Temas que dominarão a área de logística e Supply Chain nos próximos anos

Os líderes de supply chain e logística nunca enfrentaram tantos desafios, sobretudo os que vieram à tona durante a pandemia. Certamente, estes desafios começaram bem antes da covid-19, mas vão perdurar mesmo depois que a doença for completamente controlada, como conflitos globais, demandas superaquecidas, escassez de pessoas, equipamentos e inventários, aumento de custos e expectativas dos clientes, além do maior foco na descarbonização do supply chains.

Por isso, esses líderes precisam repensar suas estratégias. Paralelamente, cresceu o reconhecimento e a compreensão sobre a importância do supply chain. Hoje, os líderes desta área têm mais voz em decisões de negócios porque entende-se que este é um tema crítico para o resultado de uma companhia. A Descartes, empresa especializada em soluções de logística e supply chain management baseadas em cloud computing, mapeou oito tendências que devem dominar o segmento.

As organizações que entendem e agem levando em consideração esses nove temas têm oportunidade de não apenas sobreviver, mas prosperar no caos e escassez que estão por vir. Confira:

1 – Conflitos Geopolíticos – As tensões entre as nações sempre existiram, mas têm aumentado na última década, o que impacta nos processos logísticos como um todo já que hoje as cadeias estão globalizadas. Em vez de conflitos físicos, os países estão utilizando regulamentos econômicos para fazerem valer seus interesses, sem falar que a guerra cibernética tornou-se um ponto fundamental.

Embora seja difícil prever uma guerra, muitos conflitos são evidentes e evoluem ao longo dos anos, logo há tempo para minimizar as interrupções do supply chain antes que elas aconteçam. Um dos maiores desafios das do segmento está em examinar parceiros comerciais e indivíduos sancionados para determinar se é possível continuar a conduzir negócios com eles e evitar penalidades ou danos à reputação.

Além disso, a resiliência do supply chain, que já foi definida como a capacidade de responder às interrupções, deve agora incluir a capacidade de resistir aos ataques à infraestrutura de TI que opera na atualidade. Estratégias alternativas de logística e sourcing precisam fazer parte da análise anual de risco da empresa para diversificar o impacto do parceiro regional ou comercial.

2 – Crise global de navegação – A pandemia teve muitas consequências nos negócios, incluindo a crise global de transporte. Parecia que seria algo temporário, mas não haverá um fim tão cedo. Muitos serviços, como viagens e lazer, tiveram investimentos reduzidos, enquanto os consumidores redirecionam seu dinheiro para comprar outros bens. Os padrões de compra mudaram desde o início da pandemia.

Os EUA, por exemplo, importaram 22% mais contêineres de mercadorias em 2021 do que em 2019. O dramático desequilíbrio entre a capacidade de transporte e a demanda do consumidor tem ficado paralisado na cadeia de fornecimento global e doméstica e nas operações logísticas. Esta não parece ser uma situação de curto prazo.

As implicações para o supply chain global e operador logístico são significativas e não podem ser ignoradas, por isso, as estratégias de sourcing e logística precisam ser reavaliadas. Visibilidade do embarque, custo de transporte, otimização e desobstrução perfeita da fronteira tornaram-se mais importantes do que nunca.

3 – Escassez de capacidade – Como há mais movimentação de frete, a infraestrutura logística atual não pode efetivamente acompanhar a demanda. Além disso, há um grande desequilíbrio nos ativos logísticos impedindo que as mercadorias fluam.

Por exemplo, o crescimento vertiginoso do comércio eletrônico durante a pandemia mudou a crise de capacidade para o caminhão de última milha e logística, à medida que os consumidores compram mais online e menos na loja. Some-se a isso a escassez de logística de trabalhadores, situação desafiadora diagnosticada mesmo antes da pandemia.

Sabemos que haverá mudanças de infraestrutura em portos e estradas de todo o mundo para atender o crescimento sem precedentes, e isso produzirá benefícios em longo prazo. Mas, hoje, o supply chain e as operações logísticas precisam ser mais produtivas e eficazes com recursos que já existem, para dar mais visibilidade aos ativos e maximizar sua utilização, reequilibrando sua localização ao longo do tempo.

A otimização também será fundamental para reduzir o espaço no armazém, as ineficiências de transporte e aumento da eficácia dos ativos disponíveis atualmente. O efeito da rede será fundamental para levar as operações logísticas a um novo nível, à medida que as empresas trabalham juntas para desbloquear a capacidade de transporte preso, criando eficiências que nunca acontecem no supply chain individual.

4 – Escassez de Inventário – O aumento da demanda por bens de consumo, a crise global do transporte marítimo, a falta de capacidade de transporte e escassez de recursos humanos para planejar e mover as mercadorias — tudo isso combinado levou à falta de inventário.

Como resultado, os varejistas, fabricantes e distribuidores estão tendo sua top-line restringida por causa da escassez de estoque. Em alguns casos, é pior devido à crescente incerteza em torno da escassez de capacidade em supply chain global e logística. Varejistas, fabricantes e distribuidores querem aumentar seu inventário, mas não conseguem em tempo hábil.

Ganhar melhor visibilidade para o inventário em movimento e em repouso em todo o supply chain é fundamental para fabricantes, varejistas e distribuidores e seus parceiros logísticos para tomar a melhor decisão sobre como implantá-lo para maximizar a receita e minimizar custos. Além disso, saber a condição do inventário é essencial para garantir que o que está disponível seja devidamente mantido para minimizar a perda.

À medida que o inventário se torna disponível, a velocidade e eficiência de seu movimento através do supply chain e processos aduaneiros para o comércio transfronteiriço torna-se muito mais importante. Uma vez nas mãos dos varejistas, a precisão do estoque torna-se primordial para garantir uma experiência diferenciada do cliente e não sobrevenda o que está disponível ou perca uma oportunidade de vendas.

5 – Custos crescentes – Em todo o quadro, os custos estão subindo drasticamente devido ao aumento da demanda, escassez de bens e inflação. Provavelmente em nenhum lugar o impacto de custos mais altos foi maior do que no transporte marítimo. Em algumas faixas comerciais, os custos de transporte de contêineres são dez vezes maiores do que os níveis pré-pandêmicos.

A escassez de materiais (por exemplo, chips de computador), aumento de salários e outros fatores estão levando a inflação para níveis não vistos desde a década de 1980. O foco no crescimento da última década está agora se voltando para a contenção de custos. Empresas estão procurando maneiras de reduzir o impacto da escalada do custo logístico e da inflação usando eficientemente os recursos que eles têm, eliminando atividades não agregadoras de valor e alterando as políticas de serviço.

Fatores como sourcing de fornecedores, logística e otimização do supply chain e automação e análise de custo-benefício estão desafiando as organizações a encontrar menor oferta, fazer mais a um custo menor e racionalizar como eles atendem os clientes para melhorar as margens.

6 – Experiência do cliente – Ainda em meio ao caos que existe hoje, o cliente é rei. Empresas que entregam uma experiência diferenciada podem atrair e reter mais clientes, resultando em crescimento mais forte e maior rentabilidade. O supply chain e as operações logísticas passaram à vanguarda das estratégias diferenciadas de experiência do cliente.

Experiência superior não é mais apenas sobre serviço de entrega confiável e consistente. A habilidade para impactar a experiência de compra, engajar o cliente durante todo o ciclo de vida de entrega e fornecer ao cliente informações valiosas de entrega em tempo real é o que diferencia os líderes de mercado do resto do pacote.

Uma operação logística digitalizada tem a capacidade de transformar a experiência do cliente de ponta a ponta porque toca todo o processo de compra para entrega. Fornecendo aos clientes serviços de valor agregado enquanto eles estão comprando permite que as empresas aumentem a receita e reduzam os custos de entrega.
Atualizações de status de entrega em tempo real mantêm os clientes informados sobre seus pedidos, e ajuda a garantir que eles estejam disponíveis para recebê-lo. Para os clientes B2B, essas informações se tornam muito úteis na determinação antecipada de como eles querem implantar os bens entregues e maximizar a utilização de seus recursos.

7 – Sustentabilidade – À medida que mais governos colocam planos ambientais em ação e consumidores tomam decisão de compra com base na sustentabilidade de uma empresa, o supply chain e operações logísticas são incumbidas de ser uma grande parte do esforço para reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Sendo assim, a redução do CO2 é uma oportunidade.

É tempo de programas de melhoria de desempenho no supply chain e logística para que as operações recebam o crédito de sustentabilidade que merecem. Há muitas maneiras de criar programas de melhoria de desempenho para ajudar a reduzir emissões de gases de efeito estufa e outras atividades poluentes.

Impacto ambiental positivo significativo pode vir do fornecimento das opções de entrega mais ecológicas para minimizar a distância e o combustível consumido, com soluções de otimização para digitalizar processos logísticos que eliminam papel, e muito mais. Se há sempre um lugar onde as empresas podem melhorar seu desempenho e ajudar o planeta, é com suas operações logísticas.

8 – Inovação – Uma convergência de novos modelos de negócios e avanços tecnológicos estão redefinindo como as empresas alavancam o supply chain e operações logísticas para alcançar novos níveis de desempenho do negócio e criar vantagem competitiva.

Estudos de benchmark mostram que as empresas têm melhor desempenho quando seus executivos vêem a importância estratégica da logística e tecnologia associada. Agora, há muitas maneiras pelas quais a inovação tecnológica pode avançar no supply chain e logística e melhorar o desempenho das operações.

A computação em nuvem está permitindo que o supply chain e soluções logísticas se dimensionem para resolver problemas complexos que vão além de empresas individuais e usam dados em tempo real para tomar melhores decisões.

A inteligência artificial (e o machine learning) estão sendo aplicadas ao grande fluxo de dados de GPS em tempo real e dados transacionais que o supply chain e operações logísticas podem gerar para obter uma visão mais profunda sobre o desempenho operacional, prever com mais precisão os resultados e a sintonia de sistemas.

. A capacidade de interagir – O supply chain e a automação logística, em combinação com soluções voltadas para o cliente, estão dando aos clientes a capacidade de interagir sob demanda com seus parceiros logísticos, varejistas e outros para criar uma experiência perfeita e diferenciada. – Fonte e outras informações, acesse: (https://www.descartes.com/br/home-pt-br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap