Consultoria subsidiada para pequenas e médias empresas é prorrogada

Com o objetivo de apoiar as pequenas e pequenas empresas brasileiras (PMEs), e ajudá-las na retomada dos negócios pós-Covid-19, a KPMG prorrogou, até o dia 30/9, o atendimento gratuito e a consultoria subsidiada para empreendedores. Os especialistas da KPMG estão atuando em temas estratégicos para esses empresários por meio de frentes integradas com formulação de planos comerciais, avaliação de aspectos de finanças e liquidez, análise da cadeia de suprimentos, medidas relacionadas com força de trabalho, aplicabilidade de aspectos trabalhistas e apoio na revisão de contratos.

“Momentos assim exigem o máximo esforço dos líderes empresariais, que precisam de resiliência e suporte qualificado. Somente assim será possível prevenir riscos, antecipar tendências, superar desafios, retomar negócios e ampliar a competitividade. A crise atual tem afetado profundamente os mais variados setores da economia e os impactos têm levado muitos empreendedores a pensarem estrategicamente seus planos de retomada”, afirma Sebastian Soares, sócio-líder de Empresas Privadas da KPMG no Brasil e na América do Sul.

Compreendendo o cenário atual a relevância das pequenas e médias empresas para a economia nacional, ou seja, aquelas com faturamento anual de até R$ 50 milhões, a KPMG está atendendo gratuitamente as empresas para entender seus problemas individuais e apresentando um plano de trabalho com honorários subsidiados para empresas deste perfil seguirem mais fortes e estruturadas.

A KPMG já atendeu mais de 40 empresas desde o início da iniciativa, que está contribuindo para a implementação de planos de retomadas nas seguintes vertentes:

  • Planos comerciais: avaliar o desenvolvimento de novos canais de venda (e-commerce, marketplace); avaliar como a inovação e a transformação digital podem gerar novas fontes de receitas e criar canais de comunicação novos com seus clientes.
  • Finanças e liquidez: reavaliar planejamento financeiro; teste de fluxo de caixa projetado; analisar as alternativas de liquidez imediata nas vertentes de bancos, fornecedores, impostos e folha de pagamentos.
  • Cadeia de suprimentos: avaliar a situação dos principais fornecedores, estoques atuais e planos para assegurar o suprimento futuro; rever política de estoques de segurança, de matéria-prima e produto acabado, de modo a mitigar riscos de abastecimento.
  • Força de trabalho: impacto do retorno dos trabalhadores de forma gradual; avaliar medidas de flexibilização do horário de trabalho; acelerar medidas para a nova realidade de trabalho flexível e remoto.
  • Aspectos trabalhistas: verificar aplicabilidade das medidas adotadas pelo governo em relação às relações de trabalho e remuneração; prazos processuais para defesa de autos de infração trabalhista; prorrogação de acordos e convenções coletivas.
  • Revisão de contratos: mapear os riscos de inadimplemento por parte da empresa em contratos com fornecedores e clientes, disposições sobre reequilíbrio econômico financeiro, cláusulas de força maior ou outras exceções contratuais, inclusive suporte documental para disputas.

O agendamento dos empreendedores interessados na iniciativa pode ser realizado no link – (http://materiais.kpmgbrasil.com.br/retomada-dos-negocios-para-empreendedores). Fonte: AI/KPMG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap