86 views 10 mins

Geral 19/04/2016

em Geral
segunda-feira, 18 de abril de 2016

Delator liga Gabrielli a contrato de empréstimo de R$ 12 milhões ao PT

Navio-sonda Vitória 10.000, cujo contrato foi superfaturado.

O ex-gerente da Petrobras, Eduardo Musa, apontou o suposto envolvimento do ex-presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, no direcionamento de um contrato de US$ 1,6 bilhão para a Schahin Engenharia como “compensação” pelo “empréstimo do PT” de R$ 12 milhões, tomado de forma irregular, em 2004, no banco do grupo empresarial, pelo pecuarista José Carlos Bumlai – amigo do ex-presidente Lula

“O pedido para a E&P (Diretoria de Exploração e Produção) teria partido do presidente Sérgio Gabrielli e não teria sido atendido por Guilherme Estrela (então diretor da área)”, declarou Musa, em novo depoimento no dia 9 de dezembro, para a força-tarefa da Lava Jato. Musa era um dos executivos envolvidos no contrato e diz saber que ele foi dirigido para o Grupo Schahin como compensação por um empréstimo retirado para pagar dívida de R$ 60 milhões do PT.
Delator da Lava Jato, ele detalhou como o contrato foi aprovado internamente e a tentativa de fazê-lo em outra diretoria da Petrobras, antes de ser viabilizado a partir de 2006 na Diretoria Internacional, com envolvimento de dois ex-diretores da área: Nestor Cerveró e Jorge Zelada – ambos presos, em Curitiba. O contrato era para a operação do navio-sonda Vitória 10.000, que teve pagamento de propina confesso por pelo menos dois delatores, Musa e o lobista Fernando “Baiano” Soares. Segundo eles, Bumlai atuou diretamente, em nome do ex-presidente Lula, para dirigir esse contrato para a Schahin como forma de pagar os R$ 12 milhões emprestados ao PT em 2004 e nunca pago formalmente
O ex-gerente diz que soube por dois colegas executivos da Diretoria Internacional que o direcionamento do contrato foi tentado antes em outra área. “A mesma tentativa havia sido feita junto à Diretoria de Produção e Exploração do Diretor Guilherme Estrela.” Após a negativa de Estrela, Cerveró teria indicado que solucionaria o caso. “Nestor Cerveró teria dito para Gabrielli: ‘Deixa comigo que eu resolvo’, passando então a coordenar a operação.”
O ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, em outra ocasião, desqualificou as afirmações de delatores que o relacionaram com o negócio do navio-sonda Vitoria 10.000. “Minha posição já foi expressa em depoimento ao Juiz Sergio Moro, em que afirmei que as contratações eram necessárias para o desenvolvimento dos programas exploratórios no Exterior e que as negociações demoraram longos meses porque precisavam estar de acordo com os procedimentos e parâmetros da Petrobras”, afirmou Gabrielli, na ocasião (AE).

Papa critica cristãos que visitam ‘cartomantes’

Papa falou sobre as pessoas que querem respostas imediatas.

O papa Francisco afirmou durante a missa de Santa Marta ontem (18), que aqueles que seguem a Jesus Cristo devem colocá-lo à frente da sua vida e não devem ir à cartomantes ou videntes. Segundo o líder católico, segundo a “Rádio Vaticana”, “não se pode entrar em na vida eterna por outra porta que não seja ‘A’ porta, isto é, Jesus é a porta da nossa vida e não somente da vida eterna, mas também da vida cotidiana”.
“Por exemplo, essa decisão eu a tomo em nome de Jesus ou a tomo, em uma linguagem simples, de contrabando? Jesus é o bom pastor que caminha à frente e as ovelhas devem segui-lo. Ele vai à frente e indica o caminho e quem segue Jesus não erra”, destacou. Citando um exemplo de conversa, Jorge Mario Bergoglio falou sobre as pessoas que querem respostas imediatas.”’Mas, Padre, às vezes as coisas estão difíceis e muitas vezes não vejo de maneira clara o que fazer. Me disseram que havia uma vidente e eu fui lá, falaram de um cartomante e eu tirei as cartas’. Se você faz isso, você não segue Jesus. Segue outro que te dá um caminho diferente”, disse Francisco na homilia.
Para o Papa, a vida cristã “é fácil” e os cristãos devem seguir o “Bom Pastor”. “As ovelhas o seguem porque conhecem a sua voz. Você encontrará a voz de Jesus nas bem-aventuranças. Alguém que lhe ensine um caminho contrário às bem-aventuranças é uma pessoa que entrou pela janela: não é Jesus! Segundo ponto: Você conhece a voz de Jesus? Você pode conhecê-la quando nos fala das obras de misericórdia”, finalizou (ANSA).

Medicamento para psoríase difusa

A Sexta Turma do TRF3 julgou procedente o pedido de um homem que sofre de psoríase extensa e determinou que a União lhe forneça um medicamento que não constava no catálogo de distribuição gratuita do Sistema Único de Saúde. O autor da ação precisa ser tratado com o medicamento infliximab para controle da doença. O laudo médico atesta que a enfermidade, também conhecida como psoríase difusa, não é responsiva ao tratamento convencional.
Cada ampola do medicamento requerido custa R$ 3.543,17. O interessado requereu o fornecimento de 44 ampolas de 100mg do medicamento Remicade.
A relatora do caso, desembargadora federal Consuelo Yoshida, ao analisar o recurso da União, destacou que a questão deve ser analisada sob o ângulo de prover ao requerente medicamento imprescindível à preservação de sua vida, já que este é direito fundamental, e à proteção da saúde, que é pressuposto daquele.
Ela explicou que o direito à vida está assegurado, como inalienável, no artigo 5º da Constituição Federal e que cabe ao Estado brasileiro a obrigação de promover os meios assecuratórios da vida e da saúde de seus súditos. Trata-se de um dever da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, todos responsáveis pela vida e pela saúde dos brasileiros e estrangeiros residentes no Brasil, principalmente no que tange ao seu financiamento, completou a magistrada.

Alerta para distribuição indiscriminada de Tamiflu

timthumb 1 temporario

A Secretaria de Estado da Saúde alerta os profissionais de saúde e municípios paulistas para a importância de uma prescrição racional e criteriosa do medicamento Oseltamivir (Tamiflu). O medicamento, um dos únicos dentro da classe de drogas capazes de atuar contra o vírus Influenza, causador de gripes como a H1N1, deve ser prescrito para pacientes que apresentem quadro de Síndrome Respiratória Aguda Grave, no geral, ou Síndrome Gripal dos considerados grupos de risco, como gestantes, idosos, crianças menores de 5 anos, portadores de doenças crônicas e imunodeprimidos, puérperas e população indígena.
O uso indiscriminado do medicamento, sem a indicação dos critérios recomendados também pelo Ministério da Saúde, pode induzir à resistência viral, ou seja, o vírus Influenza se modifica e passa a ser mais resistente aos efeitos do Tamiflu. Além disso, a prescrição sem critérios leva ao desabastecimento acelerado do medicamento nas unidades de saúde, podendo ocasionar que pacientes com a real necessidade de uso fiquem sem a droga, gerando assim um agravamento dos casos.
É importante destacar que cerca de 90% dos casos de gripe evoluem para a cura espontânea, e uma busca ou recomendação desenfreada pelo Tamiflu ao menor sinal de sintomas de gripe ou resfriado não é necessária. Todos os pacientes com Síndrome Gripal que não se encaixem nos grupos de risco devem ser orientados a retornar ao serviço de saúde em caso de piora do quadro clínico. “O Tamiflu não é um antigripal, mas sim um medicamento para tratamento específico para casos graves ou com real probabilidade de evoluírem para quadros mais sérios”, afirma o secretário de Estado da Saúde, David Uip (SES).