124 views 8 mins

Tecnologias disruptivas – o Metaverso Industrial e o Gêmeo Digital

em Destaques
segunda-feira, 10 de abril de 2023

Em um futuro bastante próximo, será possível dizer que existia um mundo antes da implementação do Gêmeo Digital e do Metaverso Industrial, e um mundo posterior, totalmente imerso em tecnologias disruptivas.

O tema está no centro da estratégia de negócios da Siemens, líder em tecnologia com propósito, e permite ganhos como agilidade, validação e segurança na execução de testes, análises preditivas de resultados e receptividade do público, bem como redução do tempo gasto nessas tarefas.

Segundo previsões da Gartner, consultoria global especializada em aconselhamento para empresas, até 2026, 30% das organizações do mundo terão produtos e serviços prontos para o Metaverso. Confira algumas perguntas e respostas que auxiliam na compreensão desses temas que permeiam as discussões sobre o futuro da indústria, com reflexo no dia a dia das pessoas.

  1. – O que é o Metaverso Industrial? Ele já é uma realidade? – O Metaverso Industrial é um ambiente virtual em 3D que simula o mundo real, acessado por meio de aparelhos de tecnologia acessível, como celulares ou óculos VR (específicos para visualização virtual).

Dentro dessa possibilidade de criação infinita em ambiente digital, são os avatares que farão a interação entre usuários e máquinas. A experiência do Metaverso da Siemens baseia-se em sua tecnologia líder de Gêmeo Digital fotorrealista.

  1. – E o 5G, ele facilita a adoção dessas novas tecnologias? – A simulação digital pode acelerar a implementação das redes de comunicação 5G. “É possível criar uma fábrica ou cidade virtual para verificar os melhores pontos onde instalar a infraestrutura”, explica Rafael Alves, responsável pela área de Digitalização da Siemens.

Embora o nome seja Metaverso Industrial, essa tecnologia também é aplicada em outros segmentos. “O 5G tem um potencial enorme de transformar indústrias e infraestruturas críticas para melhorar a vida das pessoas e reconfigurar operações industriais.

Uma das principais diferenças entre o 5G e as gerações anteriores de redes celulares está em seu foco na comunicação máquina-máquina e na Internet Industrial das Coisas (IIoT) que, em um cenário de aumento de demanda, torna o 5G peça fundamental desse quebra-cabeça tecnológico, suportando a comunicação com confiabilidade sem precedentes e baixas latências”, diz Pablo Fava, CEO da Siemens Brasil.

  1. – O que é Gêmeo Digital e por que esta tecnologia está dominando o ambiente industrial? – O Gêmeo Digital é a tecnologia-chave para os avanços industriais desta década, alinhada com conceitos como digitalização de processos, descarbonização e transição energética. Trata-se de uma aplicação de software que utiliza dados do mundo real para criar uma simulação virtual.

Há Gêmeo Digital para documentação, criação e manutenção de planta, treinamento de operadores, criação de produtos e diversas outras aplicações. Rafael Alves, responsável pela área de Digitalização da Siemens, lembra que o Gêmeo Digital permite um ciclo de retroalimentação com o mundo real: os dados de uma planta física retornam ao software para análise e melhorias dos processos e voltam a ser aplicados, assim sucessivamente, num processo de melhoria contínua.

A Siemensstadt Square foi planejada com a tecnologia do Gêmeo Digital da Siemens e será entregue em Berlim até 2035. Foto: Divulgação Siemens
  1. – Quais são as aplicações práticas do Gêmeo Digital? – Na criação de um produto com o Gêmeo Digital, a Siemens atua desde o ponto de sua concepção, passando por testes de embalagem, rótulo, resistência ao calor e tudo que envolve este processo, até a situação real. Ao tratá-lo virtualmente, é possível antecipar todas as condições de sua existência, antevendo falhas e deixando-o apto para a finalização.

Em um Gêmeo Digital de uma fábrica ou uma plataforma de petróleo, por exemplo, podemos navegar pelo ambiente virtual analisando, testando e aplicando, de maneira digitalizada, soluções como treinamento de operadores, ergonomia para colaboradores, diminuição de pegada de carbono, redução de custos e dezenas de outros contextos do mundo real.

No desenvolvimento das cidades, o Gêmeo Digital promove economia de custos, além de diversos aspectos do planejamento urbano, desde projetos e construções até operações e gestão de distritos inteiros. Esse tipo de aplicação, em escala maior, já é realidade na Siemensstadt Square, em Berlim, onde a tecnologia interconecta edifícios, sistemas de transporte e outras infraestruturas como distribuição de energia.

Em 2022, a Siemens lançou o Building X, solução que combina os mundos real e digital dos edifícios, consolidando dados de várias fontes em um Gêmeo Digital de operações prediais. Os usuários se beneficiam da transparência que o Building X oferece em seus esforços para tornar suas edificações mais sustentáveis, obter melhor desempenho do edifício e otimizar a experiência do usuário — tudo resultando em melhorias comerciais e de bem-estar.

  1. – A plataforma aberta de negócios Siemens Xcelerator fará a convergência entre o Gêmeo Digital e o Metaverso Industrial? – O Metaverso Industrial é a evolução do Gêmeo Digital. O lançamento do Siemens Xcelerator, uma nova plataforma de negócios digital aberta com um portfólio de hardware e software direcionado, é habilitado para a IoT, um poderoso ecossistema de parceiros e um marketplace. “Conectar o mundo real e o digital é a finalidade da Siemens.

Diferente de qualquer outro player do mercado, busca-se a plena convergência entre software e hardware. Tornar o hardware inteligente, equipar máquinas com sensores, conectá-las à Internet das Coisas e utilizar a inteligência artificial (AI) são atividades que formam a base para a digitalização industrial”, diz Peter Körte, Diretor de Tecnologia e Diretor de Estratégia da Siemens AG.