Os erros mais comuns ao realizar o backup e como evitá-los

De acordo com o relatório da Kaspersky “Os riscos de segurança para o consumidor”, publicado em 2021, apenas quatro em dez brasileiros se preocupam em realizar as cópias de fotos e dados para evitar perdê-los (41% para informações no PC e 44% no celular).

“Vale destacar que o backup é a preocupação mais comum entre os internautas, à frente da opção ‘cobrir a webcam para evitar espionagem’ (37% dos latinos). Porém, do ponto de vista da segurança, o índice é baixo”, afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil. Além da falta das cópias de segurança para a maioria das pessoas, o especialista aponta ainda detalhes importantes de como o backup é feito:

  1. Não coloque “todos os ovos na mesma cesta” – Salvar o backup no mesmo espaço físico dos dados (computador / notebook) é perigoso. Caso o dispositivo seja infectado ou ocorra um erro no equipamento, não haverá como recuperar as informações. O correto é armazenar a cópia em um local externo.
  2. Confira o arquivo após sua criação – A maioria das pessoas apenas geram a cópia de segurança e depois a esquecem em uma pasta. Infelizmente, o processo é complexo e pode haver erros que comprometerão o arquivo ou apenas uma parte das informações. Por isso, sempre abra o backup para conferi-lo.
  3. Backup na “nuvem” não está seguro – Há alguns anos, um hacker confirmou que usou mensagens falsas (phishing) para roubar senhas e acessar fotos de mais de 100 celebridades, que acabaram vazando na internet. O caso mostra que dados na nuvem não estão seguros. Além de ter uma senha forte e única para serviços de armazenamentos na nuvem, veja a possibilidade de adicionar a dupla autenticação para evitar acessos indevidos.
  4. Fez backup uma vez e acha que está garantido, certo? Errado – Você deve salvar seus dados com a maior frequência possível para manter o backup atualizado. Use a nuvem para manter a cópia de segurança sempre atualizada e salve o backup em um hardware físico (externo) de forma regular.
  5. Simplificar e automatizar não significa proteção – Hoje em dia, os ataques de ransomware conseguem bloquear cópias armazenadas na nuvem. Não deixe a sessão “logada” para facilitar a atualização, pois isso permitirá que os atacantes criptografem os dados na nuvem.

• Além de encerrar a sessão após realizar o backup, é importante ter cópias desses arquivos. Como citado anteriormente, tenha um backup online e salve o arquivo em um HD externo para garantir a recuperação de fotos e informações pessoais. Além das medidas de segurança citadas acima, a Kaspersky recomenda ainda:

• Criptografe os seus backups. Como as mensagens de WhatsApp que são protegidas para evitar gente xereta, é possível proteger as cópias de segurança com a mesma tecnologia e evitar que as informações sejam acessadas. Faça isso especialmente com dados sensíveis, documentos financeiros ou identificações pessoais, como RG, CPF, passaporte e carteira de motorista.

• Automatize o processo com um programa que siga todas as dicas anteriores. Por exemplo, o Kaspersky Total Security permite selecionar todos os arquivos a serem salvos e oferece opções para armazenar a cópia (armazenamento de nuvem, HD externo ou NAS – armazenamento na rede). – Fonte e mais informações, acesse: (https://www.kaspersky.com.br/).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap