80 views 7 mins

Bancos devem intensificar serviços de pagamento para apoiar as pequenas empresas

em Destaques
sexta-feira, 25 de novembro de 2022

Novos métodos de pagamento (instantâneos, moeda digital, carteiras móveis e digitais, peer to peer, QR codes) estão liderando a preferência junto aos consumidores, mas a ameaça iminente de recessão e as taxas de inflação crescentes associadas com questões geopolíticas contínuas, apresentam uma série de novos desafios para o segmento.

Apesar de todo esse cenário global adverso, o World Payments Report 2022, constatou que os novos métodos de pagamento ainda devem aumentar de cerca de 17% do total de transações não monetárias, em 2021, para aproximadamente 24%, em 2026. No entanto, enquanto os pagamentos B2C floresceram, a cadeia de valor B2B foi negligenciada com muita frequência.

O setor de pagamentos permaneceu resiliente devido à recente volatilidade sem precedentes do mercado, acelerada pela adoção de novos métodos de pagamento digital inovadores para os consumidores. Contudo, muitos bancos não estão fornecendo o mesmo apoio para pequenas e médias empresas.

De acordo com o relatório, apesar dos níveis promissores de recuperação pós-pandemia, as PMEs continuam lutando com problemas de fluxo de caixa e ciclos de conversão de liquidez, o que atrapalha a próxima fase de crescimento para muitas empresas deste segmento. Este fator levou ao aumento da demanda por provedores de serviços de pagamento para intensificar, realinhar prioridades e montar as ferramentas específicas para ajudar as PMEs a explorar novas oportunidades de mercado.

“Pequenas e médias empresas são a espinha dorsal do crescimento econômico global, contribuindo para metade do PIB e da empregabilidade no planeta. E, no entanto, elas são algumas das mais afetadas pela recente volatilidade do mercado”, disse Jeroen Hölscher, head global do Segmento de Pagamentos e Cartões da Capgemini. “Bancos e provedores de serviços de pagamento devem realinhar suas prioridades para capturar esse valor inexplorado por meio de serviços de pagamento inovadores e experimentais.”

. Unindo forças para aprimorar as jornadas das PMEs – Embora o segmento de mercado PME atualmente valha mais de US$ 850 bilhões em todo o mundo, como cita o relatório, as pequenas e médias empresas ainda são frequentemente negligenciadas em favor de contas corporativas de maior porte ou por grandes grupos de varejo pelo setor bancário tradicional.

Como resultado, as PMEs geralmente enfrentam problemas de fluxo de caixa, riscos de segurança cibernética, baixa liquidez e ineficiências operacionais que estão alimentando o descontentamento existente com os provedores de serviços de pagamento estabelecidos. Na verdade, 89% das PMEs pesquisadas se sentem mal atendidas por seus bancos primários e estão considerando uma mudança para uma PayTech desafiante, alternativa e mais flexível.

A migração para um provedor de pagamento digital permitiria que as PMEs refletissem a tendência que já está em andamento nos mercados de consumo. Por exemplo, o relatório apontou que as transações não monetárias B2B em todo o mundo devem aumentar ~10% a taxa de crescimento anual durante 2021-2026. Para reconquistar a fidelidade das PMEs, os bancos incumbentes terão que ampliar o valor da plataforma, que só pode ser desbloqueado por meio do combate a sistemas legados restritivos que atualmente sufocam o crescimento.

O relatório descobriu que mais de um quarto dos bancos tradicionais enfrentam dificuldades com infraestruturas monolíticas e inflexíveis, com 75% dos executivos priorizando os custos para manter os sistemas atuais funcionando sobre novas propostas de valor inovadoras – uma barreira clara aos investimentos necessários em inovação e flexibilidade que as PMEs desejam.

Em vez disso, as empresas de pagamento deveriam adotar a composição que lhes permita selecionar e montar suas partes em várias combinações para satisfazer os requisitos do cliente. Ao adotar esta estratégia, as empresas podem configurar suas ofertas para melhor se alinharem às necessidades das PMEs, alimentadas por dados harmonizados, para fornecer uma proposta de valor unificada e permitindo que as empresas de pagamento criem marketplaces B2B para as PMEs.

. Explorando novas possibilidades de pagamento por meio das soluções Distributed Ledger Technology – Dentro da riqueza de tecnologias inovadoras que estão sendo adotadas pelos bancos para permanecerem no jogo, a Distributed Ledger Technology (DLT) está surgindo como uma vantagem fundamental para prosperar na era da troca de valor ininterrupta.

Embora muitos bancos e provedores de serviços de pagamento (PSPs) concordem com seu potencial de transformar o setor, a adoção permanecerá cautelosamente estável, pois os recursos estendidos continuam limitando as oportunidades de investimento. À medida que o mercado evolui e os PSPs começam a explorar essa nova tecnologia, o relatório mostra várias rotas potenciais adiante.

Cerca de 64% das PMEs acreditam que a DLT pode surgir como uma opção complementar viável para as redes de pagamento existentes, já que as transações crossborder B2B no blockchain continuam a crescer junto com a tração de criptomoedas. Como resultado, a DLT pode ser considerada como parte de uma estratégia de fundação de múltiplos caminhos para melhor apoiar essas redes de pagamentos globais e regionais.

Da mesma forma, o rápido aumento de mais ativos criptográficos não regulamentados levou muitos bancos a explorar as oportunidades decorrentes da moeda digital do banco central (CBDC). Por fim, o relatório destaca que aqueles que desejam tornar-se pioneiros do setor já estão escalando os casos de uso de DLT para a próxima onda de oportunidades de crescimento. – Fonte e outras informações: (https://www.capgemini.com/insights/research-institute/).