize os benefícios que este trabalho proporciona a você e a sua família. Quem não está no mercado de trabalho deve ver neste momento as oportunidades. Muitas empresas estão com vagas e profissionais estão conseguindo a recolocação agora. Recomendo ainda que este período seja utilizado também para aprimoramento profissional e pessoal, com o desenvolvimento de competências que tornam-se diferenciais.

O distanciamento social exigiu novos comportamentos e estratégias de todos, tornando as informações e cursos mais acessíveis de maneira virtual, e muitas vezes gratuita. É o momento de aproveitar estas oportunidades, estando empregado ou não. Aproveitar o tempo com qualidade fará toda diferença para o futuro, já que o mercado de trabalho exige capacitações e comportamentos específicos.

Home office, reduções de jornada, inteligência artificial, a otimização de tempo, equipamentos, espaços físicos e recursos e as mudanças comportamentais da sociedade são adaptações que alteram o cenário do mercado de trabalho. Muitas delas já eram uma tendência, mas foram antecipadas intensamente agora e não devem recuar, como a revolução digital. Empresas e trabalhadores terão outras modulações.

As empresas devem assumir uma atitude muito mais responsiva. A busca de soluções, produtividade e faturamento deve estar ainda mais atrelada ao compromisso social, econômico, ambiental e, mais do que nunca, sanitário. Os espaços físicos das empresas ganham mais status de convivência e troca de conhecimentos. Os líderes precisarão ser mais incentivadores e menos concentradores. Novas habilidades serão valorizadas nos profissionais.

As soft skills, que já vinham de um crescente destaque no mercado de trabalho, ganham mais espaço. Flexibilidade, autogestão, criatividade, autodisciplina, criticidade, resiliência, empatia e inteligência emocional são capacidades que estão e continuarão em alta. O que não deixa dúvidas é que o modelo de trabalho se transformará e a exigência para todos é a reinvenção.

É importante observarmos as oportunidades que temos nesse período de pandemia e um dos aprendizados relevantes é a tomada de consciência dos nossos propósitos pessoais e profissionais. Sigamos com otimismo e responsabilidade, tomando todas as medidas preventivas e cuidados com a nossa vida e a do próximo.

(*) – Graduado em Engenharia de Produção com MBA em Gestão Empresarial e Projetos pela FGV, é diretor de Recursos Humanos da Prati-Donaduzzi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap