Reforma trabalhista recebe 844 emendas; relatório deve ser apresentado na quarta-feira

O relatório do projeto que trata da reforma trabalhista, deve ser apresentado na Câmara na próxima quarta-feira (12). Ao todo, o projeto recebeu 844 emendas nos 13 pontos abordados pela reforma

Divulgação

O projeto altera as regras da CLT e outros dispositivos.

Heloísa Cristaldo/Agência Brasil

O relator, deputado Rogério Marinho (PSDB/RN), criou uma força-tarefa para agrupar as propostas de acordo com os temas tratados pelos parlamentares em suas sugestões. “O volume de emendas que recebemos é uma demanda reprimida não para uma minirreforma, mas para uma reforma estruturante das relações de trabalho no país”, disse Marinho.

O projeto altera as regras da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e outros dispositivos. Também possibilita que, nas negociações entre patrão e empregado, os acordos coletivos tenham mais valor do que o previsto na legislação, permitindo, entre outros pontos, o parcelamento de férias e mudanças na jornada de trabalho. Segundo Rogério Marinho, o parecer inclui ainda uma série de questões não abordadas no PL.
“Existe uma série de emendas que tratam de novas formas de trabalho que não estão contempladas na legislação atual. No nossos substitutivo, vamos ampliar o escopo, justamente por esse processo de demanda reprimida, vamos buscar o consenso possível”, ressaltou. Para ele, a proposta enviada pelo governo visa a modernizar a legislação e desburocratizar o setor, ao preservar empregos e abrir novas oportunidades de trabalho. “A regra deve ficar clara e transparente para dar segurança jurídica”, afirmou.

O relator, deputado Rogério Marinho (PSDB/RN).De acordo com o deputado Vitor Lippi (PSDB/SP), o alto índice de sugestões parlamentares representa a terceira maior contribuição da história da Câmara. Autor de 21 emendas, Lippi argumenta que as sugestões avançam em relação ao conteúdo do PL enviado pelo governo federal, pois os parlamentares identidificaram, no atual debate, a oportunidade para aperfeiçoar as relações trabalhistas.

“Ninguém vai retirar nenhum direito dos trabalhores e não vão diminuir as exigências de trabalho, somos favoráveis a manter os direitos previstos na CLT. No entanto, entendemos que a legislação precisa encontrar formas de atender às novas necessidades de mercado, à evolução da atividade da economia e novas profissões”, disse.

Segundo o parlamentar, o Brasil é campeão de ações trabalhistas no mundo. “Temos 50 vezes mais ações trabalhistas do que países com a mesma dimensão, como os Estados Unidos e a França. São 4 milhões de novas ações por ano, isso é inédito no mundo e significa que nossas instituições não têm conseguido alcançar harmonia, percebemos que somos campões absolutos em conflitos”.

Entre as sugestões de Lippi, está a proporcionalidade das indenizações reivindicadas na Justiça do Trabalho. “Vemos pessoas que trabalham há um ou dois anos e pedem indenizações milionárias de R$ 100 mil, R$ 200 mil, R$ 500 mil. É praticamente uma litigancia de má-fé. Na minha proposta, essas indenizações ficam limitadas ao numero de salário vezes o número de anos trabalhados. Assim, há uma proporcionalidade e razoabilidade dentro do que a pessoa vai pedir”, explica.

Deputado Vitor Lippi (PSDB/SP), autor de 21 emendas.O deputado Chico Alencar (PSOL/RJ) pediu a retirada integal de três artigos do projeto. Ao justificar a supressão do item que dá novo texto ao Artigo 58 da CLT, o parlamentar considera que a nova regra “permite que trabalhadores sejam contratados para exercer funções que deveriam ser provisórias, temporárias e parciais, de modo quase integral”. Em outro pedido de supressão, Alencar justifica que o texto sobre trabalho temporário segue a lógica de precarização do trabalho.

“Há também nas alterações promovidas por esse artigo a exclusão dos trabalhadores domésticos dos mínimos direitos assegurados aos trabalhadores temporários, o que caminha no sentido contrário da tendência internacional de proteger mais pessoas em relações de desigualdade extrema”, afirma.

Para ele, a comissão especial que trata do tema já tem maioria para a aprovação do PL.

A tendência, segundo Alencar, é de resistência dentro do plenário da Câmara. Segundo ele, um grupo de parlamentares do PT, PSOL e PCdoB decidiu não apresentar emendas ao PL por não concordar com praticamente a totalidade de novas regras. “No meio do nosso trabalho [da Comissão Especial de Reforma Trabalhista], o plenário aprovou a terceirização irrestrita, ilimitada, já sancionada por Temer. Pode ser que isso, paradoxalmente, já nos dê oportunidade de barrar um ou outro projeto. O cenário é desfavorável às categorias menos organizadas, mais fracas, que são muito atingidas pelas propostas”.

Relator defende debate pelo plenário da Câmara

Reforma 4 temporarioO relator do projeto, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), disse concordar com parlamentares que defendem que a proposta do Poder Executivo seja discutida também no plenário da Câmara. "Sou favorável", afirmou Marinho ao ser questionado sobre a iniciativa de deputados contrários à proposta, que, prevendo a aprovação do parecer de Marinho, tentam reunir os votos necessários para levar o assunto ao plenário.

"Eles têm meu voto. Não creio que um projeto dessa estatura deve ser discutido apenas pela Comissão Especial. É importante e necessário que o conjunto dos deputados possa participar da discussão desse projeto, que é tão importante para o país", acentuou. A audiência pública de ontem (6) foi a última antes da data anunciada por Marinho para apresentar o seu relatório, na próxima quarta-feira (12) (ABr).

Parlamentares pedem mais tempo para análise

Deputados de oposição, como Wadih Damous (PT-RJ), acusaram Marinho de "atropelar" o plano de trabalho inicialmente acordado e pedem mais tempo para o debate. Como o projeto tramita em caráter conclusivo, se os membros da Comissão Especial aprovarem o relatório de Marinho, o projeto seguirá diretamente para o Senado, sem a necessidade de passar pelo plenário da Câmara. No entanto, o regimento da Casa estabelece que os deputados que quiserem podem entrar com recurso a fim de tentar levar o plenário a analisar o tema. Para tanto, precisam reunir 51 votos.

Além de reafirmar a intenção de apresentar seu relatório na próxima quarta-feira, Marinho assegurou que recomendará o fim da contribuição sindical obrigatória, tornando-a opcional. Para o relator, o excesso de entidades sindicais prejudica a representação do trabalhador e o fim da contribuição obrigatória pode democratizar o processo sindical brasileiro (ABr).

Mais artigos...

  1. Proposta proíbe concurso público exclusivo para cadastro de reserva
  2. Há 40 anos, ditadura impunha Pacote de Abril e adiava abertura política
  3. Como a dívida pública afeta cada brasileiro
  4. Lanchinhos no trabalho: Quais substituições podem ajudar a evitar os deslizes da dieta
  5. Abelhas sem ferrão têm guardas especializadas para defender suas colmeias
  6. Discurso das novas dietas reforça padrões de beleza inalcançáveis
  7. Efeitos da seca acentuam de maneira permanente perda florestal na Amazônia
  8. Jogadores contam histórias do preconceito enfrentado na Europa
  9. Saúde e boa forma: aposte na dieta para eliminar a barriga e controlar a síndrome metabólica
  10. Brasil carece de legislação para reúso de água
  11. ONU: crise econômica emperra desenvolvimento humano no Brasil
  12. Livro revela o pouco conhecido Holocausto da Transnístria
  13. Lava Jato completa três anos de investigações com 260 acusados criminalmente
  14. Livro mostra as verdadeiras origens de Corinthians, Palmeiras e São Paulo
  15. Doença renal crônica leva mais de 120 mil brasileiros para hemodiálise
  16. Orçamento taxava dono de escravo e previa salário para Pedro II
  17. Desafiando o Império, há 200 anos Pernambuco criava primeira República do Brasil
  18. Reforma promete ensino médio mais atraente
  19. Maioria das mulheres no Brasil e no mundo prefere trabalhar a ficar em casa
  20. As mulheres e o direito ao esporte
  21. Onde se escondem as poucas onças-pintadas que sobraram
  22. Como apostar nas fibras para reduzir o inchaço e melhorar a saúde
  23. Construção de cisternas leva desenvolvimento à região do semiárido
  24. Bacalhau do Batata levou trabalhadores e foliões para as ruas de Olinda
  25. Novas regras para deportação geram apreensão entre imigrantes nos EUA
  26. Entra em vigor acordo global que pode gerar US$ 1 trilhão de comércio por ano
  27. Quando o carnaval questiona limites de sua própria liberdade
  28. Dieta e malhação: conheça os maiores erros antes e depois do treino e saiba como evitá-los
  29. Consumo de combustíveis no Brasil caiu 4,5% em 2016
  30. Brasil, um desperdiçador em dois mundos
  31. Polícia militarizada favorece manifestações como as do Espírito Santo, diz professor
  32. A explosão da economia compartilhada
  33. Não há nível de desmatamento seguro para o clima na Amazônia
  34. Nordeste entra no sexto ano do que pode ser a pior seca de sua história
  35. Crise do sistema de aposentadorias já preocupava dom Pedro II
  36. Estudo mapeia condições das favelas em São Paulo
  37. Guia alerta sobre consumo precoce de bebidas alcoólicas entre jovens
  38. O grande salto das mulheres em 2015
  39. Confira as eleições que podem mudar o mundo em 2017
  40. Mãe conta drama de enterrar filho degolado em Alcaçuz
  41. Nem leão, nem gazela
  42. A desigualdade posta à mesa
  43. Febre amarela: conheça os sintomas e saiba quando tomar a vacina
  44. Água incita disputa por terras no Nordeste 
  45. Obama termina mandato com boa aprovação e erros, mostram pesquisas
  46. Às vésperas da posse, brasileiros nos EUA estão apreensivos
  47. Oito homens mais ricos detêm mesmo patrimônio que a metade mais pobre do mundo
  48. Iphan completa 80 anos com grande patrimônio e poucos recursos
  49. Contribuições da Fiocruz à sociedade serão foco da nova presidente
  50. Passados 10 anos, ninguém foi condenado por acidente no Metrô
  51. Confira dicas para economizar e itens proibidos na lista de material escolar
  52. Brasil quer intensificar relações com os Estados Unidos e ampliar comércio
  53. Equoterapia estimula crianças com autismo
  54. Programa de cuidado com saúde mental auxilia idosos com depressão
  55. Temer terá de superar desafios políticos para conter crise, dizem especialistas
  56. O clube dos cidadãos de cor
  57. Aos 18 anos, reserva concilia geração de renda e conservação da Amazônia
  58. Ano Novo: Cardápio Novo: invista na reeducação alimentar e dê adeus ao eterno regime
  59. STF analisará em 2017 delações da Odebrecht e validade do aborto
  60. Veja fatos marcantes no cinema, na música e no teatro em 2016
  61. Baixo crescimento marcará economia em 2017, preveem especialistas
  62. Ondas gravitacionais e flor nascida no espaço; relembre fatos da ciência em 2016
  63. Reforma do ensino médio e ocupações em escolas marcaram 2016
  64. Eleição de Trump, Brexit, e outros fatos marcantes no mundo em 2016
  65. Acordo de paz, morte de Fidel e suspensão marcam América Latina em 2016
  66. Usina de Itaipu quebra próprio recorde de geração de energia elétrica
  67. Concentração de poder de mercado pode prejudicar o agronegócio paulista
  68. Suplementação de cálcio e vitamina D melhora expectativa e qualidade de vida dos idosos
  69. Ampliação adequada do Parque dos Veadeiros pode garantir proteção a 50 espécies
  70. Pesquisa detecta mudanças nos hábitos de consumo dos brasileiros como consequência da crise no país
  71. Lágrima verde
  72. Mudanças climáticas atingem do Peru a Porto Alegre
  73. Longevidade ampliada
  74. Fidel Castro, referência de revoluções latino-americanas
  75. Menos de 1% das propriedades agrícolas detém quase metade da área rural no país
  76. Cinema brasileiro é mapeado por meio da relação com outras mídias
  77. Crianças que brincam são mais saudáveis, garantem especialistas
  78. Cardiologista do HCor alerta sobre a prevenção das arritmias cardíacas e morte súbita
  79. Quando o avião virou arma
  80. Modelo hidrológico pode auxiliar a prever enchentes
  81. Livro revela intervenções dos EUA no governo JK
  82. Quando a obesidade dá os primeiros sinais
  83. Projeto verão à vista: quais as novidades para conquistar e manter a boa forma
  84. Com perspectiva de reforma, brasileiros têm dúvidas sobre aposentadoria
  85. Expectativa de vida não é dado adequado para debater Previdência
  86. Saúde em dia: Dieta equilibrada promove a manutenção do peso de maneira segura
  87. Nova lei do Simples tira do pequeno empresário o medo de crescer
  88. Entenda como a eleição de Donald Trump pode afetar o Brasil
  89. Lixo do bem
  90. Legalização das vaquejadas divide opiniões
  91. Carpeaux antes de Carpeaux
  92. Professores dão dicas a estudantes que vão fazer as provas do Enem
  93. Cobrança em terreno de marinha é contestada
  94. Campanha anticorrupção pressiona políticos
  95. Desaposentação divide opiniões de especialistas em direito previdenciário
  96. Açúcar: qual a forma mais saudável de substituir este item na dieta
  97. As vantagens e os riscos da pílula anticoncepcional
  98. A chave do destino de cada criança
  99. Estudo estima impactos do planejamento urbano na saúde
  100. Pesquisadores buscam ave desaparecida há 20 anos