132 views 8 mins

Lazer e Cultura 14/01/2016

em Lazer e Cultura
quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Estreia

Dani Guedes

A peça “Arrasada”, encenada no pub do teatro e com toques de Fellini e Almodóvar, apresenta o complexo universo de “?”, uma atriz fracassada entregue ao álcool e à angústia que sofre por amar demais

Em um desabafo intimo com o publico, ela conta seus dramas amorosos de forma inquietante e paradoxal, seu estado fragilizado e demonstrando o quanto é importante a aceitação e apoio de seu ex-marido em seu novo relacionamento homossexual. O espetáculo, com linguagem intimista, foi encenado a primeira vez em 1995 por Suzana Borges no papel de Bia, a arrasada, porém, tratar da homossexualidade naquela época tinha pouca aceitação. Mesmo assim, Suzana Borges teve excelentes críticas. Dez anos depois, com o crescimento da preocupação com a liberdade de expressão, sentiu-se a necessidade de uma nova versão da peça, que passou de uma triste metáfora do amor proibido a uma deliciosa e debochada comédia, desta vez encenada por Edna Velho. Nesta nova versão, é a vez de Dani Guedes dar vida à sinuosa e irônica Bia, cantando, brincando e fazendo piadas de seus dramas. A peça retrata abertamente a relação amorosa entre duas mulheres, com o incrível poder de fazer com que pessoas de todos os gêneros e orientações se identifiquem com a personagem.

Serviço: Teatro UMC, Av. Imperatriz Leopoldina, 550, Vila Leopoldina, tel. 2574-7749. Sábados às 19h. Ingresso: R$ 25. Até 23/01.

REFLEXÃO

A LINHA DE CONDUTA
Se as expectativas ansiosas saturaram-nos a alma, saibamos afrontá-las com a calma requerida e a necessária serenidade. Não nos desviemos dessa linha de conduta sabendo equilibrar o coração no centro de nossas obrigações sagradas de filhos, esposos e pais. Contamos sempre com o auxílio fraterno de benfeitores espirituais em todas as oportunidades e conjunturas renovadoras, a estudar conosco as possibilidades novas e as mudanças benéficas do porvir. (De “Aceitação e vida”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Margarida).

Atores na estrada

Victor Mendes e Gero Camilo.

No drama Caminham “Nus Empoeirados”, dois atores que abandonam a Companhia e seguem em dupla pela estrada. Suas aventuras e desventuras. Seus números e truques. Labuta e peleja. Uma comédia. Uma crítica social. Um número de circo. Uma declaração de amor ao teatro e a vida. Com Gero Camilo e Victor Mendes.

Serviço: Teatro Nair Bello (Shopping Frei Caneca), R. Frei Caneca, 569, Bela Vista, tel. 3472-2414. Sextas às 21h30, sábados às 21h e domingos às 19h (não haverá apresentação nos dias 5, 6 e 7 de fevereiro). Ingresso: R$ 50. Até 06/03.

Dança

Inspirado em Samuel Beckett e Maurice Blanchot, o Núcleo EntreTanto, do bailarino Wellington Duarte, estreia a peça coreográfica Onde Agora? Quando Agora? Quem Agora?, estreia no dia 15 de janeiro, sexta-feira. Em cena os bailarinos Érica Tessarolo, Joana Ferraz, Leandro de Souza e Suiá Burger Ferlauto.

Serviço: Oficina Cultural Oswald de Andrade, R. Três Rios, 363, Bom Retiro, tel. 3222-2662. Sextas e sábados às 20h30. Entrada franca. Até 30/01.

Panorama 2015

Protestos, impeachment, Jogos Pan-Americanos, desastre ambiental e a despedida da modelo Gisele Bündchen das passarelas. Estes foram apenas alguns dos fatos que permearam o ano de 2015 dos brasileiros e que serão relembrados, junto com outros acontecimentos importantes, na exposição FotoRetrospectiva 2015. A exibição apresentará 80 fotografias, produzidas por diversos repórteres fotográficos da imprensa brasileira e que contam, de forma linear, a história do Brasil em 2015. Entre os temas que os visitantes poderão recordar, e que estamparam os principais jornais do país, estão o desastre ambiental da Samarco em Mariana, interior de Minas Gerais, a crise hídrica que continua, o futebol brasileiro pós Copa do Mundo e muitos outros. Assuntos que são apresentados por meio de um único clique de profissionais como Apu Gomes, Alex Silva, Paulo Whitaker, JF Diório, Eduardo Knapp, Juca Varella entre outros. Para Luiz Carlos Murauskas, um dos curadores da mostra e fotojornalista há mais de 40 anos, a boa fotografia é aquela que informa e tem conteúdo, em detrimento às imagens meramente ilustrativas baseadas apenas na plasticidade. E é exatamente isso o que propõe a mostra, um grande panorama fotográfico, que por si só relata toda a história do que vivemos durante o ano.

Serviço: Shopping Ibirapuera, Av. Ibirapuera, 3.103, Moema, tel. 5095-2300. Segunda a domingo e feriados das 10h às 22h. Entrada franca. Até 21/02.

Tragédia em sombras

O “Memento Mori” é a lembrança da morte. A terrível consciência da finitude que nos define como espécie. Dos sussurros dessa voz nas trevas nasce a ficção de horror como a conhecemos: ensaios para a morte. A Companhia da Sombra vem abraçar essa iconografia do horror gótico do séc. XIX, apostando na estética do teatro de sombras como uma espécie de “lar natural” para essa antiga voz que nos sussurra dos lugares escuros no espetáculo Memento Mori, Um Ensaio para a Morte. O grupo convida o público para adentrar conosco esse estado de trevas, entre vultos ameaçadores, espectros sombrios, cemitérios em ruínas e casas mal assombradas, para não apenas lembrar da morte, mas dançar com ela um melancólico e macabro bailado.

Serviço:Teatro UMC, Av. Imperatriz Leopoldina, 550, Vila Leopoldina, tel. 2574-7749. Sábados às 19h. Ingresso: R$ 40.

Comédia

A comédia E aí, deu?, Um Certo Machão apresenta a história de um jovem empresário machão que corre atrás da herança deixada pelo tio a qualquer custo, mesmo que seja necessário mentir que é gay (exigência do titio!). Caso contrário, toda fortuna irá para a instituição SOS, Terceira Idade Gay. A partir da chegada da advogada do “titio”, instala-se a confusão com tapas, empurrões e muitas gargalhadas entre a advogada, a empregada e o machão. Quem resiste a uma herança milionária?. Com Rick Carvalho, Amanda Vetorazzo e Glaura Lacerda.

Serviço: Teatro Ruth Escobar, R. dos Ingleses, 209, Bela Vista, tel. 3289-2358. Sextas às 21h30 e sábados às 19h. Ingresso: R$ 60. Até 26/03.