Lazer e Cultura 30/08/2016

Comemoração

Sá & Guarabyra
  • Save

Principal expoente do movimento conhecido como Rock Rural, a dupla Sá & Guarabyra comemora os seus 40 anos de carreira

Os shows marcam ainda o lançamento do Songbook da dupla, livro da renomada coleção criada por Almir Chediak com textos, entrevistas e uma compilação de partituras, acompanhado por um CD que agrupa alguns de seus maiores sucessos. Com a banda formada por Pedro Baldanza (baixo), Constant Papineanu (teclados), Fábio Santini (guitarra) e Christiano Rocha (bateria), Sá & Guarabyra relembrarão canções marcantes em sua carreira como Roque Santeiro, Espanhola, Verdades e Mentiras, Dona, Harmonia, entre outras.

Sesc Pinheiros, R. Paes Leme, 195, tel. 3095-9400. Sexta (9) e sábado (10), às 21h. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia).

REFLEXÃO

ESPERA POR DEUS

“Mas o Pai que está em mim é quem faz as obras”. – Jesus. (João, 14:10.)
Saibamos buscar o Pensamento Divino, atuante em todas as formas da vida, trabalhando na construção do bem, mesmo que os quadros da luta humana se nos mostrem tisnados pela sombra do mal. Observa a planta frágil, muita vez desfigurada pelo bote de insetos daninhos, ao surgir da semente. Parece uma excrescência no barro de que se envolve; entretanto, encerra consigo as potencialidades que a transformarão em árvore vigorosa. Fita a criança recém nata, em muitas circunstâncias tocada por enfermidade inquietante. Vagindo nos braços maternos, mais se assemelha a pobre farrapo humano, guardado pela morte; todavia, traz na própria formação orgânica, aparentemente comprometida, a força que a transfigurará, talvez, num condutor de milhões de pessoas. Não julgues o sofrimento por mal. A tempestade carreia a higiene da atmosfera. A doença do corpo é renovação do espírito. Em todos os sucessos desagradáveis e em todas as condições adversas da existência, acalma-te e aguarda a intervenção da Infinita Bondade. Disse Jesus: “mas o Pai que está em mim é quem faz as obras”. O Criador está igualmente na Criação. Diante do nevoeiro não condenes as trevas. Acende a luz do serviço e espera por Deus.

Livro Palavras de Vida Eterna – F.C. Xavier.

Estreia

Expedição aos Kaxinawá, Rio Purus, Museu Paulista Harald Schultz, 1951; Fred Jordão e Demolição do Prédio da Rádio Jornal do Commercio, 1989. Recife, PE).
  • Save

A exposição “Adornos do Brasil Indígena: resistências contemporâneas” estreia no proximo dia 8 e exibirá um conjunto de 201 peças entre objetos e documentos indígenas preservados no MAE-USP, além das obras de arte contemporânea que foram selecionadas para este projeto, divididos em três módulos: Adornos: o corpo como suporte de resistência; Adornos: os testemunhos de resistência; Adornos: as celebrações indígenas como resistência. Artistas, Exibindo obras já existentes, entre icônicas e pouco vistas – e outras inéditas, a exposição conta com a participação de artistas visuais brasileiros como Ailton Krenak, Anna Bella Geiger, Bené Fonteles, Carlos Vergara, Claudia Andujar, Delson Uchôa, Fred Jordão, Lygia Pape, Nunca, Paulo Nazareth e Thiago Martins de Melo.

Serviço: Sesc Pinheiros, R. Paes Leme, 195, tel. 3095-9400. 18h30. Entrada franca. Até 08/01.

GUERRAS

A comédia “O Homem do Destino” do grupo Círculo de Atores tem como pano de fundo a batalha de Lodi, na Itália, em 1796. Na trama, há um embate entre dois grandes estrategistas: Napoleão, que tenta provar que qualquer coisa pode ser dominada pela força, e a chamada Dama Misteriosa, que acredita que algo importante deve ser preservado, apesar das guerras constantes.

Serviço: Aliança Francesa, R. General Jardim, 182, Vila Buarque, tel. 3017-5699 De quinta a sábado às 20h30 e aos domingos às 19h. Ingresso: R$ 50. Até 07/08.

Dança

A Companhia de Danças de Diadema apresenta o espetáculo “por+vir”. Esta montagem reúne nove renomados coreógrafos, que já passaram pelas produções do grupo, promovendo um reencontro com esta criação conjunta. Os artistas convidados da montagem são Ana Botosso, Cláudia Palma, Fernando Machado, Henrique Rodovalho, Luís Arrieta, Mário Nascimento, Pedro Costa, Sandro Borelli e Sérgio Rocha. Muitos são os caminhos, diferentemente traçados, às vezes desimpedidos, às vezes emaranhados de obstáculos. Sem muito nem saber como, se desperta o desafio de transpassá-los e, em meio ao movimento das emoções o artista traça, como uma novena, a busca de seus sonhos e o espantar dos pesadelos. Um mais um, e mais um, e mais um, somam “Nós”.

Serviço: Galeria Olido,Av. São João, 473, República, tel. 3331-8399. De quinta (1) a sábado (3) às 20h e domingo (4) às 19h. Entrada franca.

Histórias

A Companhia do Feijão leva ao palco de sua sede, nos meses de setembro e outubro, duas das principais montagens de seu repertório. O público terá a oportunidade de ver e rever, com entrada gratuita, os espetáculos Mire Veja (Prêmio Shell Categoria Especial e APCA de Melhor Espetáculo em 2003) (nos dias 3, 4, 5, 6, 10, 11, 12 e 13/9) e Armadilhas Brasileiras ( nos dias 24, 25, 26 e 27/9 e 1º, 2, 3 e 4/10). Mire Veja é uma livre adaptação das micro-histórias urbanas de brasileiros anônimos contadas por Luiz Ruffato no premiado livro eles eram muitos cavalos. São 24 histórias curtas, fragmentadas e por vezes entrelaçadas, que falam da vida na metrópole paulistana e de pessoas de diversas origens e classes sociais que nela habitam. Com cerca de 30 personagens que não se encontram, as histórias encadeiam-se como flashes no tempo impossível da grande cidade. Armadilhas Brasileiras, mostra um grupo de teatro em trabalho de ensaios finais de um espetáculo em estilo épico, cujo pano de fundo é a crise econômica mundial de 1929 e seu impacto sobre os trabalhadores rurais e portuários brasileiros, que ao final protagonizam uma revolução vitoriosa. Com Fernanda Haucke, Fernanda Rapisarda, Flávio Pires, Guto Togniazzolo e Vera Lamy.

Serviço: Companhia do Feijão, R. Dr. Teodoro Baima 68, República, tel. 3259-9086. De quinta (1) a domingo (04/09) às 20h. Entrada franca.

Classica

O Coro da Osesp se apresenta sob a batuta do regente francês Geoffroy Jourdain, para um programa com obras a capella de compositores franceses. Jourdain é fundador e diretor musical do Le Cris de Paris, grupo vocal de música contemporânea, foi diretor do Coral da Orquestra de Paris e já trabalhou com renomados regentes, entre eles, Pierre Boulez, Rafael Frühbeck de Burgos, Paavo Järvi, Marek Janowski, Gennady Rozhdestvensky e Esa-Pekka Salonen. O tema do programa é “Atmosfera de sonho” – com a delicadeza do Impressionismo e suas nuances românticas, a música se sobrepõe às mudanças que ocorrem no mundo. Aos poucos, os acordes surpreendentes envolvem a todos e a modernidade desejada se mescla à busca de tranquilidade com momentos de apogeu, melancolia e deslumbramento.

Serviço: Auditório MASP Unilever, Av. Paulista, 1578, tel. 3149-5959. Terça (30) às 20h. Ingressos: R$ 50 e R$ 25 (meia).


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap