60 views 12 mins

Geral 07/04/2016

em Geral
quarta-feira, 06 de abril de 2016

Celular é principal meio de acesso à internet no Brasil, mostra IBGE

O celular para navegar na rede era usado em 80,4% das casas com acesso à internet, já o computador para esse fim estava em 76,6% desses domicílios e teve queda na comparação com 2013 (88,4%).

O uso do telefone celular para acessar a internet ultrapassou o do computador pela primeira vez no Brasil

É o que aponta o Suplemento de TI da Pnad 2014, divulgado ontem (6) pelo IBGE. Mais da metade dos 67 milhões de domicílios brasileiros passaram a ter acesso à internet em 2014 (54,9%). Em 2013, esse percentual era 48%. Mais de 60% dessas casas estavam na área urbana.
O celular para navegar na rede era usado em 80,4% das casas com acesso à internet, já o computador para esse fim estava em 76,6% desses domicílios e teve queda na comparação com 2013 (88,4%). A maior proporção desse uso foi registrada no Nordeste, com 92,5% dos domicílios com o celular como meio de acesso à internet.
O uso da banda larga móvel, presente em 62,8% dos domicílios com internet, aumentou 19,3 pontos percentuais em 2014 na comparação com 2013. Já a conexão de banda larga fixa diminuiu 5,2 pontos percentuais e atingiu 71,9% das casas com internet.
O percentual de casas com banda larga móvel era maior no Norte (84,2%) e no Nordeste (66,2%). Além disso, 35% dos domicílios com internet tinham os dois tipos de banda larga em 2014. O número de casas com acesso à internet por tablet, celular e televisão cresceu 137,7% – passando de 3,6 milhões para 8,6 milhões, de 2013 para 2014. O número de domicílios com acesso à internet por tablet (21,9%) e televisão (4,9%) cresceu 76,8% e 116,34% respectivamente no período.
O número de pessoas que acessou a internet por equipamentos eletrônicos diferentes do computador teve crescimento de 155,6% de 2013 para 2014, alcançando 10,5% da população de 10 anos ou mais de idade. O acesso à internet era uma realidade em 88,9% dos domicílios com rendimento mensal domiciliar per capita de mais de 5 salários mínimos. Apenas 25,3% dos domicílios com renda inferior a um quarto do salário mínimo tinham internet.
Cerca de 136, 6 milhões de pessoas de 10 anos ou mais tinham celular em 2014 no país. O número representa 77,9% dessa população e um aumento de quase 5% em relação a 2013 (6,4 milhões de pessoas) e de 142,8% em relação a 2005. O Distrito Federal tinha a maior proporção de pessoas com celulares com 10 anos ou mais de idade (90,6%), já o Maranhão tinha a menor proporção, 54,4% (ABr).

Quer tomar chá com a rainha? Castelo de Windsor abrirá café

Considerado o castelo mais antigo habitado do mundo, seu interior conta com inúmeras obras de arte.

Para quem sempre quis tomar um chá com a rainha, o desejo está próximo de se tornar realidade. Isso porque o castelo de Windsor está passando por uma enorme reforma que permitirá a construção de um café em seu interior, informou o jornal “Daily Mail”. Segundo a publicação, o custo total da obra está na casa dos 37 milhões de libras esterlinas (R$ 192,4 milhões). O valor foi arrecadado com os ingressos e a venda de souvenirs nas residências oficiais da realeza britânica.
O projeto está sendo realizado pela “The Royal Collection Trust”, uma entidade que gerencia a abertura de residências da monarquia, e que também está reformando o Holyroodhouse – casa oficial da Rainha Elizabeth II. O café ficará localizado em uma espécie de “cripta” construída no século 14, que já serviu como adega nos séculos passados. A abóbada é uma das poucas partes do castelo que foi criada a mando do então rei Eduardo III, por volta do ano 1350.
Ainda de acordo com a publicação, a obra ficará pronta no fim de 2017 e será inaugurada no ano seguinte. “O Palácio de Buckingham tem seu próprio café aberto ao público desde o verão e espera-se que a versão de Windsor seja igualmente elegante e discreta”, escreveu o “Daily Mail”. Atualmente, o castelo é aberto para a visitação em diversas áreas e, apesar de ser a residência favorita da soberana, ela dificilmente aparece no local. Considerado o castelo mais antigo habitado do mundo, seu interior conta com inúmeras obras de arte e, em determinados períodos do ano, permite a entrada no exclusivo Jardim de Rosas de George IV (ANSA).

Uso de televisores cresceu 2,9% nos lares brasileiros

A televisão estava presente em 97,1% dos 67 milhões de domicílios brasileiros em 2014, um crescimento de 2,9% na comparação com 2013. Cerca de 40% tinham televisão digital aberta. As informações estão no Suplemento de TI do Pnad 2014, divulgado pelo IBGE. A maioria dos domicílios fica na região Sudeste (45,7%), seguida das regiões Sul (41,5%) e Centro-Oeste (40,8%). Nas regiões Norte e Nordeste, aproximadamente 30% dos domicílios tinham TV digital aberta.
O Distrito Federal tem 62,6% dos domicílios com televisão digital aberta (62,6%), sendo o primeiro na lista, seguido de São Paulo (49,9%). Roraima foi o estado com maior expansão da cobertura, passando da décima posição no país com a menor proporção de domicílios com essa característica para a terceira. Já o Rio de Janeiro, que estava em terceiro lugar na lista de domicílios com televisão digital aberta, caiu para o sexto posto. Os estados com a menor proporção de domicílios com TV aberta digital em 2014 eram Tocantins (18,1%), Piauí (22%) e Alagoas (23,3%).
O número de domicílios com televisão por assinatura registrou aumento de 12% de 2013 para 2014, chegando a 32,1% dos lares brasileiros com aparelho de televisão. A maior proporção continua sendo a região Sudeste, com 43,6% dos lares com TV por assinatura, seguida das regiões Sul (32,5%), Centro-Oeste (30%), Norte (19,8%) e Nordeste (16,3%) (ABr).

Plantas da Amazônia produzem larvicida contra o Aedes

Plantas podem matar larvas de mosquito ou afastar picadas de inseto.

Pesquisadores da Universidade Federal do Amapá investigam o potencial de plantas da Amazônia no controle de mosquitos vetores no Brasil – em especial, o Aedes aegypti. O estudo analisa extratos vegetais e óleos essenciais das plantas e sintetiza as chamadas nanoemulsões – substâncias concentradas e que têm princípios ativos que podem, por exemplo, matar larvas de mosquito ou afastar picadas de inseto. O professor do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Raimundo Nonato, informou que a pesquisa está em andamento há pelo menos 12 meses.
Recentemente, um artigo sobre os avanços alcançados pelo grupo foi publicado na revista norte-americana Plus One. “Já temos mais de cinco substâncias que se mostraram extremamente eficientes na atividade larvicida e que são oriundas de plantas testadas”, disse Nonato. “A prioridade foi dada por causa da necessidade iminente de desenvolver substâncias que possam colaborar para o controle das larvas de forma ecologicamente mais correta, causando danos menores ao meio ambiente”, completou.
Pelo avanço dos trabalhos, a previsão do pesquisador é de que, com mais um ano de estudo, a equipe consiga chegar à formulação final desses produtos. Em seguida, inicia-se o processo de pedido de patente e o registro na Anvisa. “A Índia, o Paquistão e alguns grupos de pesquisadores nos Estados Unidos já têm estudos bastante avançados na produção de repelentes a partir de extratos naturais e óleos vegetais”, comentou Nonato. “A produção, nesses casos, tende a ter um custo menor, mas não é algo simples de se fazer. É necessário dominar técnicas de cultivo e um conhecimento paralelo da parte agronômica” (ABr).

Divórcio consensual em cartório não é possível caso a mulher esteja grávida

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) alterou a Resolução CNJ 35/2007, que regulamenta a realização de separação e divórcio consensual por via administrativa, para esclarecer que o procedimento consensual não pode ser obtido caso a esposa esteja grávida. Até então, a Resolução previa como requisito para obter o divórcio ou a separação consensual a inexistência de filhos comuns menores ou incapazes. A alteração na norma foi aprovada de forma unânime pelos conselheiros do CNJ na 9ª Sessão do Plenário Virtual, realizada no período de 15/3 a 22/3.
A alteração da Resolução é resultado de trabalho desenvolvido no âmbito da Comissão de Eficiência Operacional e Gestão de Pessoas e foi levada a efeito no Procedimento de Competência de Comissão nº 0002625-46.2014.2.00.0000, de relatoria do conselheiro Carlos Eduardo Dias, visando abarcar a hipótese em que a mulher casada está grávida e deseja optar pela separação ou divórcio consensual. O conselheiro Carlos Eduardo Dias considerou, em seu voto, que permitir o procedimento consensual nestes casos poderia gerar risco de prejuízo ao nascituro, que pode ter seus direitos violados – como no caso, por exemplo, da partilha de um bem comum com outro filho capaz.
Desta forma, a Resolução foi alterada no sentido de que na condição de grávida não é possível utilizar o recurso da escritura pública para formalização de acordo de separação ou divórcio em cartório, assim como ocorre atualmente no caso da existência de filhos menores ou incapazes. No entanto, os conselheiros do CNJ assentaram o entendimento de que o estado gravídico, caso não seja evidente, deve ser declarado pelos cônjuges, não cabendo ao tabelião investigar o fato, o que exigiria um documento médico e burocratizaria o processo (Ag.CNJ de Notícias).