73 views 3 mins

Por quê o Brasil não tem tantos milionários?

em Mercado
quinta-feira, 21 de março de 2024

Segundo estudo realizado pelo banco UBS, o Brasil possui “somente” cerca de 413 mil milionários. O número equivale a 0,21% da população brasileira. Os Estados Unidos, que possuem pouco mais de 100 milhões de habitantes do que o Brasil, ocupam o primeiro lugar no ranking, com 22,7 milhões de milionários e uma participação de 38,2% do total global de ricos (59,4 milhões de milionários em todo o mundo).

Outros países no ranking são a China, em segundo lugar e com pouco mais de 6 milhões de milionários, ou 10,5% do total mundial. A França é seguida de perto pela Alemanha (4,4%) e pelo Reino Unido (4,3%). Itália, Holanda e Espanha possuem cada um cerca de 2% dos milionários do planeta. “O verdadeiro problema é que o Brasil é um país com muitos mais habitantes do que a maioria desses do ranking, mas não possui mais pessoas ricas do que nenhum deles.

Parece que o empresário tem muito mais dificuldades no Brasil para crescer”, explica Luciano Bravo, CEO da Inteligência Comercial e Mentor de Crédito Internacional. As estatísticas de riqueza monetária, que não contabilizam os bens imóveis, indicam que os indivíduos brasileiros possuem um montante total de recursos financeiros inferior ao PIB do Brasil.

Com uma dívida interna que ultrapassa os R$ 7 trilhões, uma parcela considerável dos portfólios de investimento dos cidadãos brasileiros já está alocada em títulos da dívida pública. “Essa disparidade de números entre o Brasil e outros países no ranking de milionários levanta questões sobre as oportunidades de crescimento e prosperidade no país, como o acesso ao crédito e outras questões”, explica Luciano.

Apesar de ter uma população significativamente maior, o Brasil não acompanha a quantidade de pessoas ricas encontradas em outras nações. Isso sugere desafios adicionais para empresários e investidores no Brasil. Outras razões para o não enriquecimento dentro do cenário brasileiro são a baixa taxa de poupança e de investimento, a visão estatista da maioria da sociedade, o caos do regime tributário, a logística deficiente e, por fim, a educação brasileira.

“Para um empresário enriquecer no Brasil, é essencial estar atento às oportunidades de mercado, investir em inovação e tecnologia, e adotar uma abordagem estratégica e disciplinada para o planejamento financeiro e operacional do negócio. Estar aberto a novas estratégias como o crédito internacional também”, finaliza Luciano. – Fonte e outras informações: (https://inteligenciacomercial.com).