Como ser um profissional orientado a dados

Desenvolvimento de soft e hard skills – habilidades comportamentais e técnicas de um profissional – são termos bastante discutidos ultimamente. Em alta, essas novas competências são imprescindíveis, principalmente para quem quer trabalhar direta, ou indiretamente, com tecnologia.

Por isso, esse processo de aprendizado é constante e a escola de tecnologia ITuring, apresenta exemplos reais para auxiliar na caminhada de quem trabalha na área. Para isso, o especialista Thiago Valinho, Head de Produto do ITuring explica mais sobre três habilidades que considera fundamentais:

1- Pensamento analítico – Essa é, com certeza, uma das habilidades mais requisitadas no mercado de trabalho, seja em empresas tradicionais ou startups. Pensamento analítico é conseguir lidar com informações coletadas, detectando padrões que levem a soluções e respostas para problemas.

Com o desenvolvimento desta habilidade, vem a necessidade de analisar dados para conseguir tomar decisões de forma fundamentada. E é importante dizer que saber analisar dados não é uma capacidade que cabe apenas aos especialistas de dados, mas é algo que profissionais de qualquer área ou segmento precisam saber para tornarem-se um profissional orientado a dados.

2- Comunicação – A capacidade de expor insights e comunicar com eficiência as ideias que surgem a partir das análises de dados também faz com que profissionais consigam se destacar. Saber comunicar de forma clara e conseguir influenciar comportamentos é uma habilidade importante para todas as pessoas que fazem a gestão de times.

Também para os que atuam em squads multidisciplinares e que são responsáveis por comunicar reports e decisões importantes aos stakeholders. E mais do que saber falar bem, há técnicas de storytelling com dados que ajudam os profissionais orientados a dados a organizarem as apresentações para que tragam bons resultados.

3- Entendimento do negócio – Para que seja possível tirar insights de um dado, não basta simplesmente começar a analisar uma série de ocorrências sem estruturação, pois essa estratégia pode não dar resultados ou mesmo atrasá-los.

“Quando falamos em habilidades com dados, muitos pensam em analisar o dado, mas para você conseguir fazer isso, precisa ter um conhecimento profundo do negócio e ser capaz de estruturar o problema de forma robusta”, completa Thiago.

Os dados precisam ceder informações de alguma maneira, de preferência aproximando a empresa do seu objetivo, por isso é fundamental entender do negócio, do modelo e estágio no qual ele está naquele momento de análise para depois disso, começar a de fato, fazer análises. – Fonte e mais informações, acesse: (https://ituring.com.br/).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap