173 views 4 mins

Como transformar uma produção artesanal em um negócio lucrativo

em Mais
terça-feira, 11 de abril de 2023

Quem já se lançou no mundo do empreendedorismo quebrou muito a cabeça tentando melhorar e otimizar a gestão e a parte financeira do seu negócio. No Brasil, 99% de todas as empresas são micro e pequenas, incluindo os microempreendedores individuais (MEI). Ao todo, são cerca de 20 milhões de empresas, sendo 14 milhões de MEIs.

O segredo para aumentar a sua capacidade de lucro é ter controle de todas as etapas de sua produção e saber precificar o seu produto, destaca a especialista parceira da eduK, Vanessa Longo. Com base nesses conceitos, ela e o sócio Rafael Longo criaram a plataforma Calcularte, um sistema para precificação e gestão de negócios artesanais.

O objetivo é otimizar recursos e fazer seu negócio de confeitaria, artesanato ou beleza decolar. Segundo Vanessa, há 3 passos fundamentais para fazer de uma produção um negócio lucrativo. Confira quais são esses passos:

  1. – Entenda que você tem um negócio, e suas preocupações precisam ir além da produção – Mesmo que você trabalhe em um cantinho de casa, compreenda que você tem um negócio e precisa cuidar dele. Ou seja, é necessário ter gestão e controle financeiro, criar e executar ações de marketing, e não só produzir e vender. Se você não olhar para essas outras áreas, você não terá um retorno financeiro.
  2. – Tenha um controle financeiro – Uma ferramenta é o fluxo de caixa. Você precisa saber controlar todas as despesas que tem para produzir e vender. Para ter uma noção se está gastando muito com algum insumo, para controlar pagamentos e valores a receber. Muitas vezes, você vende parcelado e se perde no momento da cobrança, tomando um prejuízo.

Dentro deste controle de despesas, é importante que a pessoa, mesmo que trabalhe em casa, considere despesas da casa que também são usadas no negócio, como internet, energia, água e gás. “Muita gente deixa de lado essas despesas, mas se provavelmente fizesse só uso pessoal, elas iriam ser mais baixas, e isso, no final, impacta no seu lucro”, observou Vanessa.

  1. – Precifique seu produto – E tenha em mente os 6 pontos necessários. Para formar o seu preço, você precisa considerar: material usado, mão-de-obra (que compõem o seu salário), lucro (que você irá reinvestir no seu negócio), impostos (caso tenha um CNPJ), custos com meios de venda (taxas de marketplaces, comissão, tarifa da máquina do cartão de crédito) e despesas do negócio.

Essas são as bases de um negócio. É lógico que é importante ter um bom atendimento, uma boa divulgação, escolher onde vender, testando os melhores canais de venda. Mas se você só tiver uma boa técnica, o seu negócio não se sustenta.

Por isso, outra dica importante é saber gerenciar o seu tempo entre estas etapas. E organizar o dia entre produzir, gerenciar e divulgar o seu produto. – Fonte e outras informações, acesse: (https://www.eduk.com.br).