Tecnologia 04/11/2015

Carteira digital: o que é factível para o Brasil?

O mercado de pagamentos está em expansão em diversos países, mas no Brasil, será que essa onda vai pegar? Mundialmente, a novidade se amplia

591607-carteira-digital-visa-e-mastercard-entenda-como-funciona-1-600x600 temsproario
  • Save

Luis Hachich (*)

O Android Pay, por exemplo, nova versão do Google Wallet, mal chegou nos Estados Unidos para competir com o Apple Pay, e já tem a concorrência do Samsung Pay. No início do ano, em uma teleconferência, o presidente-executivo da Apple, Tim Cook previa que 2015 seria o ano do Apple Pay. Talvez ele pudesse repensar a afirmação e dizer que poderia ser o ano dos pagamentos móveis, mas não necessariamente da Apple.

A consultoria IDC estima que, em 2017, o mercado de meios de pagamento movimente 1 trilhão de dólares. É por isso que as grandes empresas estão investindo nisso. O novo sistema do Google, assim como o da Apple, é baseado em NFC (Near Field Communication). Já a Samsung, além do NFC, adicionou uma nova tecnologia chamada Transmissão Magnética Segura (MST, do inglês magnetic secure transmission) que pode transferir dados para leitores padrão de cartão de crédito magnéticos; e os especialistas afirmam que este é o diferencial que fará a Samsung despontar neste mercado.

O Samsung Pay já foi usado em mais de 30 milhões de dólares de transações na Coréia do Sul, declarou a própria empresa, acumulando 1,5 milhões de transações nesse mês. Segundo a consultoria Juniper Research, o mercado terá 200 milhões de usuários de carteira móvel no mundo até o fim do próximo ano. Os números mostram que o mercado está crescendo e, por aqui, não é diferente. Cada uma das empresas tem tentado empurrar sua própria solução de pagamentos. Google e Apple com certeza já estão em conversa com grandes bancos brasileiros.

Há também algumas iniciativas pontuais de instituições financeiras. O Banco do Brasil, por exemplo, tem um sistema implantado usando essa tecnologia, com um aplicativo que permite fazer compras com cartões virtuais vinculados ao cartão tradicional. Já o Bradesco criou um programa de inovação que, entre outras soluções, promete trazer ao mercado brasileiro wearables para pagamentos – presilhas acopladas a relógios e anéis.

O que não dá para ignorar é que ainda vai demorar para termos um grande número de estabelecimentos operando com essas soluções, pois a adoção de um novo modelo de pagamentos com novas tecnologias é quase sempre feita em etapas lentas e bem medidas. O que é provável é que alguns poucos estabelecimentos e grandes varejistas queiram testar a tecnologia, oferecendo um diferencial para consumidores mais antenados.

Mas em quanto tempo, as lojas brasileiras estariam efetivamente preparadas para receber pagamentos via smartphone? Uma pesquisa da consultoria Phoenix, aponta que quase metade dos usuários do Apple Pay dos Estados Unidos – país referência nesse mercado – já tiveram uma experiência negativa ao visitar uma loja física, listada como parceira da Apple, mas ainda sem a adequação necessária para receber por esse meio. É comprovado que os usuários abandonam rapidamente uma determinada tecnologia se ela não os satisfaz de imediato ou apresenta problemas técnicos de qualquer natureza.

A realidade hoje no Brasil é a utilização de cartões com chip. E nesse ponto estamos à frente dos EUA, por exemplo, que somente agora estão iniciando uma migração em massa dos terminais e cartões magnéticos para suportar transações com cartões de chip. Porém, antes de fazer com que o brasileiro faça do smartphone sua carteira digital temos muitos problemas a resolver como a melhoria nas redes de comunicação e o combate a fraudes e clonagem de cartões.

(*) É gerente de desenvolvimento de negócios e programação do Venturus.


Brasil Datacenter Week

Nas duas primeiras semanas de Novembro São Paulo vai ser a capital mundial da tecnologia. A Brasil Datacenter Week (BRDW), atividade organizada em São Paulo na semana de 9 a 13 de novembro pela multinacional britânica DCD Group, fará parte da São Paulo Tech Week, organizada pela Investe São Paulo e pela São Paulo Negócios e que espera mais de 20.000 participantes distribuídos por mais de 50 eventos relacionados a tecnologia e inovação.
“Com essa parceria a DatacenterDynamics espera poder proporcionar aos seus mais de 60 patrocinadores e parceiros e mais de 1200 participantes nas diversas atividades da BRDW a possibilidade de alargar exponencialmente suas oportunidades de networking e aprendizagem. A DatacenterDynamics também está muito honrada com a possibilidade de oferecer aos participantes da São Paulo Tech Week a oportunidade de participar do maior evento para o ecossistema convergente de datacenter e cloud na América Latina,” comenta Marcus Queiroz, Gerente de Negócios para o Brasil na DatacenterDynamics.
Entre os dias 9 e 13 Novembro a DatacenterDynamics irá celebrar o maior hub de data center e cloud da América Latina em várias localidades de São Paulo, incluindo o Transamerica Expocenter e o Novohotel. A semana inclui eventos como a 7ª edição da Conferência & Expo DCD Converged, cursos de formação DCPro Development reconhecidos internacionalmente, muitas atividades de networking, visitas técnicas a datacenters de excelência e muito mais. Para os participantes de fora de São Paulo interessados em participar deste evento contamos com a parceria oficial da agência de viagens “El Corte Inglés” e do LATAM Airlines Group.
Para Beatriz Gusmão, Diretora da SP Negócios “é uma honra receber um evento deste porte organizado na cidade de São Paulo, como parte da São Paulo Tech Week. Acreditamos que para além do enriquecimento que significa para o nosso evento, a parceria com a BRDW é peça fundamental para cimentar o posicionamento da cidade de São Paulo como um hub de tecnologia a nível mundial (www.datacenterdynamics.com.br).


Rayman Adventures estará disponível para Apple TV

042314 temsproario
  • Save

A Ubisoft anuncia que Rayman Adventures, o mais recente título da multipremiada série Rayman estará disponível em breve para download na nova Apple TV. “Estamos empolgados com a oportunidade de inovar e ser uma das primeiras desenvolvedoras de games a entregar uma experiência de grande destaque na nova geração da plataforma”, diz Jean-Michel Detoc, diretor executivo da divisão mobile da Ubisoft. Segundo ele.
“A Apple revolucionou a forma com que centenas de milhões de pessoas acessam jogos de alta qualidade e permitiu que pudessem se divertir de uma forma muito intuitiva e acessível, e é uma satisfação para a Ubisoft participar do lançamento da nova geração da Apple TV com uma versão exclusiva de uma das maiores e mais amadas séries, Rayman”. Rayman Adventures oferece experiência única na Apple TV com uma mecânica baseada em toques na tela e habilitada ao Siri Remote, garantindo muita diversão, interatividade e jogabilidade intuitiva.
“Desenvolver o jogo para a Apple TV foi uma experiência incrível. Trabalhamos lado a lado com a Apple para tirar o máximo da capacidade deste novo dispositivo”, diz Thomas Le Grand, produtor da Ubisoft Montpellier. “Foi ótimo ver o quanto o Siri Remote se encaixa bem com as nossas mecânicas de jogo”, completou.
Rayman Adventures coloca os jogadores em uma grande viagem de exploração de mundos lendários, desde os castelos fantásticos até as ilhas mitológicas do Olimpo. Os usuários poderão desfrutar de uma emocionante mistura de ação e aventura em que irão se mover livremente por ambientes deslumbrantes e coletar as criaturinhas ‘Incrediballs’ para liberar poderes e salvar o mundo (www.raymanadventures.com).

