As diferenças entre gripe e resfriado

Thaís de Souza Lima (*)

Com a chegada do inverno quadros de gripe e resfriado são cada vez mais frequentes entre a população. A busca pelo refúgio do frio e a proximidade das pessoas facilita a aquisição dessas doenças.

Tanto a gripe quanto o resfriado são doenças infecciosas causadas por vírus, o tempo seco e os ambientes fechados são os principais vilões para sua disseminação. A gripe é causada apenas pelo vírus da Influenza, ele pode ser tipo A, B ou C, sendo os vírus do tipo A os que, historicamente, provocam os quadros mais problemáticos. Já os resfriados são provocados por outros tipos de vírus, como os Rinovírus, Coronavírus, Adenovírus, entre outros.

Os sintomas também são muito diferentes: no resfriado é possível manter as atividades do cotidiano, porque sentimos apenas uma sensação de mal-estar que chega de forma gradativa e com sintomas típicos como espirros e coriza. Quem fica resfriado, pode se tratar em casa com repouso, boa hidratação, alimentação saudável, além de antipiréticos (antitérmicos) e analgésicos de costume, quando necessário.

Nos quadros de gripe temos a sensação de prostração de forma repentina, porque se tem febre, beirando muitas vezes os 40oC, e dores no corpo que se estendem entre três e sete dias. É importante procurar o médico, já que o vírus da gripe pode se espalhar pelo sistema respiratório (traqueia, brônquios e pulmões) e favorecer o desenvolvimento de infecções secundárias, resultando em um agravamento da doença e até a morte.

As duas populações mais susceptíveis à gripe são as crianças menores de cinco anos e os idosos. Isto se explica pelo fato do sistema imunológico das crianças estar em desenvolvimento ou apresentar-se debilitado, como nos idosos.

A vacinação contra o vírus da Influenza nessas populações tem como vantagem a aquisição de anticorpos protetores e que colaboram na batalha contra o vírus. As campanhas de vacinação contra o vírus da Influenza são anuais, devido à alta taxa de recombinação gênica, o que leva à formação de “novos” vírus anualmente, podendo resultar numa epidemia.

A melhor forma de evitar o contágio da gripe e do resfriado é protegendo a boca e o nariz quando se espirra ou tosse, de preferência usando um lenço ou protegendo com o braço evitando, assim, o contato das mãos com as secreções. Por isso, lave-as muito bem com água e sabão. Na ausência de um banheiro, as soluções de álcool em gel 70% são bastante eficientes e práticas.

(*) – É professora de Imunoclínica dos cursos de Farmácia e Biomedicina da UMC Universidade, Campus Villa Lobos/Lapa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap