109 views 7 mins

Economizar água é essencial para evitar racionamento em 2021

em Destaques
sexta-feira, 27 de agosto de 2021

O “orçamento” de recursos naturais se esgotou para este ano, desde o dia 29 de julho, o que significa que a população mundial usou nos últimos sete meses toda a água, energia, minerais e vegetais que o planeta tem capacidade para produzir e renovar no período de 365 dias.

A divulgação aconteceu por meio da Global Footprint Network, organização responsável por cálculos que marcam a Pegada Ecológica, a marca deixada pela humanidade na Terra. “A mais de cinco meses para o fim do ano, neste 29 de julho, teremos esgotado o orçamento planetário de recursos biológicos para 2021”, disse a líder da Câmara Municipal de Glasgow, na Escócia, Susan Aitken.

Além da preocupação recente com as contas de energia elétrica, que sofreram um reajuste de 52%, por conta da escassez de chuvas em vários estados brasileiros e pelos baixos níveis de água nos principais reservatórios do país – o que configura a mais preocupante crise hídrica em 91 anos – o alerta da vez é para a economia de água para não faltar o recurso, em breve, na região metropolitana de São Paulo.

Isso porque o nível do principal reservatório de abastecimento de água da região, o Sistema Cantareira, encontra-se abaixo dos 50% do volume total, mais precisamente 38,8%, o que significa um estado de alerta para a população.

O especialista em eficiência hídrica e energética, Wagner Carvalho, CEO da W-Energy e membro do Instituto para a valorização da Educação e da Pesquisa no Estado de São Paulo, diz que o cenário é preocupante e necessita de toda ajuda da população para não agravar ainda mais a situação, pois a economia de água e a energia andam lado a lado nos resultados da crise que o país vive.

“Nesse momento de escassez de água, a conscientização da população e os hábitos sustentáveis precisam entrar em ação urgentemente. A realidade da crise hídrica pode voltar até o final do ano, ainda pior, caso não tenhamos chuvas significativas para aumentar o volume dos reservatórios e a crise energética se prolongar até 2022. O que temos que fazer agora é retomar o racionamento o quanto antes, e buscar meios de economia significativa do recurso”, explica.

Wagner também relembra que todos devem se conscientizar não só na hora do banho, de lavar a louça, de escovar os dentes, etc., mas sim de tudo o que se compra e se consome. “Aquilo que compramos e consumidos tem impacto no meio ambiente.

Todo o sistema do planeta está interligado, desde o desmatamento na Amazônia até o crescimento populacional, o aquecimento global, a produção excessiva de lixo, etc. Tudo isso interfere nas más condições hídricas que enfrentaremos há anos e também que devemos enfrentar daqui para frente”, revela.

O comportamento humano ainda é o maior economizador dos recursos naturais que existem. Carvalho diz que existem métodos a serem adotados por empresas, indústrias e condomínios, grandes potenciais de uso irregular do recurso, para acabar com o desperdício e economizar água.

“Existem peças específicas, popularmente chamadas de adaptadores econômicos, que acoplados às saídas de torneiras e em sanitários, poupam de 40% a 90% de água por minuto em relação às torneiras comuns. São tecnologias importadas da Suécia, Alemanha e EUA, com baixo custo e eficiência comprovada.

Além disso, a comunicação visual, cultura sustentável, varredura em canos no subsolo com geofones, para detectar possíveis defeitos invisíveis e todo um suporte virtual, garantem uma economia eficiente e altamente sustentável em qualquer empresa, indústria ou condomínio”, diz.

De maneira prática, conheça as principais ações para economizar água, o líquido mais precioso do planeta:

  • Instale adaptadores econômicos nas torneiras, chuveiros e nas descargas, para garantir um menor consumo de água sem perder a eficiência, como mencionado acima.
  • Inspecione suas contas de água dos últimos 12 meses. Caso um aumento significativo tenha acontecido em algum período, vale investigar se há vazamentos invisíveis, principalmente se o seu imóvel é mais antigo.

Hoje no mercado existem tecnologias acessíveis para garantir a correção desses desperdícios sem quebras desnecessárias. Quase 40% da água tratada é desperdiçada antes de chegar aos destinatários finais, ou seja, quase 40 litros se perdem a cada 100 litros de água captada da natureza.

  • Diminua, se possível, o consumo de carnes nas refeições. É sabido que 1kg de carne bovina consome 17 mil litros de água na produção, de carne suína consome 6 mil litros de água e a carne de frango são necessários 3.700 litros de água.
  • Evite tomar banhos demorados. Para as crianças, use um “timer” de 5 minutos, como um desafio positivo. Priorize a água para enxaguar o corpo.
  • Evite fazer a barba (homens) e lavar lingeries (mulheres) durante o banho.
  • Não use a descarga para outros fins, como lixeira de papel.
  • No ato de lavar a louça, limpe bem os restos de alimentos e enxague-a toda de uma vez.
  • Lave as roupas na máquina quando estiver com o cesto cheio. No tanque, feche a torneira enquanto ensaboa as peças.
  • Não utilize a mangueira para lavar o carro e a casa. Priorize um balde e pano.

Fonte e outras informações: (www.wenergy.com.br).