98 views 11 mins

Geral 10 a 12/12/2016

em Geral
sexta-feira, 09 de dezembro de 2016
Com graves problemas de alimentação, a crise venezuelana tem expulsado as pessoas na direção do Brasil.

Roraima decreta emergência com aumento de fluxo de venezuelanos

Com graves problemas de alimentação, a crise venezuelana tem expulsado as pessoas na direção do Brasil.

O fluxo intenso de venezuelanos em Roraima levou o governo do estado a decretar situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional, nos municípios de Pacaraima e Boa Vista

A região faz fronteira com a Venezuela, que vive uma forte crise política e econômica e gerou o êxodo de cerca de 30 mil venezuelanos para o Brasil nos últimos dois anos.
“Havia um fluxo migratório fronteiriço normal. Mas, de um ano para cá esse fluxo mudou, com número grande de solicitantes de refúgio. Nos últimos meses, ocorreram quase 2 mil solicitações”, relata a irmã Telma Lage, coordenadora do Centro de Migrações e Direitos Humanos da Diocese de Roraima.
Os agendamentos dos pedidos de refúgio já chegam ao ano de 2018. “Todos os dias tem fila na porta da Polícia Federal”, conta ela, que acompanha cerca de 500 venezuelanos em Boa Vista. Eles se instalaram nas ruas e nos poucos abrigos da cidades, em busca de alimento e fonte de renda para sobreviver. Segundo o Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista, o número de venezuelanos atendidos aumentou de 324 em 2014 para 1.240 no ano de 2016, o que representa um aumento de 382,71%. O índice de internação de venezuelanos já ultrapassou o de brasileiros: a cada 100 pacientes internados na capital de Roraima, 13 são da Venezuela e cinco do Brasil.
A movimentação migratória também impactou as notificações de doenças infecciosas em 2016. Dos 2.517 casos de malária registrados em Roraima, 1.947 são procedentes da Venezuela. Dos 48 casos de Leishmaniose Tegumentar Americana, 33 ocorreram em venezuelanos e 100% dos novos infectados pelo vírus HIV também são do país vizinho. O governo do estado declara que não tem infraestrutura básica para comportar o aumento expressivo dos atendimentos e que não tem condições de arcar “solitariamente com os custos advindos do fluxo migratório”.
O decreto de emergência foi assinado e valerá por 180 dias. “O que a gente sente é que tem que haver um esforço coordenado entre os governos municipais, estadual e federal. E até agora a gente não tem visto isso. Há uma política baseada no receio”, afirma Telma Lage, coordenadora do Centro de Migrações e Direitos Humanos da Diocese de Roraima.
O presidente do Conselho Nacional de Imigração (CNIG), Paulo Sérgio de Almeida, afirmou que o conselho ainda aguarda o relatório da missão formada por integrantes do Ministério da Justiça, PF, Itamaraty e Acnur, que visitou Roraima em outubro, para estudar as medidas que podem ser tomadas em apoio ao estado. Paulo disse que o decreto de emergência deve agilizar a adoção de medidas de apoio do governo federal (ABr).

ANS suspende comercialização de 69 planos de saúde

De 1º de julho a 30 de setembro, a ANS recebeu 16.043 reclamações de natureza assistencial.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) suspendeu a comercialização de 69 planos de saúde de 11 operadoras em razão de reclamações sobre a cobertura assistencial, como negativas e demora no atendimento. No período de 1º de julho a 30 de setembro, a ANS recebeu 16.043 reclamações de natureza assistencial em seus canais de atendimento. Desse total, 13.956 queixas foram consideradas para análise.
São excluídas reclamações de operadoras que estão em portabilidade de carências, liquidação extrajudicial ou em processo de alienação de carteira.
No universo avaliado, 90,4% das reclamações foram resolvidas via Notificação de Intermediação Preliminar. Os 69 planos de saúde suspensos, juntos, somam cerca de 692 mil beneficiários. Estes clientes, de acordo com a agência, continuam a ter a assistência regular a que têm direito e ficam protegidos com a medida, uma vez que as operadoras terão que resolver os problemas assistenciais para que possam receber novos beneficiários.
Das 11 operadoras com planos suspensos, uma já tinha planos suspensos no período anterior e dez não constavam na última lista de suspensões. Paralelamente, oito operadoras poderão voltar a comercializar 22 produtos que estavam impedidos de serem vendidos. “Isso acontece quando há comprovada melhoria no atendimento aos beneficiários. Das oito operadoras, sete foram liberadas para voltar a comercializar todos os produtos que estavam suspensos, e uma teve reativação parcial”, informou a ANS. A suspensão é preventiva e perdura até a divulgação do próximo ciclo (ABr).

Mercedes procura substituto de Rosberg

Após a surpreendente aposentadoria de Nico Rosberg, a escuderia Mercedes anunciou uma vaga para encontrar o substituto do piloto em um site de classificados. Publicado no site da revista “Autosport”, o comunicado – que foi realmente pago pela escuderia – diz que “uma vaga surgiu para a posição de piloto de corridas”.
Os candidatos interessados devem “ter um histórico comprovado em habilidades, incluindo direção, frenagem e, em particular, na aceleração. A posse de uma superlicença da FIA será um diferencial”. Cheio de bom humor, o anúncio ainda apresenta uma séria de benefícios, como seguro de vida, um carro da Mercedes, sala de ginástica e gastos com restaurantes.
A brincadeira teve grande repercussão já que, até o momento, a equipe não anunciou quem será o companheiro de Lewis Hamilton na próxima temporada. O alemão Rosberg surpreendeu a todos e anunciou sua aposentadoria no último dia 2, cinco após tornar-se campeão mundial na Fórmula 1 (ANSA).

Parlamento sul-coreano aprova impeachment de presidente

Presidente da Coreia do Sul, Park Geun-Hye.

O Parlamento da Coreia do Sul aprovou na sexta-feira (9) o impeachment da presidente Park Geun-Hye, envolvida em um escândalo político. Os poderes da mandatária foram suspensos após a moção de impeachment ser aprovada por 234 votos a favor e 56 contrários. Dois parlamentares se abstiveram e sete cédulas foram consideradas nulas.
O processo de impeachment, agora, precisa ser aprovado pelo Tribunal Constitucional da Coreia do Sul, que tem até 180 dias para decidir sobre o tema. Durante este período, o primeiro-ministro Hwang Kyo-ahn assumirá o posto. A presidente será formalmente retirada do cargo se seis dos nove juízes do tribubal aprovarem o impeachment. Se isto ocorrer, a Coreia do Sul deverá convocar novas eleições presidenciais em 60 dias.
O escândalo começou quando Park Geun-Hye se desculpou publicamente pelo vazamento de vários discursos presidenciais que ainda não tinham sido pronunciados. Os textos tinham sido dados à sua amiga Choi Soon-sil, que também é suspeita de ter se apropriado de US$ 70 milhões de grandes empresas do país (ANSA).

Kim Kardashian e Kanye West estariam se separando

Kim e Kanye, casamento por um fio.

Após dois anos de casamento, a socialite Kim Kardashian e o rapper Kanye West estariam em processo de separação, segundo um amigo do casal. A declaração, dada ao jornal britânico “Daily Mail”, diz que Kardashian “levará algum tempo até ter coragem de tomar uma atitude.
Mas Kim não quer mais ficar casada”. Ainda segundo a publicação, o casal estaria vivendo em residências diferentes, após a saída de West do hospital, quando foi internado com problemas psicológicos. A socialite também pretende solicitar a custódia dos dois filhos, North e Saint. Kardashian e West estão casados desde maio de 2014, quando oficializaram o matrimônio em uma cerimônia luxuosa em Florença, na Itália (ANSA).

Fifa estuda Copa com 48 equipes

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, disse que a proposta de ampliar a Copa do Mundo de seleções para 48 clubes teve uma resposta positiva e unânime durante sua visita a Cingapura. A iniciativa, que poderá ser realizada depois de 2026, foi um dos temas discutidos durante um painel com as confederações provenientes da Ásia, Europa e Oceania.
Segundo Infantino, “todos, por unanimidade, apoiaram o projeto. Uma grande, grande, grande maioria está a favor da ampliação do formato com 48 seleções e 16 grupos de três equipes”, disse. Neste novo modelo, 32 países disputariam uma fase “preliminar”, com um jogo único. Desde a edição de 1998, na França, a Copa do Mundo é realizada com 32 seleções (ANSA).