A experiência digital no consumo

Laureane Cavalcanti (*)

Na atualidade, é clara a mudança pela qual os consumidores vêm passando

As facilidades que a Internet trouxe e a crescente presença de mídias sociais permitiram um aumento significativo no compartilhamento de informações e opiniões sobre qualidade de produtos, atendimento e pós-venda. Mais que isso: a Web 2.0 revolucionou a relação entre empresas e clientes, além de criar uma geração de consumidores atentos, conectados e cada vez mais cientes sobre a experiência de compra.
Temos hoje no Brasil uma situação interessante: somos o País com o maior tempo médio de navegação residencial por internauta. De acordo com pesquisa feita pelo site de investimento BuscaPrev, os brasileiros passam, por mês, 23h30 conectados à Internet, seguidos pelos EUA, com 19h52, e pelo Japão, com 18h41. Todo esse tempo gasto pelo brasileiro na rede tem como resultado um consumidor bem informado que chega aos shoppings já sabendo o que quer e em que loja achará os melhores preços e atendimento.
Os shoppings notaram, então, o valor de se aproximarem digitalmente dos consumidores, criando utensílios para suprir as necessidades do seu público e fidelizá-los. Exigentes e conectados, eles exploram as oportunidades que estão a sua disposição: pesquisam preços, comparam qualidade e benefícios, checam disponibilidade e prazos de entrega, consultam histórico de reclamações e dividem opiniões. Quando chegam ao centro de compras, já têm conhecimento sobre o produto e estão, muitas vezes, com a decisão de compra feita.
Foi diante desse cenário e, partindo da premissa de que o que move o consumidor é uma experiência de satisfação, que pensamos em oferecer aos clientes formatos digitais e interativos que trouxessem o mundo digital para dentro do shopping. E assim, em 2013, foi criado o Digital Experience, programa desenvolvido para conectar os consumidores com os shopping centers da Sonae Sierra Brasil, por meio de inovação tecnológica, como serviços digitais e sociais, interatividade e experimentos digitais indoor.
Entre as iniciativas lançadas para levar a experiência digital para dentro dos shoppings estão o “Aplicativo Mobile de Serviços”, o app “Chega de Fila”, o “Consultor WhatsApp” e o projeto piloto “#CompraJunto”.
Os aplicativos de serviços foram criados para oferecer aos usuários informações de fácil acesso: visualização de lojas e restaurantes e a disposição deles utilizando o mapa in-door; o trajeto de rotas dentro do próprio shopping; a possibilidade de conferir a programação do cinema, os eventos e todos os serviços oferecidos.
O aplicativo “Chega de Fila” permite aos clientes cadastrarem suas notas fiscais para participarem das promoções realizadas pelos shoppings sem a necessidade de enfrentar filas, enquanto a ferramenta “Consultor Whatsapp” oferece consultoria em tempo real, permitindo que visitantes tirem suas dúvidas, façam consultas e recebam indicações sobre serviços e compra de produtos antes, durante e depois da sua visita aos shopping centers. O #CompraJunto está sendo testado para apoiar os consumidores que manifestam interesse por algum produto nas redes sociais dos Shoppings, como forma de facilitar a experiência de compra do cliente. Outra iniciativa é o BigPad®, um sistema de diretórios digitais interativos onde os clientes podem procurar lojas de seu interesse e obter informações sobre um determinado shopping, seus serviços e opções de lazer.
Além destes benefícios, estas ações voltadas à conexão com consumidores permitem que outros públicos sejam impactados pela empresa, engajando os demais stakeholders em um processo de colaboração para implantação de iniciativas locais de inovação, como, por exemplo, nas comunidades onde os shoppings estão inseridos.
Para apoiar o Digital Experience, foi contratada a consultoria do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (C.E.S.A.R) que, a partir de pesquisas e análises de comportamento e necessidades de visitantes e lojistas, contou com a parceria da SODET – Social Design Thinking, para realizar estudos e apoiar na definição da estratégia de ativação digital dos shopping centers.

(*) É gerente corporativa de Marketing da Sonae Sierra Brasil, empresa especialista em shopping centers.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap