As empresas superam os desafios da era digital para vender mais

As vendas online no Brasil dispararam no primeiro trimestre, segundo pesquisa realizada pela Neotrust com os dados de compras no e-commerce. “Os números mostram, nitidamente, um novo hábito do consumidor que está passando mais tempo em casa e que deve ser levado em consideração pelas empresas que querem acompanhar esse crescimento”, observa Alessandra Lemos Fernandes, Executive Head da Ser Mídia, especializada em marketing.

Responsável pelo Business Growth da Ser Mídia, Heber Fernandes, acredita que essas mudanças de comportamento de consumo vieram para ficar. “A empresa que não estiver adaptada ao e-commerce vai perder vendas, com toda certeza”, alerta. “E não é só isso, as empresas físicas que ainda não aderiram a nova era digital, precisam se adaptar a esse novo consumidor e repensar suas parcerias e estratégias para ontem”, acrescenta.

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, também revelou essa semana que a sua plataforma de vendas online, caracterizada como marketplace, com mais de 7 milhões de lojas, ultrapassou a marca de um bilhão de usuários. “Este moderno sistema de comércio reunirá uma série de áreas em que já temos ofertas fortes, como anúncios, ferramentas de comunidade e mensagens, com áreas como lojas, mensagens corporativas e pagamentos”, disse.

A pesquisa realizada pela Neotrust, revela que foram realizadas 78,5 milhões de compras online nos três primeiros meses do ano, resultando em um faturamento de R$ 35,2 bilhões para o e-commerce entre janeiro e março de 2021, ou seja, aumento de 72,2% na comparação com 2020. A região Sudeste foi a responsável pelo maior volume de compras no quarto trimestre de 2020, com 63% do total de pedidos feitos online no país.

“Isso demonstra que as empresas devem se capacitar para entregar seus produtos e serviços para todo o Brasil”, destaca Heber Fernandes. “Inclusive, estamos prospectando clientes fora do Brasil, conseguindo alcançar de forma online o mesmo padrão de atendimento e conquistando resultados ainda mais significativos”, revela. O aumento das vendas oportunizou também que as empresas realizassem as vendas com entrega gratuita.

No primeiro trimestre, 53% dos pedidos foram entregues sem que o consumidor pagasse pelo frete, contra 47% no mesmo período de 2020. Da mesma forma, aqueles que pagaram pelo frete também sentiram a redução de 15,5% no valor pago pelas entregas. A pesquisa ainda apresentou a idade média do consumidor de 37 anos a 50 anos, sendo esses 33,9% do total de consumidores digitais. Seguidos pelos consumidores de 26 a 35 anos, com 33,1% do total. Os consumidores de até 25 anos representam 19% das compras online, enquanto o público acima dos 51 é responsável por 14% das compras.

Na contramão destes dados, o setor de compras atinge hoje apenas 17,2% do total de pessoas com acesso à internet no país. “É por isso que as empresas precisam estar preparadas para o crescimento exponencial das vendas online quando a internet tiver alcançado o número maior de usuários”, define Alessandra Lemos.

“Não basta apenas ter uma loja virtual, é preciso ter uma loja virtual que realmente traga resultados em vendas e, para isso, uma consultoria especializada é fundamental!”, afirma. – Fonte e outras informações: (www.sermidia.com.br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap