Reestruturação da carreira militar será votada na terça-feira

  • Save
Entre outras mudanças, o projeto cria o Adicional de Compensação de Disponibilidade Militar. Foto: Alexandre Manfrim/Min.Defesa

O presidente da Comissão de Defesa Nacional do Senado, Nelsinho Trad (PSD-MS), marcou para terça-feira (3) a votação do projeto que reestrutura a carreira militar. A proposta também estabelece sistemas de seguridade social para as Polícias Militares e os Corpos de Bombeiros estaduais. O relator, senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ), apresentou o relatório e admitiu que diversos segmentos da carreira militar, especialmente nas baixas patentes, estão insatisfeitos com o projeto.

“Com relação a pontos expostos que prejudicam alguns quadros de militares das Forças, senadores já negociam com o governo federal para que sejam corrigidos em outra proposta. Esta reestruturação determina reajustes em soldos e adicionais já a partir de 1º de janeiro de 2020, então precisa ser aprovada ainda este ano. Por enquanto, a melhor solução para mudanças será a encontrada em diálogo com o governo federal”, explicou Arolde.

A sala da Comissão, durante a reunião, estava lotada de representantes de associações que representam militares de baixas patentes. O vice-líder do governo, senador Izalci Lucas (PSDB-DF), vem realizando gestões para que o presidente Jair Bolsonaro receba senadores e uma comitiva destes militares até terça-feira, em busca de uma solução aos setores insatisfeitos.

“O próprio relator acaba de admitir aqui que o projeto tem distorções. O governo precisa assumir o compromisso de contornar as crassas distorções deste texto. Bolsonaro é militar, trabalhei junto com ele por dois mandatos na Comissão de Defesa da Câmara e ele sempre defendeu estes segmentos. Ele precisa se dar conta inteiramente do que se passa, e com urgência” disse Izalci (Ag.Senado).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap