Colégio orienta pais sobre uso de plataformas digitais

Com as limitações de ir e vir impostas pela pandemia, a maioria das crianças e jovens passa os momentos de lazer com os olhos fixados no celular ou na tela do computador. Se por um lado, o uso da internet permite acesso a conteúdos didáticos e até mesmo o aprendizado por meio de jogos interativos, por outro, sites e plataformas digitais podem abrir uma janela para inúmeras possibilidades de acessos a conteúdos inapropriados.

Os responsáveis por plataformas muito usadas pelo público jovem já atentaram para esses problemas e impuseram restrições aos usuários. No início do ano, o Tik Tok atualizou suas configurações e padrões de privacidade para bloquear ainda mais o aplicativo para os usuários adolescentes. O Instagram seguiu a mesma linha e anunciou novos recursos para impedir que adultos enviem mensagens a adolescentes que não o seguem.

Ciente de que o uso constante de equipamentos online aumentou por conta da pandemia, a analista de tecnologia educacional do Colégio Marista Asa Sul, Melissa da Costa Alves de Miranda, diz que os pais podem monitorar a utilização desses recursos. “Colocar limites de horários de uso é um deles, pois sabemos que o uso excessivo da internet também pode trazer ansiedade, insônia, causar ressecamento nos olhos, dentre outros problemas”, ressalta.

A analista listou algumas dicas para orientar os pais:

  • Mantenha o diálogo. Nem sempre os pais estarão presentes enquanto os filhos utilizam a internet, por isso a importância da comunicação sobre o assunto, dessa forma, eles terão maior autonomia para conseguir separar o que é certo e errado nas redes sociais.
  • Limite de idade: A maioria das redes sociais pede que os usuários sejam maiores de 13 anos. Alerte os filhos sobre os perigos da internet e evite que elas tenham acesso a sites e redes sociais antes e completarem essa idade.
  • Instale equipamentos próximos a vocês. Com os aparelhos visíveis, é possível ver o que seus filhos assistem e acessam.
  • Acompanhe os acessos. Mesmo orientadas a usar as redes sociais somente a partir dos 13 anos, muitas crianças pequenas conseguem fazer contas “burlando” o sistema. É importante que os pais monitorem as redes sociais acessadas pelos filhos.
  • Verifique o histórico dos equipamentos que seus filhos utilizam. Celulares e navegadores de computadores (Chrome, Edge, Internet Explore, Firefox, Safari, entre outros) têm um histórico. Nesse histórico ficam armazenados os dados de busca e acessos dos usuários, dessa forma é possível saber o que foi acessado pelo usuário, então acesse sempre que possível o histórico para acompanhar o que seu filho acessa.
  • Instale filtro de conteúdo. O filtro de conteúdo é um aplicativo ou extensão de navegador que foi desenvolvido para que oculte certos tipos de conteúdo, impedindo que o usuário veja fotos ou vídeos que não sejam apropriados. Dicas de filtros: Filtro de Internet Pumpic, FamiSafe, Net Nanny, MMGuardian. – Fonte e outras informações: (www.colegiosmaristas.com.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap