91 views 6 mins

Vai abrir um negócio? Veja 5 dicas para impulsionar suas vendas

em Destaques
sexta-feira, 19 de abril de 2024

No Brasil, o mercado de varejo continua a mostrar sinais de recuperação com um crescimento de 2,5% registrado em janeiro, conforme dados recentes divulgados pelo IBGE. A expansão positiva traz tons de superação frente aos desafios enfrentados durante a pandemia e retorno à estabilidade econômica.

Aproveitando o bom cenário do setor varejista no país, muitos brasileiros desejam empreender mas não sabem por onde começar e nem desenvolver o seu futuro comércio. Afinal, em uma área cada vez mais competitiva, abrir uma empresa e aumentar suas vendas vai muito além de simplesmente lançar um negócio – cada decisão conta, desde o primeiro investimento até a estratégia de vendas.

Mas, quais são os diferenciais que separam os negócios lucrativos daqueles que mal decolam? O presidente da FCDL-SP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do estado de São Paulo), Maurício Stainoff, traz cinco dicas primordiais, confira abaixo:

  1. – Fique atento ao mercado – Entender o mercado e identificar as necessidades dos consumidores é o primeiro passo para se destacar, e isso não é tudo. A chave está em oferecer um produto único ou experiência que faça os clientes voltarem e indicarem seu negócio.
  2. – Aposte em marketing criativo – Utilize uma variedade de canais de marketing, incluindo mídias sociais, e-mail marketing e publicidade online, para promover sua marca e atrair novos clientes. É preciso ser criativo e inovador para se destacar entre a concorrência, caso contrário, ficará para trás. Pense nisso como uma via de mão dupla onde todos ganham.
  3. – Meios de pagamentos – Ao abrir um negócio, é essencial garantir aos clientes uma variedade de opções de pagamento. Além dos cartões de crédito e débito, o uso de soluções modernas como o Pix pode otimizar a experiência de compra do consumidor. Atualmente, o Pix é o meio de pagamento mais popular, com quase 42 bilhões de transações feitas em 2023, segundo o levantamento da Febraban.
  4. – Equipe preparada – Comece focando nas vendas. Sim, parece óbvio, mas como? Invista em treinamento para sua equipe. Vendedores bem preparados conhecem os produtos a fundo e sabem como apresentá-los da maneira certa.
  5. – Mantenha seu negócio legalizado – Por último, mas não menos importante, inclusive, é a primeira coisa que você deve ficar atento. Ao abrir um negócio, é essencial lidar com várias questões burocráticas para garantir a legalidade do empreendimento. Veja:
  • Registro do CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) – O CNPJ é o registro da sua empresa perante a Receita Federal. Ele é necessário para que sua empresa possa operar legalmente e emitir notas fiscais;
  • Escolha do Regime Tributário – Você precisará decidir qual regime tributário é mais adequado para o seu negócio, como Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real. Essa escolha afetará a forma como sua empresa pagará impostos.
  • Inscrição Estadual e Municipal – Dependendo da natureza do seu negócio e da legislação estadual e municipal, pode ser necessário obter uma inscrição estadual e/ou municipal para operar legalmente.
  • Alvará de Funcionamento – É necessário obter um alvará de funcionamento da prefeitura da sua cidade para comprovar que o local onde sua empresa será estabelecida está de acordo com as normas municipais e pode operar como um estabelecimento comercial.
  • Cadastro na Previdência Social – Se você terá funcionários, precisará realizar o cadastro da empresa na Previdência Social para cumprir com as obrigações trabalhistas e previdenciárias.
  • Registro na Junta Comercial ou Cartório – Dependendo da estrutura jurídica escolhida para sua empresa (como Sociedade Limitada, Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, etc.), pode ser necessário registrar o contrato social na Junta Comercial ou em um cartório de registro de pessoas jurídicas.
  • Licenças Específicas – Dependendo do tipo de negócio, podem ser necessárias licenças específicas, como licenças sanitárias, ambientais, de vigilância sanitária, entre outras.

“Vemos no Brasil um processo para o aquecimento e recuperação total do varejo pós pandemia. Há certa aceleração que pode ser aproveitada pelos que desejam desempenhar algum tipo de negócio. O setor de serviços é perene no país, e o principal incentivador daqueles que buscam empreender”, finaliza Stainoff. – Fonte e mais informações: (http://fcdlesp.org.br).