132 views 6 mins

Volta às aulas: como escolher o material escolar?

em Destaques
domingo, 29 de janeiro de 2023

Caderno, lápis de cor, giz de cera, canetinha… Chegou o momento da temida lista de material escolar, uma despesa a mais em um início de ano já bem oneroso por conta das contas extras a pagar. Conseguir os melhores preços e garantir escolhas que possam durar (pelo menos) até o fim do ano letivo são alguns dos desafios de pais e responsáveis na hora de escolher o material escolar.

Dependendo da idade da criança, os cuidados com segurança também devem ser prioridade. É importante evitar materiais que possam prejudicar a saúde dos pequenos.

Há quatro anos produzindo guias de compras específicos para cada um dos itens que compõem a lista de materiais escolares, a mybest separou algumas dicas que pais e responsáveis podem levar em consideração para fazer escolhas mais acertadas e correr menos riscos de precisar (re)comprar os produtos ao longo do ano. Confira algumas dessas dicas:

. Mochila: para evitar que a mochila acabe rasgando ao longo do ano, deve-se optar por materiais resistentes, como lona, poliéster ou nylon. Em relação ao modelo, o ideal é que até os 7 anos de idade, as crianças utilizem mochilas de rodinha. Os modelos de costas são indicados a partir dos 8 anos, desde que o peso total carregado não ultrapasse 10% do peso da criança.

. Estojo: se o intuito é acomodar apenas lápis, caneta e objetos menores, um estojo escolar com até 20cm de comprimento e 3cm de largura é o suficiente. Esses modelos costumam caber em qualquer mochila. Para carregar mais itens, como réguas, tesouras, cola e canetinhas, é melhor optar por um estojo com pelo menos 25cm de comprimento e 17cm de largura. Lembrando que os estojos maiores ocupam bastante espaço na mochila!

. Lápis de cor: as caixas de lápis de cor costumam ter entre 12 e 72 cores. Caixas com 12 ou 24 cores são suficientes para crianças que estão começando a pintar. Mais do que isso pode confundi-las. Para crianças de até 4 anos, que ainda estão desenvolvendo a coordenação motora, além de preferir o formato triangular, escolher um lápis de tamanho jumbo também ajudará os pequenos a segurarem o lápis corretamente.

. Giz de cera: o giz de cera escolhido deve ser atóxico e estar em conformidade com as normas de segurança do Inmetro. Esse órgão realiza testes de metais pesados e confirma se o produto é seguro para uso. É possível constatar isso verificando o selo do Instituto na embalagem do produto ou pelo próprio site do órgão.

. Canetinha: ao manusear canetinhas hidrográficas, é muito comum notar manchas na roupa, não é mesmo? Para facilitar a lavagem do tecido, prefira canetinhas com o selo de lavável na embalagem.

. Lapiseira: é possível encontrar lapiseiras de metal e de plástico. Em geral, os modelos de metal são mais pesados, resistentes e caros, enquanto as lapiseiras de plástico são mais leves, frágeis e baratas. Alguns modelos podem apresentar uma combinação dos dois materiais, como as lapiseiras com o corpo de plástico e a ponteira de metal. Essa é uma ótima opção para quem busca um produto com bom custo-benefício.

. Caderno: para cadernos escolares, o ideal é que a gramatura do papel esteja entre 56 e 90g/m². Para desenhos, uma gramatura superior a 90g/m² é mais desejável. Quanto menor a gramatura, mais frágil e “transparente” serão as folhas do caderno.

. Tesoura: o primeiro critério a observar é se a tesoura tem ponta arredondada, para evitar acidentes. Sobre o material, para crianças com até 6 anos, modelos totalmente em plástico são mais indicados. Para crianças maiores, ou que já possuem bom domínio desse instrumento, pode-se optar por uma tesoura escolar em aço inox.

. Dica extra: identifique com uma etiqueta todos os materiais dos pequenos para facilitar a devolução em caso de perda, o que é muito comum no ambiente escolar.

. O que não pode ser exigido: A Lei Federal nº 12.886/2013 proíbe a cobrança na lista de material escolar de itens que sejam de uso coletivo, como produtos de limpeza, de higiene e materiais para uso administrativo.

Alguns exemplos de produtos vetados são giz de cera e canetas de lousa, papel higiênico, copos e pratos descartáveis, medicamentos, fitas adesivas, entre outros itens que não são para uso exclusivo do aluno. Ademais, as quantidades pedidas devem limitar-se ao que será usado naquele ano letivo.

Fonte e mais informações: (https://mybest-brazil.com.br/).