Pesquisa: Varejo Scan & Go se espalha após a pandemia

Uma pesquisa realizada pela empresa suíça de visão computacional móvel e realidade aumentada, Scandit, mostra que mais da metade dos varejistas (58,7%) já está oferecendo ou trabalhando na implementação de alguma aplicação de self-scanning, ou Scan & Go, em que o celular do cliente é utilizado para capturar informações sobre produtos e pode chegar até ao auto-checkout em lojas físicas. Destes, 37,9% já possuem uma solução e 20,8% planejam implantar.

A Scandit é líder nessa área em aplicações de varejo e logística e realizou a pesquisa junto a 116 varejistas em diversos países da Europa. Para a maioria desse comerciantes (68,1%) a disponibilidade de compra com recurso Scan & Go está levando aos clientes a confiança necessária para retornar às lojas físicas após os sucessivos processos de lockdown causados pela COVID.

. Consumidores respondem bem ao Scan & Go – No geral, mais da metade dos varejistas (56,8%) concorda que os clientes preferem as soluções de compra em seus smartphones, entre eles os aplicativos para compras self-scanning, em vez de dos coletores manuais dedicados que costumam equipar as lojas.

Para 59,5% dos varejistas, durante a pandemia aumentou o número de clientes que desejam usar esta tecnologia para acessar mais informações sobre os produtos, ajudando-os em escolhas de compras mais conscientes.

A combinação de escaneamento com realidade aumentada (AR) permite que os clientes encontrem mais rapidamente um produto específico na prateleira, além de informações adicionais contidas no rótulo ou oferecidas pelo lojista, tais como descontos em produtos na tela do aplicativo.

Mais de um terço (36,3%) dos varejistas que oferecem Scan & Go também relatam aumentos no tamanho das cestas de clientes, enquanto 27,3% dizem que experimentaram aumento no uso do recurso desde o início da pandemia.
Varejistas que já oferecem self-scanning mencionam a capacidade de reduzir o contato dos clientes com a equipe e outros compradores como um dos impulsionadores da adoção da solução, além da capacidade de envolver os clientes numa experiência de compra mais satisfatória, com economia de tempo nas filas do caixa.

“O varejo sem contato já estava se tornando uma tendência antes da pandemia – mas agora é a nova realidade. Desde o início da COVID-19, nossos clientes supermercadistas viram o número de transações Scan & Go, baseadas em aplicativos móveis, duplicarem ou até mais, em suas lojas”, afirma Samuel Mueller, CEO da Scandit. No mínimo, os clientes preferem não perder tempo nas filas do caixa e querem ter a capacidade de pegar rapidamente o que precisam para seguir com as funções mais importantes do seu dia.

A simplicidade e velocidade do self-scanning no próprio smartphone do cliente torna isso possível, permitindo manter o distanciamento físico e proporcionando mais confiança para quem faz compras. Os resultados dessa pesquisa apontam para uma forte aceleração da demanda exatamente por esse tipo de experiência.

. Omnichannel expandido – Os varejistas também veem a tecnologia self-scanning como forma de expansão de seus recursos omnichannel. Quase metade (45,4%) dos empresários que empregam self-scanning já oferece o download de aplicativos personalizados de compras para os clientes.

As prioridades de investimento, entre esses varejistas, está em dimensionar e promover novos serviços click and collect (45,4%), implementar estes serviços em uma gama mais ampla de canais digitais (38,6%) e aprimorar seus aplicativos personalizados atuais (34,1%).

Entre os varejistas que ainda não oferecem self-scanning, o aprimoramento dos aplicativos personalizados atuais está no topo da lista de prioridades para investimento em tecnologia (36,1%), seguido por click and collect (27,8%), implementação de novos canais digitais e implementação de automação na loja (ambos 25%).

Uma proporção considerável de varejistas que ainda não implementaram o self-scanning já está trabalhando para implementá-lo ou considerando fazê-lo (33,3%).

Os varejistas que já possuíam uma abordagem ‘sem contanto’ tiveram vantagem significativa quando a COVID-19 se alastrou. Isso fez com que outros varejistas começassem a implementar novas soluções Scan & Go ou aprimorar o que já ofereciam, como confirma a pesquisa.

Nós enxergamos essa demanda em primeira mão, enquanto trabalhávamos com vários varejistas para implementar novas soluções móveis ‘sem contato’ durante o ano passado. À medida que avançamos em 2021, a expectativa é de que os consumidores vão se tornando mais familiarizados com o mundo expandido das experiências como self-scanning, click and collect, retirada na calçada (curbside pickup) e entrega à domicílio.

“Portanto, acreditamos na continuidade dessa tendência”, disse Mueller. Fonte e outras informações: (https://www.scandit.com/).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap