251 views 6 mins

Morioka ganha destaque entre as opções de roteiro de primavera no Japão

em Especial
terça-feira, 24 de janeiro de 2023

Indicada pelo The New York Times como um dos destinos a serem visitados em 2023, província fica a pouco mais de duas horas de Tóquio

Com as fronteiras reabertas para turistas desde setembro passado, o Japão ganhou destaque na semana passada ao ter a província de Morioka destacada pelo The New York Times como um dos 52 destinos turísticos para se visitar em 2023.

Localizada ao norte de Tóquio, Morioka é cercada por montanhas e rios e tem um apelo curioso – é o berço de três noodles muito tradicionais no Japão, Wanko Soba, Reimen e Jajamen.

A história por trás de cada um dos pratos, por si só, é bem interessante. Comer Wanko Soba, por exemplo, é considerado uma experiência em Morioka. O cliente pede uma porção e assim que esvazia a tigela é servido novamente, e de forma contínua, até que indique já ter comido o suficiente.

A primeira porção vem sempre pura, para que se prove o sabor natural do macarrão, mas a partir da segunda coberturas podem ser adicionadas. Cada pessoa chega a comer de 30 a 60 tigelas, em média.

Sobre o Reimen, o que se conta é que, originalmente, a receita nasceu na Coréia, mas teria sido recriada em Morioka por um morador norte-coreano, saudoso do prato que comia quando criança. O macarrão é feito de amido de batata e farinha, e depois de resfriado o caldo que se forma é acrescido de coberturas como carne fatiada, kimchi, uma fatia de fruta (geralmente pera, maçã ou melancia), meio ovo cozido e pepino.

O Jajamen, por sua vez, tem suas origens no chinês Zhajiangmian, e teria evoluído em Morioka para se adequar ao paladar dos habitantes locais. Esse macarrão é uma variante do udon , e servido seco com uma colher de missô de carne , um punhado de cebolas verdes fatiadas e pepinos fatiados, com gengibre ao lado.

A mistura é acrescida de vinagre, óleo de pimenta ou alho a gosto. Depois de terminar o macarrão, é comum quebrar um ovo cru no prato e pedir “chitantan” – uma sopa feita com o restante do missô de carne e água quente.

Na agência Quickly Travel, Morioka integra um dos roteiros de viagem ao Japão mais procurados, especialmente na primavera, quando acontece a florada das cerejeiras (Sakura). Com saída de Tokyo, a viagem é feita em trem-bala, utilizando o Japan Rail Pass, passe ferroviário disponível para visitantes com visto de turista. O passe permite viagens ilimitadas no trem bala e nas linhas férreas JR e pode ser conveniado com linhas de ônibus e a balsa de Miyajima. Tem versões nas categorias comum e luxo, para quem quer mais conforto, com validade para 7, 14 ou 21 dias.

Entrou na lista do The New York Times como destino a ser visitado em 2023.

Sugestão de roteiro
Dia 1 – Tokyo / Kitakami / Morioka
Traslado para estação central de Tokyo para início da viagem ao norte de Tohoku para conhecer a região em plena florada das cerejeiras (Sakura)

Embarque em trem-bala (shinkansen) com destino a Morioka e uma parada na cidade de Kitakami, onde poderá participar do Festival de Sakura (Cerejeiras) no Parque Tenshochi Kitakami

Prosseguimento para Morioka, durante o percurso, sugerimos vivenciar a experiencia de almoçar no trem se deliciando do famoso EKIBEN (marmita japonesa elaborada, com itens sazonal e típico da região, custa em média US$ 10)

Chegando em Morioka, visita às ruínas do antigo castelo e a famosa “Ishiwari-zakura”, uma cerejeira que cresceu no meio de uma grande pedra

Sugestão de acomodação:

Econômico superior, próximo da estação de trem:

• Metropolitan Morioka New Wing –
Diária para 2 pessoas, custa a partir de R$ 550

• Richmond Hotel Morioka Ekimae
Diária para 2 pessoas, custa a partir de R$ 395
Uma outra sugestão seriam as hospedagens em Ryokans, uma hospedagem em estilo japonês com Onsen (águas termais)

• Shikitei Ryokan
Localizada em uma região de águas termais, tranquila e autêntica em estilo japonês oferece um refúgio perfeito após uma longa viagem.

O Shikitei é especializado em jantares tradicionais de vários pratos no estilo kaiseki, preparados com uma seleção de produtos cultivados localmente.

Diária para 2 pessoas, custa a partir de R$ 1.100 com café da manhã e jantar

Festivais de rua cultuam as tradições nacionais.

Dia 2 – Morioka / Kakunodate / Aomori
Saída em direção a cidade de Kakunodate, para visita aos bairros dos Samurais e caminhar por suas antigas ruas.

Prossegue para o Morioka Handcrafts Center, com possibilidade de participar de um workshops, produzindo um brinquedo em madeira – o tradicional cavalo “Chagu-Chagu Umako”

E se deliciar do macarrão típico, conhecido como “Morioka Reimen”

Término do passeio e embarque em trem-com destno a Aomori, utilizando o Japan Rail Pass Aéreo: é possível encontrar opções saindo de São Paulo, com valor a partir de R$ 7.500, por pessoa, em classe econômica (www.quicklytravel.com.br).