112 views 5 mins

Atenção ao fluxo de caixa é prioridade para empresas que querem crescer

em Destaques
sábado, 23 de abril de 2022

Todo empresário que abre um novo negócio tem como principal objetivo que a empresa cresça e gere lucro, mas os caminhos, especialmente quando o ponto é a gestão administrativa do negócio, não são os mais fáceis. Dados do Ministério da Economia, divulgados no último mês de fevereiro, apontam que mais de 4 milhões de empresas foram abertas em 2021. No mesmo período, 1,4 milhão fecharam suas portas.

Um dos grandes desafios de uma nova companhia é ser financeiramente sustentável nos primeiros anos — mesmo quando está crescendo e prosperando. Nesse momento, onde as entradas e saídas de dinheiro estão em equilíbrio e o fluxo de caixa positivo, a decisão por expandir os negócios, sem o planejamento adequado, pode levar a empresa a uma crise e até à falência.

Várias situações podem desiquilibrar o fluxo de caixa e o empresário precisa de atenção para não comprometer a saúde financeira da sua organização. “É comum o empresário ficar tão focado no crescimento do negócio e não perceber os riscos de aumentar os gastos, mesmo com uma possibilidade de retorno financeiro no curto ou médio prazos”, diz Maryelen Denardi, gerente executiva do Banco BS2.

Confira alguns exemplos:

  • Aumento na produção – A empresa aumenta suas vendas e, consequentemente, precisa produzir mais. Para isso, é necessário adquirir mais insumos, equipamentos ou aumentar a equipe. Sem fôlego para investir por conta própria, a empresa pode comprometer seus rendimentos e gastar mais do que está ganhando, desequilibrando todo o fluxo de caixa.
  • Novas contratações – O aumento da equipe é um caminho natural para empresas que estão em crescimento. Mesmo com os avanços tecnológicos, em geral é preciso reforçar o time comercial, especialmente em setores que trabalham com a venda de produtos e serviços. Mas vale lembrar que, ao contratar um novo funcionário, é preciso contabilizar outros custos além do salário, como tributos e benefícios.
  • Ampliação da oferta de produtos ou serviços – Ter um produto ou serviço sucesso de vendas pode não ser suficiente para manter um negócio. A empresa precisa investir no aumento do mix oferecido para incrementar o portfólio ou conquistar novos clientes. No desenvolvimento de um novo produto há uma série de investimentos, desde a concepção até o início das vendas. Em todo o processo há novos custos envolvidos e o prazo de retorno do investimento pode ser maior que o esperado.
  • Prazo de recebimento descasado com o de pagamentos – Quando a empresa cresce, é comum vender mais, mas o recebimento pode acontecer em datas diferentes daquelas em que os pagamentos precisam ser feitos. Esse descasamento no calendário das contas a pagar e receber pode deixar empresa descoberta e o fluxo de caixa negativo.

Para todas as situações de desequilíbrio, soluções de crédito são boas saídas. “Independente da situação vivida pela empresa, além de um planejamento detalhado de cada novo passo, é importante olhar para as opções de crédito disponíveis no mercado”, recomenda a executiva. Maryelen ainda sugere que cada empresário busque instituições financeiras focadas em empresas, pois elas tendem a oferecer soluções personalizadas para o momento de cada negócio.

“Nesse processo também é importante ficar atento às taxas, prazos, condições de pagamento e a jornada pela busca do crédito para que não seja preciso tirar o foco do principal objetivo, que é crescer e se consolidar no mercado”, finaliza. – Fonte e mais informações: (www.bancobs2.com.br).