100 views 14 mins

Geral 04/11/2016

em Geral
quinta-feira, 03 de novembro de 2016
O país registrou, em 2015, 45.460 casos de estupro, sendo 24% deles nas capitais.

Brasil registrou em 2015 mais de cinco estupros por hora

O país registrou, em 2015, 45.460 casos de estupro, sendo 24% deles nas capitais.

Mais de cinco pessoas são estupradas por hora no Brasil, mostra o 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), divulgado ontem (3)

O país registrou, em 2015, 45.460 casos de estupro, sendo 24% deles nas capitais. Apesar de o número representar uma retração de 4.978 casos em relação ao ano anterior, com queda de 9,9%, o Fórum mostrou que não é possível afirmar que realmente houve redução do número de estupros no Brasil, já que a subnotificação desse tipo de crime é extremamente alta.
“O crime de estupro é aquele que apresenta a maior taxa de subnotificação no mundo, então é difícil avaliar se houve de fato uma redução da incidência desse crime no país”, disse a diretora executiva do Fórum, Samira Bueno. O levantamento estima que devem ter ocorrido entre 129,9 mil e 454,6 mil estupros no Brasil em 2015. O número mínimo se baseia em estudos internacionais, como o National Crime Victimization Survey (NCVS), que apontam que apenas 35% das vítimas de estupro costumam prestar queixas.
O número máximo, de mais de 454 mil estupros, se apoia no estudo Estupro no Brasil: uma radiografia segundo os dados da Saúde, do Ipea, que aponta que, no país, apenas 10% dos casos de estupro chegam ao conhecimento da polícia. Considerando somente os boletins de ocorrência registrados, em 2015 ocorreu um estupro a cada 11 minutos e 33 segundos no Brasil, ou seja 5 pessoas por hora. O estado com o maior número de casos foi São Paulo, que responde por 20,4% dos estupros no país, com 9.265 casos.
Roubo de veículo – a cada 1 minuto e 1 segundo, um veículo foi roubado ou furtado em 2015 no país, totalizando 509.978. Apesar do resultado, houve uma queda de 0,6% na comparação com 2014, sendo 3.045 veículos a menos. Somando os casos de 2014 e 2015, foram roubados ou furtados 1,023 milhão de veículos, segundo os dados do anuário. O levantamento mostra ainda a necessidade de fortalecer a capacidade de investigação da polícia.
“O roubo e o furto de veículos, muitas vezes, acabam por financiar organizações criminosas envolvidas com tráfico e outros delitos mais graves”, disse, em nota, o diretor-presidente do Fórum, Renato Sérgio de Lima. “O que torna fundamental o constante aperfeiçoamento da capacidade investigativa da polícia e o combate a esse tipo de crime”, destacou (ABr).

Líder do EI pede para jihadistas lutarem no Iraque

Líder do grupo extemista islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi.

O Estado Islâmico (EI) publicou na web um áudio do seu líder, Abu Bakr al-Baghdadi, pedindo que seus seguidores sejam mais combativos no Iraque e que lancem ataques contra a Arábia Saudita e a Turquia. No discurso, que leva o título “Isto é o que Allá e seu profeta nos prometeram”, al-Baghdadi fala da ofensiva militar do Iraque contra Mosul, que é a capital do califado do Estado Islâmico.
De acordo com ele, a operação iraquiana é “uma guerra contra os muçulmanos realizada pelos apoiadores das cruzadas e por judeus”. Provocando a rivalidade entre sunitas e xiitas, o líder do EI também disse que os xiitas estão “fazendo tudo que podem para tomar o poder do Iraque”. Diante disso, al-Baghdadi disse que o fortalecimento do Estado Islâmico é o “único remédio” para proteger os muçulmanos sunitas e o Iraque.
A última mensagem de al-Baghdadi tinha sido divulgada em 26 de dezembro de 2015, há quase um ano. O novo discurso do “califa” vem em um momento em que o Estado Islâmico sofre derrotas sucessivas. Além da morte de jihadistas importantes dentro do grupo, o EI enfrenta a ofensiva militar iraquiana que tenta recuperar a cidade de Mosul, capital do califado.
Desde o dia 17 de outubro, as tropas iraquianas avançam em direção a Mosul com o apoio da coalizão internacional, guiada pelos Estados Unidos, e de países da região, além de grupos curdos e milícias xiitas. Ontem, uma fonte curda anunciou que al-Baghdadi estaria em Mosul e que, caso fosse morto, seria o “fim do Estado Islâmico” (ANSA).

Pesquisa indica ligeira queda no endividamento das famílias

A proporção de famílias em todo o país com algum tipo de dívida atingiu, em outubro, 57,7%, taxa ligeiramente inferior ao percentual de setembro (58,2%) e também abaixo de igual mês do ano passado (62,1%). É o que indica a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Apesar desse recuo, comparado a outubro do ano passado, cresceu a parcela dos endividados sem condições de quitar os seus débitos.
O levantamento mostra que 9,4% dos entrevistados alegaram que não conseguirão pagar as suas dívidas – e a taxa é superior aos 8,5% registrados há um ano, porém, um pouco abaixo de setembro último (9,6%). Quase não houve alteração sobre o mês anterior, na parcela de famílias que se declararam muito endividadas, passando de 14,4% para 14,2%. Sobre o mesmo mês de 2015, houve pequena elevação de 0,3 ponto percentual. Entre as que estão atrasando o pagamento das dívidas, elas declararam ter passado em média 62,9 dias do prazo de vencimento.
Em média, os débitos foram parcelados em sete meses e 33,4% disseram que costumam dividir a forma de pagamento pelo período de um ano. E mais: 21% declararam estar com mais da metade da renda comprometida com o pagamento de dívidas. O tipo de dívida mais apontado é com o cartão de crédito, citado por 77,1% dos entrevistados, seguido pelos carnês (14,1%), e pelo financiamento de carro em terceiro (10,2%).
Para o economista da CNC, Bruno Fernandes, “as famílias estão mais cautelosas e perderam o poder de compra diante da renda menor, da falta de emprego e crédito caro”, justificou. Na sua avaliação, por pelo menos até o final do primeiro trimestre de 2017 não deve ocorrer uma reversão da situação financeira dos endividados (ABr).

Marta é indicada ao prêmio de melhor do mundo

Marta é indicada pela 12ª vez a prêmio de melhor do mundo da Fifa.

Melhor do mundo entre 2006 e 2010, a craque brasileira Marta voltou a ser indicada ao prêmio de principal jogadora do ano dado pela Fifa. Quarta colocada nas Olimpíadas com o Brasil, a atleta do Rosengard, da Suécia, integra uma lista de 10 candidatas nomeadas pela entidade máxima do futebol mundial. Ela concorrerá com craques como Carli Lloyd (EUA/Houston Dash), melhor do mundo em 2015, e as alemãs Melanie Behringer (Bayern de Munique), Sara Däbritz (Bayern de Munique) e Dzsenifer Marozsán (Lyon), campeãs olímpicas no Rio de Janeiro.
As outras indicadas são: Camille Abily (França/Lyon), Amandine Henry (França/Portland Thorns), Saki Kumagai (Japão/Lyon), Lotta Schelin (Suécia/Rosengard) e Christine Sinclair (Canadá/Portland Thorns). A vencedora será escolhida por meio de uma combinação entre o voto de internautas e 200 jornalistas, que representará 50% da pontuação, e de técnicos e jogadores, que responderão pela outra metade. A festa de premiação será no próximo dia 9 de janeiro, em Zurique, Suíça (ANSA).

Auditores contra projeto que muda carreira tributária

Auditores fiscais da Receita protestaram ontem (3) em Brasília contra as alterações no projeto que trata da Carreira Tributária e Aduaneira da Receita e institui o Programa de Remuneração Variável do órgão. Segundo o sindicato da categoria, foi apresentado um substitutivo ao texto original do acordo encaminhado pelo governo. Entre as mudanças propostas, figura o compartilhamento das atribuições dos auditores fiscais com os analistas tributários, cargo complementar dentro do órgão.
Para o Sindifisco, a medida altera a carreira e desestrutura o trabalho na Receita. Segundo o presidente do Sindifisco do DF, Waltoedson Dourado de Arruda, no projeto original haveria uma reafirmação de que os auditores seriam as únicas autoridades tributárias e aduaneiras da União.
“No futuro, haverá uma grande confusão dentro da Receita porque o auditor, por lei, é quem executa as fiscalizações e tem o poder decisório nos processos administrativos. No futuro, todos esses cargos vão pleitear novas atribuições. Então, vemos que há uma tentativa de mudança para um futuro trem da alegria e isso enfraquece o órgão”, disse o auditor.
O relatório do projeto deve ser votado na próxima terça-feira (8) na Câmara, numa comissão especial. O Sindifisco espera conseguir mobilizar o Executivo e parlamentares para que as alterações sejam retiradas do texto.
Além dos protestos, a categoria está em greve há três semanas, fazendo paralisações de dois ou três dias durante a semana. Caso o texto seja aprovado no Congresso, a greve poderá ser intensificada (ABr).

Rio é a 54ª cidade com melhor reputação

A capital da Itália, Roma, está em 8º lugar no “top 10” das cidades com melhor reputação mundial, de acordo com o ranking “City RepTrak 2016”. Sydney lidera a lista, enquanto o Rio de Janeiro, única brasileira, aparece na 54ª posição. Segundo o ranking anual do “Reputation Institute”, líder internacional de consultoria de reputação, a cidade de Veneza está em 12ª colocação e Milão subiu 11 posições, alcançando o 21º lugar.
A pesquisa foi realizada com base em entrevistas nos países do G8, que inclui os Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, Itália, Canadá e Rússia. O estudo mediu as três categorias principais, como eficiência do governo, a atratividade do ambiente, em especial o turismo, e o desenvolvimento da economia. No quesito atração turística, Roma está em primeiro lugar no ranking mundial, seguido de Viena, Paris, Nova York e Barcelona. A cidade de Veneza aparece em sexto, enquanto Milão ocupa a 12ª posição.
No entanto, entre os parâmetros de eficácia do governo, a cidade eterna está em 26º lugar e Milão em 30º. Já no item desenvolvimento da economia, entre as principais cidades do mundo há apenas Milão na 28ª posição. Na classificação geral, no topo da lista está Sydney, seguido de Viena, Zurique e Toronto (ANSA).