Em se plantando… Se recebe

Benedicto Ismael Camargo Dutra (*)

Tudo o que fazemos são como sementes plantadas que trarão a colheita.

O reconhecimento da atividade desenvolvida pela natureza, aqui na Terra, bem como em todos os planetas, sóis, estrelas, cometas, galáxias e buracos negros, é um processo que requer esforço para a compreensão de que tudo está interconectado para que as Leis perfeitas, porém bem simples, que regem a atividade da natureza e dos seres humanos, se cumpram incondicionalmente.

“Em se plantando… se recebe”, o novo livro de José Guimarães Duque Filho mostra, com belas imagens, a aplicação da lei natural: tudo o que fazemos são como sementes plantadas que trarão a colheita. Um pequeno livro no qual o autor busca a reparação do muito que fizemos em oposição a essas leis naturais que visam o bem da humanidade. Entender essas leis, pô-las na nossa vida cotidiana em todas as situações, é dever do ser humano.

O planeta Terra também está recebendo o que foi plantado pela humanidade, seja no ambiente da natureza, seja na vida econômica e social a qual, como um todo, permanece embrutecida e meio sem rumo. A época é áspera e hostil. Cada vez menos percebemos ações nascidas no eu interior, o espírito. O raciocínio comanda as ações que mais parecem ser programadas. Os aspectos materiais dominaram o espiritual ganhando supremacia. Não houve o polimento na convivência para adquirir autodomínio e nobreza como era esperado.

Há quem diga que a geração que está saindo da adolescência tem outras percepções, e não possuem o mesmo ímpeto das gerações anteriores. Muitos jovens são reativos, mas fogem da lei do movimento, descontentes com a vida, pouco interessados em buscar o saber do significado dela. Lamentavelmente, no mundo todo as novas gerações estão diferentes, mas no Brasil o estrago foi grande com falhas na educação, falta de responsabilidade de pais e mães, e muitos apelos negativos na mídia.

Os avanços na TI possibilitam a aceleração e aumento de tudo que é lançado globalmente sobre a mente dos seres humanos, havendo mais mentiras do que verdades despertando o interesse. Os acontecimentos estão indo no galope, o tempo encurta, as pessoas estão pressentindo quanto tempo já perderam com coisas inúteis. O que está faltando para que elas despertem da estagnação espiritual? Aqueles que se esforçam para alcançar o autoaprimoramento têm muitos inimigos que trabalham para as trevas para desviá-los do caminho da Luz.

As trevas envolveram a Terra. Loucura e insensatez tendem a aumentar, gerando o caos. Se não ficarmos vigilantes, o aumento do estresse, os descontentamentos e a tristeza acabarão moldando o nosso querer. Perde-se a esperança de que os desencontros possam ser amenizados pela generosidade. As novas gerações encontram o terreno minado e vão avançando em meio às trevas.

Estamos enfrentando crises em todos os setores da vida humana, como fruto da falta de maturidade espiritual. Da economia ao meio ambiente. Dos conflitos regionais à violência urbana. Estamos distantes da evolução que possibilitaria a convivência harmoniosa e pacífica, tornando as condições de vida cada vez melhores, com mais beleza, resultante da atuação de seres humanos evoluídos.

Ampliam-se as vendas dos antidepressivos e ansiolíticos. As pessoas têm de prestar atenção ao metafísico para barrar os traumas que querem invadir as suas mentes. Perceber isso claramente deveria nos levar à busca do saber sobre o significado da vida e à descoberta das motivações que impulsionam a nossa vontade e atos; enfim, à percepção da necessidade de buscar a cura psico-espiritual para sermos sadios de corpo e alma.

A educação segue cada vez mais na direção do materialismo e da economia deixando o humano de lado. A liberdade plena requer o saber amplo sobre o significado da vida. “Conhecereis a Verdade e ela vos libertará”. Onde buscar a Luz da Verdade neste mundo dominado pelo dogmatismo, fake news e teorias engendradas pelo raciocínio, impostas coercitivamente aos seres humanos?

O importante é olhar para a realidade e saber como a vida e suas leis funcionam, pois as teorias, muitas vezes, fogem da naturalidade e perdem a clareza e simplicidade, afastando-nos da vida real e da gratidão ao solo onde tivemos a graça de nascer.

(*) – Graduado pela FEA/USP, faz parte do Conselho de Administração do Hotel Transamerica Berrini, realiza palestras sobre qualidade de vida. Coordena os sites (www.vidaeaprendizado.com.br) e (www.library.com.br). E-mail: [email protected]; Twitter: @bidutra7

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap