129 views 14 mins

Geral 19/08/2015

em Geral
terça-feira, 18 de agosto de 2015

Índios da Amazônia ganham cartilha para prevenção da aids e outras doenças

Cartilha orienta índios Kanamari, do Amazonas, sobre doenças sexualmente transmissíveis, aids e hepatites virais.

Os índios kanamari, que vivem no Vale do Javari, no Amazonas, ganharão uma cartilha própria com orientações sobre prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), aids e hepatites virais, além de conscientização sobre o uso de álcool e outras drogas

Desenvolvida pela Unesco no Brasil e pelo Unaids, a cartilha foi lançada ontem (18) no município de Atalaia do Norte.
A publicação trata do tema sob a perspectiva da cultura indígena, é dirigida a crianças e adolescentes em idade escolar e será utilizada em escolas e serviços de saúde. Ela foi elaborada pelos próprios índios e traduzida para o português. Entre as recomendações estão não beber nem levar bebida alcoólica para a aldeia, respeitar, resguardar-se e não ter relações sexuais quando beber Ramih (uma bebida típica indígena), além de não aceitar estrangeiros (peruanos ou brasileiros) e outros desconhecidos nas aldeias.
Segundo a oficial de Educação da Unesco no Brasil, Mariana Braga, a cartilha levou um ano e meio para ficar pronta e foi construída com base em diálogos com os kanamaris, para que tivesse um recorte cultural da própria etnia. “Isso é o que torna a cartilha diferente de todos os materiais produzidos para a população indígena, foi produzido por eles”. A série foi elaborada com base em informações coletadas em oficinas de prevenção realizadas no Vale do Javari, com a participação de antropólogos, professores, agentes indígenas de saúde, pajés, curandeiros, parteiros e lideranças de diferentes povos da região.
Mariana conta que existem na cartilha recomendações como não comprar aparelho de som, pois para os kanamaris isso é uma ameaça à própria cultura. “Foi uma recomendação do povo Kanamari para prevenção. Não posso dizer até que ponto isso está influenciando, mas o que eles querem é que isso não corra. Então sugerem que as escolas trabalhem a questão da valorização da cultura local e o não uso e a não valorização de culturas brancas”.
Segundo Mariana, a Unesco, juntamente com o Ministério da Saúde, já relacionou um grupo de dez etnias que são mais acometidas pelo HIV, pelas hepatites e pelo uso de álcool, para a construção de cartilhas semelhantes. “Nós temos essa lista pronta e vamos atrás de financiamentos, recursos e parceiros para nos apoiar nessa inciativa”, disse ao acrescentar que nem todas as etnias listadas são da Amazônia (ABr).

Café aumenta a possibilidade de sobrevivência ao câncer de intestino

Os pacientes que bebiam café tinham 33% menos possibilidades de morrer de câncer que os demais pacientes.

O consumo habitual de café poderia aumentar as possibilidades de sobreviver ao câncer de intestino e proteger os pacientes de reincidências, informa estudo divulgado pela publicação britânica Journal of the Clinical Oncology. Um grupo de cientistas descobriu que os pacientes que recebiam tratamento e que consumiam altas doses de café, quatro ou mais xícaras por dia, tinham cerca de 42% menos possibilidades de registrar reincidência da doença que aqueles que não consumiam a bebida.
O estudo também mostrou como os pacientes que bebiam café tinham 33% menos possibilidades de morrer de câncer que os demais pacientes. O médico Charles Fuchs, diretor do Centro de Câncer Gastrointestinal de Boston, nos Estados Unidos, afirmou ter comprovado que “os consumidores de café têm um risco menor de desenvolver câncer, além de que a sobrevivência e as possibilidades de cura aumentam consideravelmente”.
Apesar dos resultados do estudo, Fuchs mostrou-se cauteloso com os potenciais benefícios do café como tratamento alternativo para os doentes de câncer de intestino. “Se bebe café habitualmente e está sendo tratado de câncer do intestino, não deixe de beber, mas se não é um consumidor habitual e se pergunta se deve começar, primeiro consulte o seu médico”, declarou o pesquisador. Ainda que seja a primeira vez que um estudo relaciona o consumo de café à redução do risco de reincidência de câncer, investigações prévias indicaram que a bebida poderia proteger contra vários tipos de tumores malignos, incluindo os melanomas, o câncer de fígado e o de próstata avançado (Ag. Lusa).

Metrô de São Paulo recebeu prêmio internacional

O governador Geraldo Alckmin recebeu ontem (18), no Centro Cultural Britânico, o prêmio da UITP na categoria Serviços a Clientes, pelo projeto do Metrô de São Paulo “Ações de Relacionamento Inclusivas”, voltadas aos idosos e às pessoas com deficiência. A qualidade do relacionamento do Metrô paulista com seus usuários conquistou o prêmio durante o congresso da União Internacional de Transportes Públicos realizado em Milão, como um dos projetos inovadores que contribuem para o setor de transporte público.
O trabalho apresentado na conferência destacou as diversas ações desenvolvidas pela Companhia com vistas à inclusão social da população idosa e das pessoas com deficiência. O Metrô recebe 120 mil idosos diariamente e, para atendê-los, todos os funcionários são orientados e preparados a prestarem auxílio aos que necessitem de ajuda – antes mesmo que venham solicitá-la.
Desde o início de sua operação comercial, em setembro de 1974, o Metrô teve grande preocupação com a segurança dos usuários, incluindo uma rigorosa limpeza dos trens e estações, além de um padrão de atendimento de alto nível, reconhecido internacionalmente. Diariamente, 1.692 pessoas com deficiência são acompanhadas no Metrô de São Paulo, que é 100% acessível. Em 2013, foram realizados aproximadamente 618 mil acompanhamentos, 91% de usuários com deficiência visual e 9% com deficiência física ou restrição de mobilidade (Governo SP).

Cerca de 160 mil imigrantes já chegaram à Grécia este ano

Só na semana passada, 20.843 pessoas chegaram pelo mar, o que equivale à metade do número total do ano passado.

O número de imigrantes e refugiados que chegaram à Grécia pelo Mar Mediterrâneo desde o início do ano já alcançou os 160 mil, depois de um aumento significativo nas últimas semanas, divulgou ontem (18) a Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Cerca de 50 mil migrantes chegaram por essa rota no mês passado, mais do que em 2014, quando somaram 43,5 mil pessoas. Por terra, por meio da fronteira com a Turquia, 1.716 migrantes entraram na Grécia entre 1º de janeiro e 31 de julho.
Só na semana passada, 20.843 pessoas chegaram pelo mar, o que equivale à metade do número total do ano passado. Os sírios foram quase 17 mil, seguidos dos afegãos (2.847 ou 14%) e iraquianos (582 ou 3%). Essas três nacionalidades, de países que enfrentam por muitos anos conflitos armados, mostram que a maioria de recém-chegados deve ser considerada refugiada.
Os migrantes que chegam à Itália, também pelo Mar Mediterrâneo, são, em maioria, provenientes da África Subsaariana. A ONU advertiu, há meses, sobre a situação grave da migração para a Grécia e o constante aumento do número de chegadas ao país. Entretanto, as atenções mantiveram-se concentradas na Itália, devido aos frequentes naufrágios e ao grande número de mortes de migrantes que tentavam cruzar o Mediterrâneo a partir da Líbia (Ag. Lusa).

American Airlines se prepara para aterrisar em Cuba

A companhia aérea norte-americana American Airlines e a Cuba Travel Service estão se preparando para lançar os primeiros voos diretos entre Los Angeles e Havana, informaram as empresas em nota oficial ontem (18). Agora, as duas aguardam as autorizações para voos comerciais do governo dos EUA e de Cuba.
Para o vice-presidente da AA, Art Torno, a companhia será “a primeira a oferecer o serviço”, mostrando que “nós continuaremos a expandir nosso alcance oferecendo novas rotas e serviços que nossos clientes querem”. Segundo Torno, as empresas vão começar a marcar as viagens “assim que forem permitidos os voos comerciais”.
Já o diretor-geral da Cuba Travel, Michael Zuccato, destacou que está “empolgado” em ampliar a parceria com as empresas norte-americanas. Para ele, “será uma abertura conveniente e confortável para voos autorizados”. A previsão da mídia norte-americana é de que os voos regulares comecem a ser realizados no dia 12 de dezembro.
A reabertura das Embaixadas em ambos os territórios foi mais um passo para reaproximar os povos separados há mais de 50 anos. Em seu discurso, na última sexta-feira (14), o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse que estava começando o tempo para os cidadãos se “conhecerem melhor” (ANSA).

Aprovada multa para construtora que atrasar entrega de imóvel

As construtoras poderão passar a contar com um período máximo de 180 dias de atraso na entrega de imóveis, sem qualquer penalidade. Após esse prazo, poderão ser obrigadas a pagar multa mensal equivalente a 0,5% do valor até então pago pelo comprador e mais multa compensatória de 1% sobre o montante já quitado.
Isso é o que determina o projeto aprovado na Comissão de Meio Ambiente do Senado. De autoria do deputado Eli Correa Filho (DEM-SP), o projeto contou com o voto favorável do relator, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), e segue para deliberação no Plenário. Raupp disse ser comum no mercado imobiliário a previsão de um período de tolerância para entrega de imóveis vendidos ainda em construção, mas observa que não há padronização entre as construtoras quanto à duração do atraso, que em alguns contratos passa de seis meses, nem previsão legal quanto ao valor da multa por descumprimento do prazo.
O projeto modifica a lei que regulamenta as incorporações imobiliárias para prever o prazo máximo de 180 dias de atraso, contados da data fixada para entrega das chaves, e os percentuais de multas para quem ultrapassar essa tolerância. O projeto determina ainda que as incorporadoras enviem informações mensais ao comprador sobre o andamento das obras e, seis meses antes da data combinada para a entrega do imóvel, avisem quanto a possíveis atrasos (Ag.Senado).