Reentrada: como os escritórios devem se preparar para a segurança dos colaboradores

Após períodos de quarentena causados pela pandemia de coronavírus, os governos estaduais e municipais começam a preparar os planos de retomada econômica prevendo o retorno às atividades de forma ordenada. No mundo corporativo, várias adaptações precisarão ser feitas no dia a dia dos escritórios para garantir a saúde e a segurança dos colaboradores.

Para auxiliar as empresas a se organizarem para este momento, a JLL preparou um guia que leva em conta quatro fatores essenciais para iniciar a programação de retorno aos escritórios:

  1. Exigências governamentais: estar em alinhamento com as diretrizes e legislações locais, estaduais e federais.
  2. Compreensão das ações dos proprietários ou investidores: é necessário entender os protocolos, regulamentações e políticas estabelecidas pelos proprietários do edifício.
  3. Desenvolvimento de um plano de ação: entender quem deve retornar aos escritórios e quem permanecerá em home office, garantir materiais de proteção aos colaboradores, estabelecer protocolos de limpeza de espaços, redimensionar os espaços, considerando a necessidade do distanciamento social.
  4. Considerações para o colaborador: garantir que os funcionários tenham acesso às informações necessárias para retornarem ao escritório com segurança, confiança e bem-estar.

Desde a recepção até o refeitório, os espaços precisarão ser revistos para atenderem às novas diretrizes de saúde. As empresas precisarão desenvolver uma estratégia integrada e holística para a retomada, adaptada às necessidades de cada equipe. Os escritórios terão que ajustar à nova capacidade funcionários, replanejando o número de assentos e o layout do seu espaço, com base nas diretrizes de distanciamento social.

“Será preciso também estabelecer cronogramas rotacionais para funcionários essenciais em cada etapa da retomada e assegurar-se de que os funcionários tenham clareza sobre o que se espera deles a respeito dos padrões de distanciamento e higiene, comunicando novos protocolos do local de trabalho”, explica Roberta Hodara, especialista em workplace.

Confira abaixo algumas ações para o retorno das atividades nos escritórios com segurança:

● Triagem de funcionários e visitantes: ter como um dos critérios de seleção de quem voltará ao escritório o histórico de viagens e a presença de sintomas físicos dos funcionários. Comunicar para visitantes e colaboradores os requisitos de saúde e estabelecer monitoramento de temperatura para todos;

● Operações: desativar instalações que não serão utilizadas imediatamente, estabelecer inspeções de segurança e risco, monitoramento remoto do edifício;

● Alimentação: considerar que os colaboradores levarão comida de casa para almoçarem no trabalho, o que aumentará o tráfego em espaços de café e refeitórios. Assim, deve haver uma política de uso desses ambientes e uma avaliação da necessidade de reformulação de layout;
● Limpeza: processos e planos de descontaminação de áreas, melhora dos padrões e eficiência de limpeza;

● Saúde e bem-estar: dar apoio físico e mental para os colaboradores, comunicar com clareza os novos protocolos e as regras de distanciamento social, kit boas-vindas com guia de boas práticas, máscara e álcool gel.

Para Hodara, essas considerações e o planejamento por parte das empresas são importantes para proporcionar acima de tudo um ambiente seguro e estruturado para receber os colaboradores nas instalações existentes, mas adaptadas ao novo normal.

“Além do planejamento da infraestrutura as empresas precisarão apresentar esse novo ambiente através de uma comunicação clara e transparente, promovendo treinamentos e engajando os próprios colaboradores nessa nova empreitada”, ressalta a executiva.

Fonte e mais informações: (https://www.jll.com.br/).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap