75 views 18 mins

Tecnologia 14/04/2016

em Tecnologia
quarta-feira, 13 de abril de 2016

Marketing digital: como não deixar sua empresa afundar na crise

Muito já se falou sobre a crise e como além de tudo ela pode representar uma oportunidade para alguns, gerando matéria prima para atender novas e antigas necessidades do público consumidor. Não é a toa que muitos especialistas estão trabalhando dia e noite atrás de fórmulas para sair da crise, ou usá-la em seu proveito

mkt-digital temporario

Daniel Galvão (*)

Curiosamente, muitos não percebem que já temos ferramentas à disposição há muito tempo, e essa é mais uma questão de aplicação, algum investimento e criatividade, não de encontrar fórmulas mágicas, há muito perdidas ou escondidas.
De acordo com o Relatório Focus, divulgado pelo Banco Central do Brasil, em outubro de 2015, a perspectiva de crescimento da economia brasileira para o ano de 2016 é de -3%. É o pior ano para o PIB brasileiro desde antes do Plano Real, em 1990, quando se registrou uma contração de 4,20%. Sem dúvida alguma a crise é real, e os cintos serão apertados como não são há muito tempo.

Curiosamente há muitos trabalhadores desse mercado atual que jamais lidaram com uma crise. Talvez por isso é que muitos estão perdidos, acreditando que há algo mágico a ser descoberto para lidar com o problema. O cenário é mesmo assustador.

O Brasil perdeu o selo de “bom pagador” ao ter seu grau de investimento rebaixado pela agência de risco Standard and Poor, e aliado a isso há instabilidade política atual que tem impulsionado, cada vez mais, a alta do dólar. Isso tudo sem falar do desemprego que não para de crescer. O pessimismo faz parte das manhãs do brasileiro, e isso o cega para as oportunidades.

A cegueira mais clássica é a do Corte de Gastos. A fim de poupar, evitar prejuízos, as empresas param de investir, justamente no momento em que o investimento é mais necessário e ainda mais crucial para manter a estabilidade da empresa. Às vezes a escolha é remar sem parar para não sair do lugar, pois mesmo que você não vá para frente, ao menos não vai para trás.

Um dos primeiros investimentos a serem cortados é o de marketing. É uma contradição quase surreal pensar que retirar a visibilidade da sua marca é algo que vai ser positivo. Marcas gigantescas podem se dar ao luxo de poupar em algumas ações de marketing, por um tempo, pois suas imagens estão gravadas no cotidiano do consumidor de forma absurda, mas até mesmo ela sofreriam com o tempo e o desgaste, afinal novos consumidores surgem a todo momento e antigos param de comprar a todo minuto, também.

Marcas de PMEs, sobretudo, não podem se deixar cair no esquecimento jamais! O corte de gastos é uma solução paliativa, e não é que eu esteja dizendo para gastarem tanto quanto gastavam em momentos de bonança, mas simplesmente não há como parar.

Nesse caso, o melhor caminho é ponderar e ser assertivo nos investimentos. O mundo digital é onde, atualmente, mais se tem retorno do consumidor, pois essa geração é cada vez mais conectada. Sendo assim é importante garantir que a sua empresa esteja com uma estrutura financeira e operacional focada nas melhores oportunidades de negócios, e que os gastos em marketing sejam feitos com base no melhor retorno possível.

Com um estudo acertado e uma análise crítica, os investimentos podem ser melhor direcionados e trabalhados, e campos como o mundo digital, podem ser melhor explorados, já que são, obviamente, o campo fértil dessa geração. Isso trará saúde financeira para seus investimentos.

Estratégia é fundamental, é a base. Conhecimento e criatividade são as matérias primas para a construção, e o mundo digital o campo fértil. Una essas ferramentas e ai sim aplique bem o seu dinheiro, invista onde o retorno vai trazer saída e proveito, transformando a crise em oportunidade.

Além do mais você irá aproveitar diversas brechas, como a ausência de concorrência no marketing digital, já que muitos preconceitos são partilhados entre empresas. Você estará no lugar certo, poderá evidenciar sua marca como criadora de conteúdo, poderá usar o Big Data para melhorar a experiência do seu consumidor criando diferenciais no atendimento e ainda conseguirá medir tudo isso em tempo real. Além disso, essa estratégia é mais acessível que o marketing convencional.

Não existe fórmula mágica, existe apenas estratégia e trabalho duro, mas com isso bem direcionado, os esforços e o trabalho terão um norte, e com certeza, com as milhares de ferramentas disponíveis, haverá retorno. A visibilidade criada no campo certo garantirá que sua marca não seja esquecida.

Quem é lembrado sobrevive. Concentre-se em ser lembrado nos lugares certos, pelas pessoas certas; o consumidor é seu objetivo, por isso não se afaste dele, traga-o cada vez mais para perto. Faça da crise uma oportunidade, você consegue!

(*) É publicitário especializado em mídias digitais e fundador da Mango Digital.

Brasil Game Show 2016: venda do 4ª lote de ingressos promocionais acaba nesta quinta-feira

Termina às 23h59 dessa quinta-feira, 14 de abril, o prazo para comprar o ingresso de um dia da Brasil Game Show (BGS) por R$ 65 (24% de desconto) e o passaporte para todos os dias de evento abertos ao público por R$ 220 (26% de desconto). A BGS é a maior feira de games da América Latina e será realizada de 1º a 5 de setembro no São Paulo Expo/SP, o mais novo e moderno centro de exposições do Brasil.
Os valores são referentes à meia-entrada, benefício disponível para todos que doarem 1 kg de alimento não-perecível na entrada do evento, além de estudantes e portadores de necessidades especiais, idosos com idade a partir de 60 anos e professores, todos mediante apresentação de comprovação.
A partir da zero hora de sexta-feira, 15 de abril, e até 12 de maio, serão vendidos os ingressos do 5º lote, com o ingresso individual por R$ 69, e o passaporte por R$ 236, ambos meia-entrada.
Para adquirir os ingressos, visite www.brasilgameshow.com.br/sou-visitante/ingressos


Novo tablet é ótima opção de presente para o Dia das Mães

Positivo T720 2 temporario

O Dia das Mães está chegando e, especialmente para a data, a Positivo apresenta uma ótima opção de presente: o tablet Positivo T720. Entre outras características, apresenta processador quad-core de 1.0GHz, 1GB de memória RAM, armazenamento de 16GB e certificação IP-41, que garante maior resistência à água e aos ambientes com bastante poeira. O aparelho está à venda no varejo pelo preço sugerido de R$ 369.
“O interesse e a preferência das mulheres por dispositivos que cabem na bolsa e que facilitam a vida pessoal e profissional é cada vez maior. Por isso, ampliamos o nosso portfólio com um tablet que atende desde as mães que já estão conectadas até as que ainda estão descobrindo todas as possibilidades e vantagens do universo digital”, declara Samuel Matsuyama Rodegheri, diretor de Produtos da Positivo.
O Positivo T720 tem tela multitoque de 7 polegadas e conta com sistema operacional Android 4.4 KitKat, sensor de movimento e de luminosidade, microfone, alto-falante, portas de conexão micro USB, micro SD card, mini HDMI, câmeras traseira de 3MP e frontal VGA e conectividade Wi-Fi e Bluetooth. Versátil, o modelo já vem com pacote Office completo pré-instalado e permite compartilhar fotos, vídeos e arquivos, realizar vídeochamadas, conversar com amigos e familiares, navegar na internet, acessar e-mails, ouvir músicas, assistir a filmes com qualidade e ainda se informar, lendo revistas, jornais e livros. “Fazer todas essas atividades no tablet com agilidade e segurança é possível graças ao desempenho superior do processador quad-core e sua memória RAM de 1GB. Vale dizer que este modelo é o primeiro considerado de entrada a apresentar estas características. Em geral, produtos similares têm outro padrão de processamento e câmeras de 2MP, por exemplo. Por isso, estamos confiantes que quem comparar, vai optar pelo nosso Positivo T720”, enfatiza Samuel.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
• Tela: 7 polegadas touch multitoque capacitivo,
com resolução de 1024 x 600 pixels
• Processador: Quad-core de 1.0GHz
• Conectividade: Wi-Fi
• Armazenamento: 16GB de memória de armazenamento
(expansível para mais 32GB com cartão microSD)
• Memória RAM: 1GB
• Sistema operacional: Android 4.4 KitKat
• Câmera frontal: VGA
• Câmera traseira: 3MP
• Bateria: 4.000mAh
• Peso: 400g

Seu planejamento estratégico de vendas está pronto?

Gustavo Paulillo (*)

Estamos ainda no começo do ano, momento essencial para traçar as metas, principalmente as metas de vendas e criar um plano estratégico para alcança-las

Para isso, é importante realizar pesquisas, coletar informações e mapear os cenários nos quais sua empresa irá batalhar. Esse é o primeiro passo de um planejamento estratégico.
Após esse primeiro passo, um gestor precisa definir e estruturar também os próximos: definição de cenários e previsão de vendas, determinação de objetivos e quotas de vendas, como será a alocação de recursos, implantação do plano de vendas, além de acompanhar e controlar a execução.
Diante de tantas etapas e afazeres, podemos acabar nos perdendo ou deixando algum item importante de lado. Sendo assim, preparei um passo a passo para você poder estruturar cada etapa e dar o pontapé inicial no seu planejamento de vendas.

1. Coleta e análise de informações
Nesse primeiro momento, uma boa ferramenta de gestão de vendas será de grande ajuda. Com a ajuda dessas tecnologias é possível analisar todas as informações de clientes e vendas, extraindo relatórios detalhados sobre quais clientes compraram mais, qual foi o ciclo de vendas de cada linha de produto, quais foram os motivos de perdas das vendas, em quais regiões vocês venderem mais – ou então, venderam menos e o porquê isso ocorreu. Preste atenção também nas taxas de conversão entre cada etapa da venda, ou seja, qual foi o porcentual de oportunidades que avançou para a fase de visita, ou para a fase de proposta, e quantas fecharam?
Você precisa ter em mente também períodos de sazonalidade e outras informações de mercado, como crescimento previsto da economia, taxas de juros, câmbio, crises e eventos que possam influenciar suas vendas. Além disso, é importante ter o fluxo de caixa em vista, planejando as vendas e os gastos para se atingir a lucratividade.

2. Definição de cenário e previsão de vendas
Com base nesses dados coletados, você precisa imaginar qual cenário é mais provável para a sua empresa nesse ano: Aumento de vendas, diminuição e/ou estagnação?
Defina o quanto você pretende vender. Normalmente, conseguimos definir em três cenários: o mais realista, um pessimista e um otimista. Uma maneira prática de obter a previsão de vendas é aplicar um percentual de crescimento (ou queda) sobre suas vendas. Tome como base os dados históricos, de anos anteriores e faça a projeção para esse ano, considerando as variáveis econômicas de seu mercado. A partir daí, defina quanto pretende vender no período de seu planejamento estratégico de vendas, para assim também ter uma ideia de lucro ou prejuízo da empresa.

3. Determinação de objetos e quotas de vendas
Com sua previsão de vendas determinada, você precisa agora definir os objetivos de vendas para cada produto e/ou serviços. É importante que você faça isso ao longo do ano, dividindo por metas mensais, trimestrais e semestrais para melhor visualização. Depois disso, atribua as metas também para cada vendedor, conforme seu desempenho, área de atuação e estilo de venda.

4. Alocação dos recursos
Aloque seus vendedores por linha de produto/serviço ou região, porém, faça uma análise: serão necessários outros recursos? Por exemplo: treinamentos, materiais de vendas, folders, celulares, computadores e outros; será solicitada uma campanha ao marketing? Ou então carros, combustível, passagens aéreas; e, será preciso contratar novos funcionários?
Você precisa estar preparado para executar seu planejamento com todos os materiais e recursos prontos.

5. Implementação do plano de vendas
Para implementar o plano de vendas prepare uma apresentação, reúna sua equipe e apresente seu planejamento estratégico para as vendas deste ano: cronograma, materiais de apoio e tudo mais o que foi determinado. É importante alinhar com todos os objetivos, metas e ações ao longo do ano. As metas individuais de cada vendedor devem ser tratadas em particular.

6. Acompanhe o controle
Já com o plano em andamento, não deixe de acompanhar os resultados mês a mês, passar feedbacks para equipe, corrigir rumos e pensar em ações novas, caso necessário. Lembre-se: um bom planejamento só funciona bem se for executado corretamente e bem ajustado.

(*) É CEO do Agendor, app que ajuda milhares de vendedores a organizar e aumentar as vendas diariamente. Com versões gratuitas e pagas, atualmente o Agendor atende a mais de 13 mil clientes e tem nas PME’s e startups o principal público-alvo.