Empreender em redes associativas: quais as vantagens?

A automação de tarefas para os pequenos negócios pode parecer inviável em um primeiro momento. O que muitos empresários não sabem é que é possível contar com a tecnologia no dia a dia por meio do associativismo. Apesar de um considerável avanço nos últimos anos, os dados sobre gestão digital em micro e pequenos negócios no Brasil mostram que a maioria dos empreendedores recorre a sistemas manuais para gerir suas empresas.

De acordo com o Sebrae, 43% dos negócios ainda fazem a gestão financeira em cadernos ou folhas de papel, enquanto apenas 27% usam sistemas como Excel. Em Santa Catarina, apenas 34% dos empreendedores têm um software específico para a função, sendo o segundo estado do país com melhor índice, atrás apenas de São Paulo e do Paraná, empatados com 35% de adesão.

As redes associativas e centrais de negócios — entidades associativas que podem facilitar os acesso à tecnologia para os pequenos negócios — reúnem empreendedores por meio da união de forças, com objetivo de ganhar competitividade e ter mais chance de crescimento, além de acesso a novos mercados por meio da compra conjunta. Por exemplo, empreendedores supermercadistas que se unem para aumentar seu poder de negociação frente às grandes empresas do setor, aumentando a competitividade no mercado.

Os dados do Sebrae ainda mostram que muitos empreendedores de micro ou pequenos negócios não conhecem ou até mesmo optam por não usarem sistemas de gestão. Custo adicional, receio de não saberem utilizar sistemas para este fim ou até mesmo falta de confiança na eficácia da gestão feita digitalmente são alguns dos fatores apontados como dificultadores do processo de adesão. Todas as dificuldades podem ser superadas por meio das redes e centrais.

“Ao contar com um software de gestão, através de uma rede ou central de negócio, o associado tem muito mais do que informações organizadas e processos automatizados. Isso porque a tecnologia trará ao dia a dia desse empreendedor inúmeras facilidades, como, por exemplo, facilidade nas negociações de preços com fornecedores, aumento da competitividade e agilidade nas operações”, comenta Jonatan da Costa, CEO da Área Central, empresa que desenvolve tecnologia para gestão de redes e centrais de negócios.

Além da aquisição de tecnologia, a troca de experiências entre os integrantes da rede ou central e a aquisição de outros serviços — como de marketing e logística, por exemplo — se tornam muito mais viáveis quando os custos são fracionados entre todos. O associativismo permite adquirir um software de gestão de qualidade para pequenas empresas – já que o valor é dividido – e ainda colabora favorecendo o compartilhamento de conhecimentos e vivências de cada um entre todos.

Jonatan ainda comenta outros benefícios do associativismo empresarial, como: redução dos custos operacionais; acesso a novos mercados; marca coletiva, já que a utilização de uma marca com abrangência maior nas fachadas e nas campanhas promocionais gera credibilidade e maior fluxo de clientes; estratégias de marketing coletivas; conceito de lojas com padronização de fachadas e de atividades internas; troca de experiência e boas práticas; tecnologias para gestão compartilhadas; capacitação pessoal e parcerias estratégicas. – Fonte e outras informações: (www.areacentral.com.br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap